28 abr Redes sociais – Participar ou Não, Investir ou Não

Recentemente publicou na internet uma notícia informando que famosos estão pagando a jornalistas para atualizarem os seus perfis no twitter, facebook, orkut, etc. Acesse a notícia aqui.

Para alguns, um absurdo, pois perde o sentido de acompanhar o que o seu/sua fã está escrevendo. Soa falso, segundo outros.

Mas, analisando sem a emoção, parece bem razoável a idéia.

Vamos ver na esfera jurídica.

Sempre afirmo que devemos ter um pensamento em relação ao trabalho baseado no dito popular: “cada macaco no seu galho”.

O escritório de advocacia é composto de de advogados, estagiários e funcionários. Mesmo admitindo a multidisciplinariedade, não é a realidade do país que escritórios possam investir em jornalistas, web designers, engenheiros, entre outros, ficando tais situações mais adistritas a escritórios maiores.

Muitos compram o site pronto, só colocam os artigos e ponto final. Para participar do twitter, orkut, etc, a grande maioria usa o próprio advogado sênior ou sócio para atualizar.

Não desmerecendo a boa vontade, o resultado prático é que sem a visão escorreita do que se quer atingir, não há resultado.

Afinal, como pensar estrategicamente em marketing jurídico, redes sociais, entrevistas, blog, site e – ao mesmo tempo – cuidar de prazos, impressoras falhando, atendimento ao cliente, etc.

É querer ser goleiro e atacante ao mesmo tempo, o que resulta em não ser nem um nem o outro satisfatoriamente.

E qual a solução?

Terceirizar. Naquilo que não é atividade precípua da minha atividade, é mais economico, organizacional e operacional deixar quem já faz isto fazer melhor para mim.

Um exemplo prático: comodato de impressoras. Muitos relutam, mas num escritório de pequeno a médio porte, quem cuida do tonner? Quem cuida se a impressora tranca? Quem é responsável pela manutenção? Geralmente um dos sócios. Então, fazer um comodato resulta numa empresa que irá cuidar do tonner, das peças, tem prazo curto de substituição (geralmente 4 horas ou menos) e o escritório nunca fica parado por impressora. Pense nisto!

Outro exemplo que serve como uma luva para a notícia acima é a respeito de um serviço terceirizado que descobri e estou usando em clientes meus: Uma empresa que cuida desde a hospedagem do site, e-mails, etc, com um jornalista específico para cuidar de atualizar para o escritório de advocacia as notícias no site, no blog, no Twitter e assim por diante.

Em bom português: o advogado manda a notícia e rascunho para um profissional, que escreve, edita, etc, o advogado aprova e este texto é divulgado em todas as mídias sociais. Parece um sonho, não? Mas, não é. É uma realidade e, no meu ver, uma necessidade de mercado para os escritórios de advocacia, quiçá outros ramos.

E você, como cuida das suas mídias sociais? Leia mais sobre isto aqui.

Não deixe para amanhã. O amanhã é de quem planejou ontem e executa hoje.

Reflita e responda a este questionamento: Você está preparado para as redes sociais?

 

Fonte :Gustavo Rocha

× Fale com Especialistas.