30 jan Agendamento de mídias sociais: não deixe sua empresa entrar em uma tragédia

Nas mídias sociais ou nas ruas, não há como saber quando uma tragédia irá acontecer. Acontecimentos como o incêndio da Boate Kiss, em Santa Maria (RS), não têm como serem previstos. Mas da mesma forma que as casas noturnas podem investir em segurança para desenvolverem uma estratégia de prevenção, evitando que problemas graves aconteçam, sua empresa pode manter uma estratégia preventiva para evitar que casos de maior gravidade a peguem desprevenida nas mídias sociais.

 
Dois casos em específico chamaram a atenção de forma bastante negativa nas páginas de Facebook de empresas após a tragédia no Rio Grande do Sul. Nenhuma das empresas destes casos esteve de alguma forma envolvida no acontecido, mas por uma terrível coincidência, suas postagens (certamente agendadas antes do final de semana sequer começar) acabaram sendo de péssimo tom no contexto em que se encontravam.
 
Primeiro, o caso mais visual e mais grave:
 
 
Esta publicação foi feita no domingo pós-tragédia, exatamente quando todos os veículos da imprensa falavam sobre o caso e reafirmando os riscos de se atuar com pirotecnia em ambientes fechados. Se esta publicação poderia ser considerada de mau gosto por muitos em qualquer época do ano (existem leis proibindo pirotecnia em locais fechados, além de poder incentivar este tipo de brincadeira com fogo por pessoas não treinadas), imagine após uma tragédia como a que tomou corpo no último final de semana.
 
Quem trabalha com mídias sociais acaba tendo que se acostumar com o uso de ferramentas que possibilitem este trabalho. A internet não fecha, está ativa durante as 24 horas do dia, inclusive nos finais de semana. Por isso, é necessário se utilizar destas ferramentas, que possibilitam ao profissional deixar as publicações já agendadas. Isso é muito bom por trazer praticidade ao profissional, mas pode ser um problema grave caso algo não previsto aconteça no período entre o agendamento e a publicação. 
 
Este é exatamente o caso da publicação desta casa noturna. Se esta publicação tivesse sido feita sem que a tragédia ocorresse, ninguém reclamaria. Provavelmente até renderia uma boa quantidade de curtidas e compartilhamentos. Mas um fato aconteceu exatamente entre o período do agendamento e da publicação, mudando toda a história.
 
Outro caso semelhante ocorreu com esta publicação:
 
 
Apesar de não ser visualmente tão impactante, esta publicação no Twitter acabou sendo de um terrível mau gosto, graças à falha de timing. Novamente, se nada tivesse acontecido, não traria nada de negativo para a empresa, porém graças às circunstâncias, tornou-se uma brincadeira sem o mínimo de graça.
 
Ambas as publicações foram feitas com boas intenções. Mas uma sequência de fatos fez com que elas tenham sido terríveis. Atingem negativamente a marca da empresa que as publicou, além de ser uma falta de respeito com aqueles que perderam alguém na tragédia.
 
Isso não quer dizer que sua empresa não possa agendar publicações nas mídias sociais. A mensagem que fica é que sempre podem acontecer imprevistos. Nem todos os imprevistos são tão terríveis quanto os deste final de semana, mas imprevistos acontecem a todo o momento, todos os dias.
 
Por isso, apenas agendar uma publicação não é o suficiente. Sua empresa precisa de atenção especial, ela precisa de acompanhamento e de um olhar atento o suficiente para saber quando uma mensagem precisa ou não ser alterada, editada ou excluída antes mesmo de sua publicação.
 
Já acompanhei pessoalmente dezenas de problemas causados por agendamento. Já vi políticos presentes em um funeral, prestando pesar à família, enquanto seu perfil no Twitter respondia os internautas no mesmo momento. Já vi empresas desejarem um animado “Bom dia, como foi o seu final de semana? O nosso foi ótimo!” na manhã seguinte ao desastre que tomou Blumenau em novembro de 2008, e já vi até mesmo perfis celebrando o belo dia de sol durante uma chuva torrencial.
 
Agendar publicação não é algo que deva ser temido, muito menos evitado. Mas deve ser utilizado com bom senso, sabedoria e – principalmente – agilidade.

Read More

30 jan Link Building deve ser muito mais que links

 

O Link Building que conhecemos precisa mudar e adaptar-se aos novos tempos, no qual temos um Google muito mais exigente.

Que links externos são importantíssimos para alcançarmos bons resultados em SEO todos já sabem. Entre outros sinais, é através da quantidade e qualidade dos links que apontam para nossos sites que o Google calcula e determina a reputação e autoridade de nossos sites, e quanto maior forem estas, melhor será o nosso posicionamento nos resultados de busca orgânica.

“E como faço para conseguir mais links externos?” Essa é uma pergunta que ouço quase que diariamente de clientes, colegas e interessados em SEO. A resposta, quase que automática: “Link Building”. Neste artigo quero compartilhar com vocês minha visão de que o Link Building que conhecemos precisa mudar e adaptar-se aos novos tempos, tempos onde temos um Google mais exigente e de usuários que usam a internet de diferentes maneiras.

A grande maioria das táticas de Link Building utilizadas até então são focadas em apenas uma coisa: criar mais um link apontando para meu site. Mas daqui pra frente, para que tenhamos sucesso e resultados sustentáveis e duradouros, observo dois fenômenos que sugerem a necessidade de uma mudança de foco e abordagem no Link Building:

1) O Google está muito mais exigente e criterioso ao analisar quantos links você tem e, principalmente, de que sites eles vem. Entre outras coisas, são considerados a velocidade com que você ganha novos links, se são sempre dos mesmos tipos de sites, se os sites são do mesmo dono, em que contexto o link foi criado, em que lugar da página ele foi colocado, enfim, são inúmeros itens que procuram ajudar o Google a responder uma única questão: este link foi criado naturalmente para ajudar o usuário? (ou foi colocado lá para auxiliar no posicionamento orgânico do site para onde aponta?). Somado a isso, os últimos updates do Google em seu algoritmo apontam que o foco precisa ser na qualidade. Você precisa escolher muito bem o site onde irá o seu link. Quer uma dica? Eu costumo pensar que link bom é aquele que gera visitas. Esse “sinal” comprova que o link foi criado no site e lugar certo, porque se foi clicado, houve interesse do usuário. E o usuário deve ser sempre nosso objetivo principal, não é mesmo?

2) Nós usuários não criamos mais tantos links como antigamente. Hoje, no mundo das redes sociais, do Twitter e Facebook, quando gostamos de algo, compartilhamos, curtimos, tuitamos e retuitamos. O número de links disponíveis na web para que o Google analise e assim defina quais sites são as referências em seus mercados, está diminuindo. Ou seja, links sozinhos, não são mais suficientes. Você precisa estar presente nas redes sociais. Já existem estudos que mostram que uma URL que foi curtida, compartilhada e tuitada, alcança um melhor posicionamento orgânico.

Concluindo, você precisa investir em redes sociais e na produção de conteúdo que atenda verdadeiramente as necessidades e questionamentos de seus leitores e consumidores. Procurar entender o que procuram e desejam quando querem consumir seus produtos e serviços. E preocupar-se na comunicação pré-venda e pós-venda, criando uma legião de clientes que comprem seus produtos, criem links e compartilhem seu conteúdo frequentemente. Esqueça de vez a construção de links pelo simples fato do hyperlink, construa links que sejam verdadeiras conexões entre sua marca e seu público. Invista no relacionamento com seus clientes e você nunca mais precisará do Link Building, que é focado apenas em links.

 

Fonte: Meta Analise

Read More

29 jan 12 redes sociais para designers

 

Fontes de informação, novos contatos com colegas do ramo ou repositórios de recursos para projetos: as comunidades podem trazer um mundo de possibilidades para os profissionais do design.

Diversas são as formas de entrar em contato com os profissionais da mesma área e também de se informar sobre as novidades em nosso meio de atuação. E o ramo das atividades criativas também participa disso.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: iStock)

Designers de todos os tipos, publicitários e profissionais do marketing necessitam estar em contato com novos conceitos e até mesmo visualizar trabalhos já feitos como forma de inspiração. Mas onde encontrar esse tipo de fonte de informação e de recursos para dar início aos projetos?

Nesta seleção, escolhemos 12 redes sociais por meio das quais você pode acessar informações relacionadas ao design e também trocar uma ideia com outros profissionais do ramo. Esse contato, que só é proporcionado por comunidades interativas, torna mais rica a experiência e traz mais conhecimento para a sua navegação. Confira nossa lista de serviços e escolha os seus preferidos.

Dsign.me

Apesar de grande parte das opções de redes sociais criativas ser internacional, há cerca de três anos foi criada a primeira interface inteiramente brasileira: o Dsign.me. O site interativo foi criado para promover a comunicação entre profissionais ou adoradores das áreas relacionadas – como o próprio design (seja ele gráfico ou de produto), publicidade e propaganda, marketing, expressão gráfica e demais cursos correspondentes.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/Dsign.me)

As páginas da rede social lembram um blog, por meio das quais é possível conferir notícias sobre premiações da área, novas técnicas e até mesmo discussões sobre assuntos relevantes. Em outra parte do Dsign.me, você pode cadastrar seus trabalhos – como se fosse um portfólio –, assim como pode conferir as artes inseridas pelos demais participantes do site.

Para os profissionais que estiverem com dificuldade para encontrar trabalho, a rede social também disponibiliza um classificado virtual com vagas para diversas áreas criativas. Basta pesquisar e conferir as oportunidades que mais lhe agradam.

Behance

Agora que já falamos da opção 100% brasileira, é hora de conferir o que as terras estrangeiras têm a nos oferecer nessa área. Behance é uma das redes sociais que mais se destacam por ser muito utilizada pelos profissionais do design.

12 redes sociais para designers


(Fonte da imagem: Reprodução/Behance)

O principal foco do site é a inserção de portfólios online, a fim de divulgar o trabalho dos profissionais para seus colegas e possíveis empregadores. Da mesma forma como você pode fazer a sua arte ser conhecida por vários colegas de profissão, essa plataforma também permite aprender por meio das criações dois outros designers. Você pode compreender novos conceitos e fazer deles modelos de inspiração.

É possível ver o perfil da pessoa responsável pela arte, o que permite entrar em contato com o profissional. Da mesma forma como acontece em outras redes sociais famosas, na Behance você pode comentar e curtir os posts feitos pelos participantes. Além disso, ainda é possível compartilhar a ilustração ou a montagem em outras páginas, como o Twitter, o Facebook e o Pinterest.

Parcerias da rede social e nova direção

Desde 2010, a rede social conta com uma parceria com outra rede voltada para oportunidades de negócios e de trabalho, o LinkedIn. Graças a isso, seus projetos são publicados nos dois lugares quase que automaticamente, facilitando que futuros empregadores encontrem o seu perfil online.

12 redes sociais para designers


(Fonte da imagem: iStock)

Por ser tão visada internacionalmente, a Behance foi comprada pela Adobe no final de 2012. A empresa não anunciou mudanças drásticas na rede até o momento, mas divulgou que pretende promover de maneira mais forte a utilizações de seus produtos, que são desenvolvidos em grande maioria para o público criativo.

Além disso, softwares como o Photoshop devem receber novas ferramentas de integração, incluindo a inserção facilitada de conteúdo diretamente pela Behance – por meio de uma assinatura que deve ser adquirida à parte.

Dribbble

Para quem quer visualizar trabalhos de alta qualidade como meio de inspiração ou até mesmo de conhecimento, Dribbble é uma ótima opção. Os participantes podem postar fotografias e ilustração para receber comentários (nem sempre positivos) sobre as publicações por parte dos colegas de profissão.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/Dribbble)

Apesar de todas as vantagens, a rede simbolizada por uma pequena bola de basquete rosa apresenta um porém: ela está mais para uma comunidade fechada do que para uma página interativa aberta para o público. Isso porque, para ingressar no Dribbble, você precisa ser convidado por alguém que já seja um participante

Graças a essa característica “fechada” da rede, pode ser garantido que apenas trabalhos de qualidade vão circular as páginas da rede. Por outro lado, a visualização do conteúdo é aberta para todos, porém esse cadastro dá acesso apenas como espectador das publicações e não como criador de novos posts.

Cargo

Ao contrário dos sites citados anteriormente, Cargo permite que os participantes da rede criem suas próprias páginas. A partir desta opção, você pode ter uma URL única, por meio da qual é possível compartilhar o seu portfólio virtual com os colegas de profissão.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/Cargo)

Além disso, é possível fazer publicações que contenham textos e não somente imagem – assim como acontece em um blog. Dessa forma, os demais participantes podem comentar aumentando a discussão ou dando sua opinião sobre o tema, assim como podem se tornar seus seguidores dentro do Cargo.

LoveDsgn

LoveDsgn é uma rede social para o público de áreas criativas, seja design, publicidade ou marketing, por exemplo, que permite que sejam publicados todos os tipos de trabalhos. O intuito é promover a divulgação das artes, bem como a discussão do conteúdo entre as pessoas que participam da comunidade virtual.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/LoveDsgn)

Assim como acontece com o Dribbble, a LoveDsgn só permite que membros da comunidade façam posts em suas páginas. Para participar, é preciso receber um convite de alguém que já esteja na rede social ou enviar uma solicitação para a própria empresa, por meio da página principal, e esperar o resultado do pedido.

Hunie

Antigamente conhecida como DesignersCouch, a Hunie é uma comunidade online que permite aos designers entrar em contato que diversos tipos de “começos” para inspirar seus trabalhos. Mas nem só de “começos” a rede social é alimentada: são diversos projetos inseridos na galeria do site para que todos os participantes confiram o que anda acontecendo de melhor no ramo criativo.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/Hunie)

Hunie é uma rede social bem completa para quem procura ver conceitos diferentes, mas que valoriza a boa informação. Enquanto você estiver navegando pelos trabalhos destacados pelos participantes, é possível encontrar artigos relacionados ao design de modo geral, desde novidades até retrospectiva de técnicas utilizadas. Se você estiver procurando trabalho, a comunidade também reserva um espaço especial para ajudá-lo nessa jornada.

Image Spark

Diferentemente da grande maioria de redes sociais, Image Spark não possui um foco voltado para a divulgação de trabalhos, mas sim para a organização de fontes. Como uma forma de ajudar na hora de reunir material para colocar em andamento a criação dos desenhos, a Image Spark disponibiliza ferramentas que facilitam a reunião de conceitos e de materiais que vão servir como parâmetro para o projeto a ser desenvolvido.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/Image Spark)

Para fazer isso, basta escolher um tamanho de quadro para montagem – chamado pelo site de “Moodboards” – e colocar as fotografias dentro dessas interfaces, para conferi-las depois. Se você quiser adicionar apenas uma imagem ou se preferir fazer uma colagem com mais de 100 peças, não tem problema, pois o sistema é bem flexível.

Caso você deseje, é possível tornar o resultado visível para os demais participantes da rede. A Image Spark permite inserir palavras-chave às criações, garantindo que elas sejam encontradas dentro do tema ao qual estiverem relacionadas.

Pinterest

Esta não é exatamente uma novidade, especialmente para as pessoas que usam redes sociais com a finalidade de compartilhar fotografias. O Pinterest permite que sejam publicados materiais dos mais variados temas, desde que sejam imagens ou vídeos. Todos os itens devem ser marcados com tags que identificam os assuntos as quais estão relacionados.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/Pinterest)

Para conferir o conteúdo da rede, os participantes selecionam os temas que querem visualizar e, então, as imagens e os vídeos que estiverem relacionados a esses assuntos são apresentados em cada um dos perfis criados. Você confere belas publicações, sem sair do seu foco de interesse, diminuindo as chances de se deparar com conteúdo que não lhe interessa.

Designmoo

Designmoo é uma rede social voltada mais ao compartilhamento de material para criação do que à divulgação de trabalhos prontos. A comunidade criada pelo site visa a publicação de arquivos no formato PSD, assim como vetores, texturas, desenhos-padrão, fontes e tudo o mais que sirva como base para uma criação.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/Designmoo)

Essa característica faz da rede social um ótimo repositório de recursos. Por conta disso, ela pode salvar a pele de qualquer designer em apuros, seja por falta de ideia ou pela dificuldade de encontrar um padrão específico. A maior parte do conteúdo é distribuída de forma gratuita, mas também é possível adquirir artes mais bem-acabadas e personalizadas na loja e na versão paga do serviço.

COLOURLovers

Assim como o Designmoo, COLOURlovers é uma comunidade que permite aos designers e aos profissionais de áreas correlatas compartilhar recursos de criação com pessoas do mundo todo. Desde padrão de cores, palhetas até desenhos: você encontra de tudo um pouco dentro do site, sendo que o conteúdo é dividido em abas de acordo com o tema ao qual estiver relacionado.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/COLOURlovers)

Além de ser possível encontrar recursos de criação, a rede social ainda permite que você visualize e participe de discussões sobre as tendências do design. Dessa forma, ao mesmo tempo em que adquire materiais diferentes para o seu projeto, você ainda fica por dentro do que está acontecendo no ramo da criação.

FFFFound!

Com um nome criativo como esse, o que esperar do serviço oferecido? O nome do site já diz mais ou menos o conceito do seu funcionamento: FFFFound serve para encontrar (“Find”) os mais diversos tipos de imagens em meio a um conjunto de itens compartilhados pelos participantes da rede.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/FFFFound!)

O serviço permite que você guarde uma lista de favoritos com as fotografias que você mais gostar, facilitando o acesso a elas. Apesar de não ser uma rede social especialmente desenvolvida para os designers, esse site pode ajudar a encontrar imagens diferentes, que podem ser muito úteis para os projetos em desenvolvimento.

Pixel Groovy

Pixel Groovy também não é uma rede social especificamente desenvolvida para a área de criação, porém sua utilidade ainda a mantém como uma opção válida para esta lista. Isso porque o serviço traz tutoriais sobre diversas ferramentas ligadas ao computador, assim como aos softwares de design, como o Illustrator e o Photoshop.

A característica principal da comunidade criada pelo site é que os artigos são colocados em destaque pelos próprios participantes. Vamos explicar melhor essa história: quando alguém posta um tutorial novo, esse texto entra numa categoria inicial chamada “Groove”.

12 redes sociais para designers

(Fonte da imagem: Reprodução/Pixel Groovy)

 

Enquanto estiver nessa área, ele pode ser votado e ganhar notoriedade dentro do Pixel Groovy. Se o artigo receber bastante votos, o suficiente para colocá-lo entre os melhores textos recentes do site, ele é jogado na página principal, podendo ser conferido por mais pessoas. Qualquer visitante pode visualizar a postagem, perfis registrados na comunidade podem votar.

…..

Assim como qualquer ramo de atuação, o design, a publicidade, o marketing e todas as áreas relacionadas a projetos criativos contam com vários sites de referência para os profissionais. A lista apresentada neste artigo mostra apenas algumas que foram selecionadas como as melhores. Se você pudesse adicionar mais algum serviço à nossa seleção, qual seria? Deixe sua opinião registrada.

Fonte: TecnoMundo

 

Read More

29 jan Uso de smartphones por pessoas do sul e sudeste do Brasil

 

Você aí deve ter um smartphone, e se não tem, deve pensar em comprar um ainda em 2013. Verdade é que esses celulares espertos estão se tornando cada vez mais populares no Brasil. Uma pesquisa realizada pela agência GamPi, do Rio Grande do Sul, resultou nesse infográfico bonitão apresentado aqui no Chá de Cérebro. Nele, podemos notar vários dados interessantes que apontam que a onda dos smartphones não é só uma moda.

Como-as-pessoas-usam-celulares-nas-regies-sul-e-sudeste-1

Como-as-pessoas-usam-celulares-nas-regies-sul-e-sudeste-2

Como-as-pessoas-usam-celulares-nas-regies-sul-e-sudeste-3

Fonte: Chá de Cerebro

Read More

29 jan Tutorial sobre como utilizar o Pinterest no Marketing de sua empresa

PinterestmarketingO Pinterest surgiu no mercado de mídias sociais com uma proposta que foge do convencional, propondo exclusivamente o compartilhamento de fotos. O projeto se baseou a um “quadro de inspirações” onde os usuários podem “pendurar” suas imagens preferidas, compartilhar e gerenciar imagens temáticas, como de jogos, de hobbies, de roupas, de perfumes, etc.

O Pinterest também é integrado ao Twitter e facebook, as duas mais relevantes e populares mídias sociais na atualidade, facilitando assim que o usuário possa compartilhar suas imagens, recompartilhar as de outros utilizadores e colocá-las em suas coleções ou quadros (boards), além de poder comentar e realizar outras ações disponibilizadas pelo site.

Em janeiro de 2012, a comScore informou que o site obteve um total de 11,7 milhões de usuários únicos, tornando-se o mais rápido site da história a quebrar a marca de mais de 10 milhões de visitas únicas. 

A maioria dos usuários do site são do sexo feminino,  87% do Pinterest é composto pelo sexo feminino, sendo 97% dos likes do Facebook realizados por mulheres. De acordo com Curt Finch do Mashable, a natureza intrínseca do Pinterest é conversar com as mulheres. Pode-se argumentar que a magia do Pinterest, atingiu o gosto feminino como nenhuma rede conseguiu até hoje.

Capturadetela20130129s10.21.52

Gráfico: MDGadvertising

Como já falamos, a premissa Pinterest é simples: usuários compartilham fotos na internet que são postadas em um “muro” virtual. Para usar esta rede, os usuários tem que baixar uma barra de ferramentas que permite compartilhar imagens de qualquer site. As fotos selecionadas serão exibidas no perfil do usuário e seus seguidores na rede social podem exibir as suas coleções de fotografias e compartilhá-las, por sua vez com outros usuários da Internet.

OPORTUNIDADES GERADAS PELO PINTEREST:

A simplicidade de Pinterest esconde muitas oportunidades para o marketing, o pessoal. Citamos aqui algumas delas:

       

1. COMPARTILHAR PRODUTOS

A maneira mais óbvia de usar Pinterest a promover uma marca é que compartilhar fotos de seus próprios produtos através desta rede. Desta forma, as marcas podem criar catálogos virtuais de produtos e também mostrar aos clientes potenciais seus itens mais populares.

2. ADICIONAR IMAGENS PARA A SEÇÃO PRESENTES

    

Quando você cria uma entrada para adicionar fotos para Pinterest, o usuário pode adicionar uma descrição de preço. Quando você selecionar esta opção, você pode adicionar um link que redireciona os usuários para o site da marca. Imagens adicionadas desta maneira são incluídas automaticamente na seção de presentes, que funciona como um catálogo virtual de ideias para presentes potenciais.

3. DESTAQUE SERVIÇOS 

Nem todas as marcas vendem produtos, mas Pinterest também é interessante para empresas que oferecem serviços aos seus clientes. A chave é encontrar a maneira mais atraente para representar visualmente esses serviços.

4. MAXIMIZAR OS ESFORÇOS DE SEO

Quando as marcas postam imagens de seus produtos no Pinterest têm a oportunidade de maximizar sua estratégia de SEO e redirecionar tráfego para seus sites. Isso é importante para escrever descrições que atraem o público-alvo e incentivá-lo a visitar o site da marca. Outra opção é compartilhar coleções de fotos da marca do Pinterest, através de outras redes sociais como Facebook e Twitter.

5. INTERAÇÃO COM USUÁRIOS

     

O Pinterest é uma rede social, de modo que as marcas nesta plataforma tem que tomar o cuidado de construir relacionamentos e construir uma comunidade em torno de suas respectivas empresas. Para isso, é essencial interagir com os usuários, dizer obrigado quando eles compartilham imagens de marca, seguir outros usuários, e encorajar o feedback da comunidade.

pinterestbranding

COMO USAR O PINTEREST PARA AJUDAR SUA MARCA A CRESCER:

Ok, agora que já sabemos para que serve, vamos descobrir como usar Pinterest para ajudar a sua marca crescer?  O Pinterest tem vários benefícios, mas vamos citar apenas 3 benefícios significativos (no marketing e comunicação):

  1. Lançamento de novos produtos promocionais
  2. Criando novas conexões
  3. Procure a inspiração para desenvolver novos projetos

     

PROMOVER NOVOS PRODUTOS

É o local ideal para criar um espaço completamente dedicado a uma gama de produtos. Com a criação dos boards, você  publica fotos de alguns produtos específicos ou customizados, desenvolver boards capazes de posicionar-se de forma inequívoca dentro de uma área específica de interesse, será uma primeira entrada positiva para gerar interesse por parte dos usuários.

A frequência no qual você publicar conteúdo vai ter grande impacto sobre as visitas ao seu site. Portanto, quanto mais você postar, mais um está exposto, maior a chance de repin.

CRIAR NOVAS CONEXÕES COM PINTEREST

Como qualquer outra mídia social, o Pinterest oferece a possibilidade de criar um pequeno perfil na página principal de sua conta. Apresentando brevemente, acrescentando as suas próprias fotos, links para outras contas sociais como Facebook e Twitter, feeds RSS e link para o site, trabalhando de forma consistente, assim irá fornecer um perfil útil, que irá gerar tráfego consistente.

Para aqueles que gerenciam uma marca pessoal, vamos supor que o diretor de arte ou fotógrafo, Pinterest se torna o lugar ideal para carregar seu portfólio com rapidez e garantir a rápida divulgação e exposição.

VIRALIZAÇÃO DOS PINS NO TWITTER E FACEBOOK

Conteúdos do Pinterest publicados no Facebook e Twitter viralização de forma imediata. Além disso, se você está à procura de inspiração, qualquer que seja seu campo de filiação, o mecanismo do busca do Pinterest é altamente sintonizado para detectar as tendências mais importantes do momento. Talvez postado por seus concorrentes.

ALGUNS CONSELHOS FINAIS SOBRE COMO TORNAR SUAS POSTAGENS MAIS ATRATIVAS:

  1. Organizar e distribuir as imagens em boards marcadas com tags específicas
  2. Ilustrar seus produtos e serviços
  3. Identifique seu nicho e crie uma referência dentro de um séquito de seguidores postando conteúdo interessante e relevante.
  4. Publique conteúdo exclusivo [e não apenas alguém] para oferecer um valor acrescentado para os seus seguidores.
  5. Procure desenvolver conversas e interações em torno do alcance de seu interesse.

 

Fonte:Gestor de Marketing

Read More