13 jul Estratégias de vendas e o uso correto do marketplace

Como destacar um e-commerce diante de tanta renovação que o mercado passou? Será que vale a pena vender dentro de marketplaces? Como eu defino o mix de produtos de minha loja? Confira essas e muitas outras estratégias de vendas.

Diferencial competitivo no e-commerce

Por mais que os negócios digitais pareçam ter mudado radicalmente nesse momento de pandemia,  o que realmente ocorre é um eterno processo de evolução. “A principal mudança, e que sempre deverá receber atenção, é a comunicação. Se destacará o e-commerce que souber se aproximar de forma eficiente do cliente”, disse. Aqui, o especialista destaca que essa atenção do lojista deve ser maior no cadastro de produto, assim como a organização da loja.

Organização de uma página do e-commerce

A “cereja do bolo” nesse aspecto, é o logista pensar na loja como um consumidor. “É preciso entender quem está navegando na loja. Se imaginarmos um e-commerce de moda cujo público predominante é de São Paulo, dá para ter insights sobre o perfil dessa persona. Afinal, o consumidor paulista possui algumas peculiaridades muito visíveis”.

Curvas de consumo

Após detectar o perfil de cliente, analise as curvas de consumo A, B e C (onde A, nesse caso, seriam os produtos mais vendidos, seguido por B e C, respectivamente). “Digamos que a curva A relacione a categoria ‘Saias’, por exemplo. Ela não pode ser escondida, como muitos e-commerces fazem, e sim evidenciada. Afinal, é o que o público mais busca dentro do site”. Segundo ele, estar atento às questões meteorológicas em uma loja de moda também é importante, pois não faz tanto sentido apresentar uma roupa de verão em um dia frio. “São pequenos insights que fazem toda a diferença o montar uma vitrine”.

Mix de produtos

Sobre os lançamentos de produtos, destacamos a importância de estar sempre antenado ao que está acontecendo no mercado. Analisar o que o cliente digita na barra de busca do site, por exemplo, vale como dica dentro as estratégias de vendas. “Às vezes, duas lojas que vendem roupas de moda fitness, por exemplo, possuem públicos totalmente distintos. Por isso eu ressalto a importância de analisar o perfil de consumidor da loja, pois será o engajamento dessa persona que definirá a estratégia de lançamento de produtos”.

Como usar o marketplace

“O maketplace já é um caminho sem volta, e deve estar dentro das estratégias de vendas. Eu entendo que gerar tráfego dentro dessas plataformas é de extrema importância. Ele já soma muitas vantagens, como um aumento do lucro, reduz custo de operação… Porém, é preciso estar nesses canais de forma correta”, alerta. De acordo com ele, um dos erros muito comuns é replicar um produto do e-commerce — com os mesmos dados — no marketplace. “Ao subir um produto com o cadastro idêntico, o profissional duplica o conteúdo, o que automaticamente gera uma ‘punição’ pelo Google”.

Isso ocorre porque o gigante das buscas entende que o conteúdo autoral é do marketplace, já que este possui mais relevância — e o e-commerce, no caso, estaria “plagiando” o conteúdo, perdendo em buscas orgânicas e se tornando cada vez mais dependente do marketplace. A solução, portanto, é manter um conteúdo autoral muito bom no e-commerce próprio, assim como um diferenciado para as plataformas de marketplace.

“Quem vai fazer o negócio crescer é o próprio lojista, disposto a correr riscos para colher os benefícios” 

Alcance seus resultados. Saiba como!!!

Fale com especialistas, e tenha uma consultoria de estratégias assertivas.

E-Mail: contato@layart.com.br

Telefone:(11)3482-5982 

Whatsapp:(11)98052-7810



error: Alerta: Esse conteúdo é protegido!!