28 dez Facebook Messenger é liberado e promete incomodar o MSN


Vazou na internet o Facebook Messenger para Windows! Veja nossas impressões do programa e experimente agora essa novidade!

O Facebook Messenger para Windows ainda não foi lançado oficialmente, mas o link para download do aplicativo já está circulando a internet. Baixamos o programa sem nenhum problema de vírus. 

Ao que parece, o mensageiro de Mark Zuckerberg vai ser um fortíssimo concorrente para o Windows Live Messenger (MSN), que atualmente é o preferido dos brasileiros.

A interface do programa é idêntica ao do site, ou seja, bem simples e limpa. Ele também funciona independente de você estar com o Facebook aberto no browser. 


Interface e Recursos 

Além da já conhecida aparência do chat do Facebook, mostrando a foto, o nome e o indicador de status (on-line/off-line) dos seus amigos, o mensageiro oferece alguns outros recursos.

Há uma barra superior onde aparecem as notificações, pedidos de amizade e mensagens. Logo abaixo temos o polêmico Ticker, que “entrega” tudo o que seus amigos estão fazendo na rede. 

facebookchat

As janelas de conversa talvez sejam o ponto mais forte para os usuários. Elas são flutuantes e agregam as conversas em abas. Se você odeia a janelinha do chat tradicional, fixada no cantinho da tela, seus problemas definitivamente acabaram! Agora há a possibilidade de usá-las em tela cheia, pequena, média… 



Outra novidade são as notificações no canto da tela. Sem que há alguma notificação na sua conta e o chat estiver em segundo plano, sobre uma pequena janela no canto inferior da tela. (o print saiu apenas quando a notificação estava sumindo :/… mas já dá pra ter uma ideia) 


notificação
Por último, há um botão que fixa o mensageiro no canto da tela, assim como no próprio Facebook. 

dock right
A inclusão desses recursos é um ótimo atrativo para usarmos o Facebook Messenger no Windows. Pois mesmo com o navegador fechado, você não perde nada que está rolando no Facebook.


Agora que você já tem uma ideia do que esperar do mensageiro, faça o download aqui!

 

Read More

18 dez Você realmente monitora seus concorrentes no Facebook?

Vou começar esse post com uma pergunta: Você monitora seus concorrentes no Facebook? Antes de você ter a resposta “claro que sim” em pensamento , espero que ela não venha acompanhada de: “sempre dou uma olhadinha na fan pages deles para ver o que estão fazendo”,  ”claro, sei o número de fãs de cada um dos meus concorrentes” ou “olho a fan page dos concorrentes às vezes, não me preocupo muito porque as fan pages que cuido tem mais fãs”. Se alguma dessas questões passou pela sua cabeça, você pode estar com um grande problema!

Vamos pensar… um dos maiores benefícios das redes sociais é a possibilidade de você saber o que os concorrentes estão fazendo, descobrir quem são as pessoas que interagem com eles, além de ser possível antecipar os passos e traçar as estratégias para se diferenciar e se dar bem diante da concorrência, concorda?

Agora, focando especificamente no Facebook uma coisa é certa: se sua marca tem mais fãs que seus concorrentes, isso não significa muita coisa se os fãs não estão interagindo com o conteúdo publicado pela sua marca. Você já pensou que pode estar falando sozinho no Facebook?

Monitorar o que os concorrentes estão fazendo no Facebook é uma ótima estratégia quando vai além de uma simples olhadinha na fan page. Uma boa análise da fan page de seus concorrentes, pode trazer informações importantes para sua marca, como por exemplo: que tipo de conteúdo seu concorrente está trabalhando em sua fan page para interagir com os fãs? Qual a quantidade de interações (curtir e comentários) que essas postagens recebem? Quantas pessoas estão falando sobre seu concorrente no Facebook? Qual foi o crescimento da fan page do concorrente com determinada Campanha?

Essa são algumas das perguntas que podem ser respondidas monitorando a fan page de seus concorrentes de forma estratégica. Mas por favor, use essas informações para fortalecer sua marca. Monitorar os concorrentes somente por ter grande quantidade de dados não tem significado nenhum.

Veja por exemplo o monitoramento feito pelo GraphMonitor, em que é possível ver quais conteúdos publicados receberam mais ou menos likes que a média da fan page no Facebook.

Lembre-se: a forma como você utiliza as informações que tem sobre seus concorrentes é o que faz sua marca ser diferenciada. As pessoas estão cansadas do ‘mais do mesmo’ então não copie e não use as mesmas ‘estratégias’ que seus concorrentes estão fazendo no Facebook. Monitore muito seus concorrentes, consiga muitos insights a partir disso, mas busque sempre se diferenciar e mostrar para as pessoas como é a personalidade por trás de sua marca, tenho certeza que você terá grandes resultados a partir disso.

Aqui mesmo no blog, utilizando o GraphMonitor para monitorar ações de diferentes marcas no Facebook, publicamos algumas percepções importantíssimas que observamos, como por exemplo:

1) Fan page da Skol no Facebook passou de 8.500 fãs para quase 2 milhões em 1 mês!

2) L’Oréal Paris Brasil: de 700 mil a 1 milhão de fãs no Facebook em menos de um mês

3) Ação da Gol no Facebook fez a fanpage crescer mais de 1000% em junho

Se alguma dessas marcas acima for seu concorrente, informações como essas não são valiosas para você? Agora me fala, você estava monitorando a ponto de saber esses resultados?

Encare o monitoramento de seus concorrentes no Facebook, não como algo chato, mas como algo estratégico para se diferenciar, conhecer o ‘ambiente’ ao redor de sua marca e antecipar seus passos em relação a concorrência.

* Com o GraphMonitor, além de monitorar e mensurar os resultados da sua marca no Facebook, é possível monitorar o Facebook de seus concorrentes. Quer conhecer mais sobre a ferramenta? Deixe um comentário aqui no post ou visite o site: www.graphmonitor.com

(O GraphMonitor ainda está em fase Beta fechado, mas você já pode se inscrever para ficar sabendo do lançamento e já pedir quais páginas quer monitorar.)

Read More

18 dez 6 ideias para atrair mais consumidores para o seu e-commerce

O e-commerce brasileiro fechou o primeiro semestre de 2011 com faturamento de R$ 8,4 bilhões em bens de consumo – crescimento de 24% em relação ao mesmo período de 2010, quando houve faturamento de R$ 6,8 bilhões, segundo o relatório WebShoppers da consultoria e-bit.

A pesquisa com mais de 4.000 lojas virtuais confirma o que muitos especialistas em comércio eletrônico pregaram: 2011 foi o ano do e-consumidor.

O sucesso do e-commerce no Brasil pode ser atribuído a alguns fatores:

  • maior poder de compra da nova classe média (crédito);
  • estabilidade na economia;
  • ofertas cada vez mais tentadoras da lojas virtuais;
  • maior confiança nas recomendações dos círculos de amizade.

Os dois últimos itens – motivos desse post – chamam a atenção principalmente neste final de ano, quando o comércio apela para ofertas imperdíveis e trabalha o engajamento por meio das redes sociais.

Segundo a Nielsen, 90% dos e-consumidores acreditam na recomendação de amigos, e 87% gastam mais online depois de se depararem com o comentário positivo de um conhecido sobre determinado produto.

Paralelo a isso estão os hotsites, e-mail marketings e tweets que se espalham pela web com um mundo de ofertas. Estou falando de conteúdo focado em conversão de vendas.

Pensando nisso, listo seis ideias a serem aplicadas no conteúdo de mídias digitais que podem chamar a atenção desse público sedento por ofertas:

  1. Faça um post com até 80 caracteres. Segundo a agência americana Buddy Media, mensagens curtas tem 27% maior chances de serem replicadas e acessadas;
  2. Ofereça descontos pelas redes sociais. Com a corrida pelas compras de Natal e a mobilidade, nada melhor que receber uma oferta a qualquer momento;
  3. Cuidado ao abusar de palavras como “promoção”, “cupom” e “oferta”. O consumidor está mais esperto para esse tipo de abordagem;
  4. Invista na publicidade local. Um estudo da MaxPoint Interactive afirma que apostar nos mercados locais reforça em até 40% o volume de vendas nas 72 horas que antecedem as festas de fim de ano;
  5. Pense nas ações mobile. De acordo com o Google, 15% das pesquisas de preços e lugares para celebrar as festas de fim de ano virão dos celulares e tablets;
  6. Por fim, mas não menos importante, integre sua comunicação. De nada adianta fazer ações bacanas se elas não conversam entre si.

E aí, qual sua estratégia?

 

Fonte:Midiaria

Read More

18 dez Branding: uma estratégia que marca!

Ter uma estratégia de Branding para as marcas é de extrema importância para a construção e gerenciamento junto ao mercado. A construção favorável de uma marca está interligada com o relacionamento satisfatório com o mercado alvo. Se identificada de forma positiva, ela passa a valer mais do que o próprio produto oferecido.

O Branding está relacionado com o conjunto de práticas e técnicas que visam a construção e o fortalecimento da marca. Seu objetivo é – entre outros – aumentar o brand equity (ativo da marca).

Construir uma marca de sucesso não é fácil, pois muitas morrem por prematuridade. Por isso, faz necessário uma gestão que foca na manutenção de confiança. Para esse trabalho há profissionais das mais diversas áreas atuando no mercado, sendo eles especializados em relações públicas, marketing, administração, semiótica, design gráfico e arquitetura.

Muitas pesquisas são realizadas para mensurar o grau de lembrança e reconhecimento de uma marca. Uma grande pesquisa da revista Época Negócios divulgada neste mês me chamou a atenção. Foram avaliadas as empresas de maior prestígio no Brasil, analisando como elas cuidam de suas respectivas marcas.

Em sua mensagem de abertura da publicação especial, o editor avisa: “Feitas para marcar”. É isso mesmo! Ele enfatiza o papel principal de uma marca, que é marcar, ser reconhecida e lembrada.

A pesquisa é realizada baseada em seis dimensões que avaliam: admiração, confiança, qualidade de produtos e serviços, compromisso sócio-ambiental, história, evolução e postura inovadora.

Um ranking realizado após a consolidação dos dados é baseado na opinião de mais de 15 mil pessoas de ambos os sexos e diversas idades, regiões do país e classes de renda, consultadas pela internet sobre seis atributos principais das marcas corporativas.

As Top 5 de maior prestígio, segundo a pesquisa são:

1º. Lugar: Nestlé
2º. Lugar: Natura
3º. Lugar: Petrobras
4º.Lugar: Johnson & Johnson
5º. Lugar : Google

Um vídeo, em destaque abaixo, traz de forma didática informações conceituais sobre marca e estratégia de Branding:

Sua marca vai marcar! Elabore estratégias com sua agência de comunicação.

Fonte:Midiaria

Read More

14 dez Google Analytics avançado – dicas e truques

O Google Analytics afeta todo mundo no marketing dos mecanismos de busca (a não ser que você utilize outro pacote de análises), mas nem todo mundo sabe como tirar vantagem dele. Para isso, nós temos que compartilhar conhecimento, e é isso que farei aqui. Compartilharei ótimos segmentos avançados, como por exemplo, como fazer o acompanhamento de conversões múltiplas e o sucesso secreto por trás do rastreamento de domínios cruzados.

1. Segmentos avançados

Os segmentos avançados te fornecem a habilidade de aumentar a velocidade dos seus relatórios. Muitas pessoas falam disso, mas como e o que eu deveria fazer? Acredito que as informações deste artigo podem te ajudar.

  • Segmento das mídias sociais

Se você estiver pagando por tráfego de mídia social, então é imperativo que você cheque o valor que ele traz para as vendas, por exemplo: ele gera vendas? Aqui você tem como descobrir:

Clique na aba My Site > Advanced Segments > +New Custom Segment > Escolha um nome para ele > Só então clique em +Add a dimension or metric > então adicione Source como uma dimensão > o deixe como include e matching regular expression usando um pouco de regex, digite o seguinte no campo:

(facebook|twitter|linkedin|stumbleupon|youtube|vimeo|myspace|delicious|reddit|tumblr)

Clique em test segment e verifique se funciona. Encontre os mais relevantes para seu site e construa um segmento preciso para mídias sociais. Aplique isso para seus relatórios e agora você pode segmentar seu canal de mídia social. Tente cruzar todas as abas procurando por conversões de objetivos para descobrir qual canal está dando um melhor resultado.

  • Segmento de palavras-chave longas

Outro segmento avançado útil é compreender a demanda de palavras longas. Siga a mesma metodologia para chegar ao painel de segmentos avançados, mas depois, siga os passos a seguir:

Clique em +Add a dimension or metric > então adicione Keyword como uma dimensão > o deixe como include e matching regular expression e então digite o seguinte no campo: ^s*[^s]+(s+[^s]+){2}s*$

Aplicar esse segmento aos seus relatórios irá mostrar as palavras-chave com mais de duas palavras. Para filtrar mais, ou menos, palavras-chave, simplesmente mude o número. Por exemplo, se eu quisesse buscas com mais de quatro palavras, então, eu o modificaria assim: ^s*[^s]+(s+[^s]+){3}s*$

  • Segmento de palavras-chave sem a marca

Este é um segmento útil se você quiser uma busca sem termos da marca. Veja a metodologia a seguir. Para que faça sentido, vamos imaginar que minha empresa se chama John Lewis.

Clique em +Add a dimension or metric > adicione Keyword como uma dimensão > deixe como include e matching regular expression e então digite o seguinte regex no campo: (John|Lewis|Jon|Luis|Lews|…….)

Exclua esses termos e os erros de digitação dos termos de marca. Ao aplicar esse segmento, ele irá permitir que você diferencie as palavras-chave sem a marca. Eu me pergunto quão relevante isso será para os SEOs com a introdução do SSL Search pelo Google…

2. Rastreamento de metas de conversões múltiplas

O rastreamento de metas é simples. Nomeie sua meta, adicione a URL dela – por exemplo, /thank-you – configure um funil, etc. Mas vale lembrar que existem dois caminhos para registrar as pessoas no site, assim:

  1. www.fabian.com/my_work = eles se registraram a partir da minha homepage e caíram na minha página do dashborad.
  2.  www.fabian.com/download = eles se registraram para acessar meus exemplos gratuitos.

Ambos destinos levam ao registro, então, como criar uma meta com URLs múltiplas? Aqui está a resposta:

Vá até o dashboard de metas > nomeie seu meta > selecione o tipo de meta como URL Destination > insira um pouco de regex na Meta URL, como mostrado abaixo > no campo Match Type, selecione Regular Expression Match  e salve. 

/(my_work|download)$

Você pode remover o símbolo do dólar ($) no final dela, se você quiser capturar elementos dinâmicos.

Para ver um detalhamento da meta e para verificar que ele realmente está gravando as páginas corretas, use o relatório de verificação de metas, ou as URLs de metas (novo analytics). Eu testei e funciona perfeitamente.

3. Rastreamento de domínios cruzados

O rastreamento GA de cookies são os cookies da primeira parte, o que significa que eles só podem ser usados pelo webiste que os estabelece. Se um visitante decidir deixar o site por um domínio diferente, o rastreamento de cookies não vai funcionar. Por exemplo, se seu site aceita pagamentos terceirizados em outro site, então você precisa usar o rastreamento de domínios cruzados para preservar a referência.

Para o rastreamento de domínios cruzados funcionar, você tem que ter o Google Analytics Tracking Code (GATC) nos dois domínios, e o site terceirizado não pode proibir os parâmetros de string da consulta.

Passo 1. Modifique o GATC

Vá em Analytics Settings > Tracking Code > Selecione o botão de rádio Multiple top-level domains > O Google Analytics irá fornecer duas linhas de código, como mostrado abaixo.

  • _gaq.push([‘_setDomainName’, ‘none’]);
  • _gaq.push([‘_setAllowLinker’, true]);

É possível ter um cookie com o domínio www.seogadget.co.uk e .seogadget.co.uk, o que significaria ter mais de um conjunto de cookies por visitante. De acordo com Justing Cutroni, a melhor prática é usar o domínio primário do seu website ao invés de ‘none’. Por exemplo, eu usaria o ‘.seogadget.co.uk’ para evitar instâncias múltiplas do rastreamento de cookies do Google Analytics.

Passo 2. Transferindo os cookies

O Analytics tem dois métodos para transferir os códigos de rastreamento entre os dois domínios, que são o _link() e o _linkByPost().

Ambos extraem os valores de cookies dos próprios cookies e inserem os dados na URL da página de destino, como os parâmetros de string da busca. Imagine que nosso domínio primário seja www.seogadget.co.uk e nosso site de pagamento terceirizado seja www.moneyforfabian.com. Insira o seguinte:

  • Exemplo 1. Se seu website transfere o visitante entre domínios usando tags de âncora padrão, use _link():
    http://www.moneyforfabian.com” onclick=
    “_gaq.push([‘_link’, ‘http://www.seogadget.com’]);return false; “>Buy Now</a>’]);
  • Exemplo 2. Se seu website usa um formulário para transferir os visitantes entre domínios, então você precisa de use _linkbypost():
    http://www.moneyforfabian.com” method=”post”

    onsubmit=”_gaq.push([‘_linkbypost’, this]);”>

Uma vez que você tenha aplicado ou _link() ou _linkByPost(), os visitantes do seu site serão rastreados a partir dos dois domínios.

 

Este artigo é uma republicação feita com permissão. SEOMoz não tem qualquer afiliação com este site. O original está em: http//www.seomoz.org/blog/advanced-google-analytics-tips-and-tricks

Fonte:Imasters

 

Read More

14 dez Mídias sociais no foco das empresas

Pesquisa da Amcham mostra que empresas pretendem aumentar investimentos nas redes em 2012

A Câmara Americana de Comércio Brasil-Estados Unidos (Amcham) divulgou, nesta terça-feira, 13, um estudo que aponta que 96% das empresas que operam no Brasil enxergam as mídias sociais como importante canal de comunicação e como fundamental ferramenta fomentadora de negócios. Segundo a pesquisa, 65% das empresas atuantes no mercado nacional pretendem aumentar as ações e verbas destinadas às redes sociais, enquanto que 31% manterão o que já está sendo feito nesses canais.

De acordo com a Amcham, mesmo com essa visão positiva em relação às mídias sociais, atualmente quase metade dos consultados gasta menos de 5% do orçamento do departamento de marketing com essas ferramentas. Apenas 3% afirmou dirigir até 40% da verba de marketing para redes como Facebook, Twitter, Google+, Foursquare e Orkut.

As empresas brasileiras devem se apoiar principalmente nessas cinco mídias de relacionamento, em 2012. O Facebook deve ser o canal que receberá mais atenção, com três quartos dos consultados afirmando que pretendem agir nesse canal. O Orkut, outrora tão presente no Brasil, é o último da lista, com 8%. O Twitter é o segundo na classificação, com 56%, seguido de Google+, com 32%, e Foursquare, com 10%.

Entre os objetivos perseguidos pelas empresas ao atuar nas mídias sociais, foram apontados: relacionamento com o cliente (74%); reforço de marca (63%); promoção e divulgação de produtos ou serviços (53%); monitoramento de marca (46%); e e-commerce (18%).

Read More