26 nov Google lança programa para agências de marketing digital

Com foco no mercado brasileiro de pequenas e médias,Google Partners oferece frentes de suporte e capacitação para profissionais e empresas do setor

GooglePartnersO Google anunciou hoje (26/11) o lançamento nacional do Google Partners, programa global de suporte a agências e profissionais de marketing digital. Com foco no mercado de pequenas e médias, a iniciativa é baseada na melhoria do uso das soluções de publicidade da empresa – como o AdWords – e oferecerá aos participantes benefícios como treinamento à distância, acesso a pesquisas, descontos sobre campanhas e networking com parceiros e clientes.

Disponível no mercado americano desde o início de outubro, o programa também apresenta uma frente de certificação – os membros que apresentarem o domínio das práticas recomendadas pelo Google receberão um selo de aprovação do Google Partners. “Muitas empresas contam com profissionais e agências para gerenciar suas campanhas de marketing digital”, diz Susana Ayarza, Diretora de Marketing B2B do Google Brasil. “Estamos nos comprometendo a oferecer treinamentos e recursos necessários para que eles possam continuar a ajudar as empresas brasileiras em suas estratégias online.”

Fonte: PEGN

Read More

26 nov Rede de relacionamentos Badoo supera Google+ e Twitter no Brasil

Badoo

O Facebook lidera o ranking das redes sociais mais populares do Brasil, com 73% de participação entre os internautas do País, seguido pelo YouTube, com 16%. Os dados são da mais recente pesquisa da Serasa Experian, que considerou a audiência do último mês de outubro.

A novidade fica por conta da rede de relacionamentos Badoo (1,20%), que no mês passada superou Google+ (1,15%) e Orkut (0,97%). O ranking conta ainda com o Yahoo! Respostas Brasil (0,94%), seguido do Twitter (0,90%), Ask.fm (0,89%), Bate-papo UOL (0,81%) e LinkedIn (0,31%).

Segundo a Serasa Experian, o brasileiro passou em média 25 minutos e 32 segundos no Facebook durante o mês de outubro. No YouTube, o tempo dispensado foi de 19 minutos e 47 segundos. A pesquisa aponta ainda que as pessoas que mais acessam plaformas sociais online no Brasil têm entre 25 e 34 anos (27,65%), seguidas do grupo de 18 a 24 anos (23,16%), 35 a 44 (20,36%), mais de 55 (14,87%) e entre 45 e 54 anos (13,95%).

O Sudeste concentrou a maior participação de visitas às redes sociais em outubro, com 57,03%. Em segundo lugar, aparece a região Sul (18,45%), seguida de Nordeste (12,80%), Centro-Oeste (8,06%) e Norte (3,65%). Já os estados do país com a maior participação de visitas às redes sociais no mesmo período foram São Paulo (33,91%), Rio de Janeiro (12,85%), Minas Gerais (10,33%), Paraná (7,48%) e Rio Grande do Sul (7,19%).

SerasaExperian

Fonte:Proxxima

Read More

12 nov Conheça o TinCan, a rede social que dispensa internet

TinCanRedeSocial
Uma rede social que não precisa de internet. Pode parecer um pouco estranho, mas esta é a proposta do TinCan, aplicativo que se assemelha bastante a um Twitter, mas que não depende em nada do sinal do celular ou de conexão à internet para propagar uma mensagem.

Tal qual o Twitter, ele permite que você poste qualquer coisa publicamente, mas cada usuário decide o que irá receber em sua timeline. Você pode seguir outras pessoas para receber especificamente o que elas postam.

No entanto, por não usar a internet, o alcance das mensagens que você divulga é bastante curto. Ele está restrito ao alcance do sinal de rádio do Wi-Fi emitido pelo seu celular, mas é aí que entra outra característica única do aplicativo: ele permite que a mensagem passe de celular para celular que tenha o app instalado, possibilitando que o seu “tuíte” possa chegar a lugares onde você nem imagina. Claro, ele também depende de que muitas pessoas tenham o aplicativo instalado para isso.

Desta forma, o TinCan não é ideal para conversar com alguém próximo. Ele conta com um atraso grande na entrega das mensagens e não tem muita privacidade, então é mais fácil falar com a pessoa presencialmente, ou, utilizar outro aplicativo que utilize a internet. Entretanto, se você for se comunicar com uma multidão, a teoria diz que não há nada melhor.

A história recente mostra o problema que é suprir a demanda de internet quando há aglomerações humanas. Basta lembrar o caso dos protestos de junho, em que pouquíssimos conseguiam conectividade. A circulação de informação nestes casos pode ser importantíssima para a segurança de todos. Em regimes mais autoritários, pode haver até mesmo um corte das redes de dados, o que impediria totalmente a divulgação de informações, mas o TinCan permaneceria funcionando.

Outros usos que o Daily Dot sugere incluem pessoas atingidas por desastres naturais, nos quais as comunicações ficam bastante escassas. Normalmente, redes celulares e internet se tornam artigos de luxo nestas ocasiões e pode ser importante trocar informações com os próximos e espalhar dados.

Contudo, o desenvolvedor Mark Katakowski também prevê usos em situações mais frívolas também. Usuários poderiam tirar proveito da funcionalidade do TinCan em shows, eventos esportivos, festivais e outros espaços onde a conectividade possa estar limitada por um número excessivo de tentativas de conexão.

Há, no entanto, um problema, que é reconhecido pelo próprio desenvolvedor. O sistema de transmissão, de aparelho para aparelho, possibilitaria uma disseminação facílima de malware e vírus. Além disso, as mensagens disseminadas pelo TinCan não possuem nenhum tipo de informação que as ligue a um celular em específico, tornando-as irrastreáveis.

Por enquanto, o TinCan está disponível apenas para o Android (confira aqui), mas deve ser lançado para o Windows Phone em breve. Pela natureza do aplicativo, Katakowski duvida que ele consiga ser lançado na App Store, pelas restrições da Apple e possível ameaça à segurança do usuário do iOS.

Fonte:OlharDigital

Read More

08 nov 10 mandamentos do Rei do SEO

O-rei-do-SEO

Para agregar valor ao Camarote do SEO, confira os Dez Mandamentos que fazem de alguém o Rei do SEO. Todos podem estar na Pista do SEO, e lá você fica imperceptível, porém ao Camarote do SEO nem todos conseguem chegar. Só o Rei e seus convidados.

Se você quer ter ‘statis’ e agregar muitas visitas (e conversões, claro!) ao seu site, descubra o que faz o Rei do SEO e monte também o seu camarote com os seguintes “quesitos”:

1. RECEBA LINKS DE GRIFE

Os melhores links são os mais difíceis, mas, ao mesmo tempo, os que mais agregam valor ao seu site. Para ser um Rei do SEO, você deve ser mencionado por sites que sejam realmente de grife, e não apenas ‘statis’.

2. SEU SITE DEVE SER RÁPIDO COMO UM CARRÃO

Um carro deve ser rápido para que você chegue antes ao seu destino. Para as pessoas chegarem antes ao seu site, ele também deve ser. Quem não quer ter um site rápido como uma Ferrari?

3. NO CAMAROTE DO GOOGLE SÓ ENTRAM 10 PESSOAS

O Rei do SEO sempre almeja a melhor posição, e o Camarote do Google é a primeira página.

O camarote é para poucos, na pista do SEO há cerca de 23.748.382 resultados.

4. SERVIÇO EXCLUSIVO É CONTAR COM UMA BOA AGÊNCIA

Quem fica no camarote não põe a mão na massa e tem pessoas para servi-lo.

O Rei do SEO é aquele que só colhe os frutos e por isso conta com a melhor agência de SEO, que vai ser responsável por cuidar de todos os detalhes para que só precise estourar a champanhe a cada bom conteúdo e pico de acesso que for alcançado!

5. SEGURANÇAS QUE IMPEÇAM O BLACK HAT

O Black Hat pode ser fatal à integridade física do seu site. Portanto, esteja sempre certo de que seguranças estarão lá para protegê-lo.

6. CONTEÚDO BOM É CHAMPANHE

Só é Rei do SEO mesmo quem investe em conteúdo de qualidade. Pois só conteúdo de qualidade tem ‘statis’ para o Google. Um camarote não pode ter plágio, conteúdo de baixa qualidade e não há keyword stuffing.

Quando o conteúdo fica bom, vale a pena estourar uma champanhe com fogos para comemorar o ‘statis’ que ele agrega ao Google Analytics.

7. TENHA AUTORES FAMOSOS

Você já deve saber que o Google também utiliza dados de autores para avaliar a autoridade de um site ou artigo. Autores famosos, altamente compartilhados e requisitados, costumam trazer grande audiência a um site e devem marcar presença com seu bom conteúdo no camarote do SEO.

Descubra mais sobre como aproveitar o ‘statis’ dos famosos implementando o Author Rank.

8. MULHERES DEVEM ESTAR NO CAMAROTE DO SEO

As mulheres têm cada vez mais conquistado seu espaço no mercado de trabalho. Com o SEO, não é diferente. Por isso, é sempre bom ter em seu camarote mulheres inteligentes que consigam criar estratégias e dar aquele toque feminino que faz toda a diferença nos resultados gerados.

9. CONVERSÕES SÃO MÚSICA PARA SEUS OUVIDOS

Do que adianta ficar bem posicionado se seu site não gera conversões?

Por isso para ser o Rei do SEO e administrar um império milionário, defina muito bem quais são os seus KPIs com o seu planejamento estratégico e acompanhe para a música das conversões tocar alto no seu Google Analytics.

10. INSTAGRAM TAMBÉM É CONTEÚDO

Engana-se quem pensa que conteúdo é só texto. Conteúdo é tudo aquilo o que gera comunicação com o usuário e embora o algoritmo do Google não use diretamente dados de redes sociais, é ótimo para você manter todos os canais de comunicação em social media abertos com o seu cliente.

Você também pode compartilhar no Instagram o sucesso do seu Google Analytics:

INSTAGRAM TAMBÉM É CONTEÚDO

Fonte:Conversion

Read More

08 nov Marketing B2B: 6 dicas para otimizar as vendas na Era do Mobile Social

 socialMobile

Nos dias de hoje ter um simples website já não é suficiente para gerar conversões de vendas. Para obter sucesso na web é necessário investir em um design atraente, mecanismos simples de busca, conteúdo relevante e que se conecte com a presença da sua marca nas redes sociais, o que ajudará a sua empresa a impulsionar novos negócios.

Diante deste cenário, é importante ressaltar que a porcentagem de visitantes a sites B2B que o fazem através de dispositivos móveis teve um aumento de 50% no último ano (Webbiquity), e mais de 59% dos decisores e influenciadores B2B usam seus smartphones para acessar informações sobre a compra de produtos ou serviços (eMarketer 2012). Além desses números, outra informação relevante é que os profissionais de marketing elencam as mídias sociais como o segundo mais importante canal de buscas de informações sobre produtos e serviços.

Com isso, o crescente uso das mídias sociais e dos dispositivos móveis entre os consumidores traz aos profissionais de marketing vários elementos-chave que devem ser considerados para ajudar a alavancar as taxas de conversão do seu site:

1.   Leve em consideração os comentários e depoimentos de clientes:

Cada vez mais consumidores estão investindo seu tempo na busca por produtos antes mesmo de serem comunicados pelas empresas. Entre as primeiras informações que esses prospects buscam estão os depoimentos de outros clientes. Eles querem conhecer a experiência que outros consumidores tiveram com o produto ou serviço antes de investirem seu tempo e dinheiro. Por isso, as empresas devem estar atentas a esta necessidade incluindo tais depoimentos, tanto na versão padrão, quanto na mobile do website. Também, é importante estar atento ao que estão dizendo sobre a empresa através dos diversos canais sociais para poder rapidamente solucionar eventuais casos de insatisfação.

2.   Pergunte apenas o que é importante:

Quanto mais obstáculos você inclui no caminho entre o cliente e a conclusão da compra, maiores as chances dele desistir antes de finalizá-la. Se você está tentando coletar informações através de um formulário, não pergunte nada de que você não precise. Recomendamos manter formulários com, no máximo, quatro campos (os três mais comuns são: nome, sobrenome e email). Além disso, considere também o uso de um perfil progressivo e ferramentas que extraiam os dados das mídias sociais para reunir e integrar informações adicionais ao seu banco de dados.

3.   Ofereça um conteúdo relevante:

O crescimento do uso das mídias sociais tem sido acompanhado pelo crescimento do marketing de conteúdo. Se o seu objetivo é fazer com que formadores de opinião, decisores e consumidores convertam suas ideias através de white papers, webinars, guias, artigos em blogs, ou em qualquer outro formato, esses conteúdos precisam de fato ser relevantes. Um recente estudo realizado pelo B2B Marketing Insider identificou que os fornecedores que produzem conteúdo de baixa qualidade são 27% menos propensos a serem considerados no processo de decisão e têm 40% menos chances de ganhar o negócio.

4.   Enfatize a experiência positiva do usuário e o design intuitivo:

A conversão deve ser simples e rápida, com o mínimo de distrações. O cliente não deve esperar mais do que alguns segundos para o carregamento da página, e os próximos passos devem sempre ser simples e fáceis de identificar. No acesso móvel, isso significa criar botões grandes e óbvios o suficiente para que se destaquem, orientando o consumidor a clicar neles. Certifique-se de visualizar seus projetos de páginas e templates de email em um layout móvel (em vários tipos de dispositivos e provedores de email, se possível) para que você saiba como os usuários irão visualizar o seu design.

5.   Os altos executivos da empresa devem estar nas mídias sociais:

Um estudo da eMarketer verificou que 77% dos compradores preferem comprar de uma companhia em que seu CEO interage ativamente nas redes sociais, enquanto 94% disseram que a participação de uma marca nas mídias sociais melhora a sua imagem. É importante que a empresa tenha presença nesses canais, e não se deve subestimar a relevância do envolvimento dos altos executivos.

6.   Analise os dados:

O tráfego que chega ao seu site provém de todos os canais, principalmente dos digitais. Você pode usar um serviço de análise para avaliar quais desses canais estão gerando um maior número de conversões, o que irá ajudá-lo a identificar as campanhas e canais em que você deve concentrar mais esforços e investimentos. O rastreamento de páginas com altas taxas de rejeição pode ajudar a diagnosticar as áreas problemáticas que estão impulsionando os consumidores a deixarem o seu site. As análises podem até mesmo revelar quais palavras-chave têm as maiores taxas de conversão, para que você saiba para onde e como direcionar a sua mensagem.

Artigo encaminhado por Edson Barbieri, Managing Director da ExactTarget LATAM, provedora global de soluções SaaS (Software as a Service) para marketing digital interativo cross-channel.

 Fonte:Adnews

Read More

06 nov Qual o ROI ideal para suas Campanhas?

Devido à grande concorrência do mercado, é preciso mensurar cada uma de suas campanhas, sejam de links patrocinados, mídia ou e-mail marketing, ou ainda o ROI que traz o trabalho de SEO – seja este realizado in-house ou através de uma empresa especializada.

Para as pessoas ou empresas que possuem site institucional ou um e-commerce, conhecer seu ROI (Retorno Sobre o Investimento) é essencial, pois demonstra se você está lucrando ou tendo prejuízo em relação ao investimento realizado com suas operações online.

Antes de definirmos o ROI ideal, vamos primeiramente aprender a calcular o ROI.

Como calcular o ROI

O ROI pode ser calculado pela fórmula mais completa (ROI) ou pela mais simplificada (ROI’), que pode ser a mais utilizada, pois é de mais rápido entendimento e comunicação. Independente da sigla utilizada, o importante é compartilhar o mesmo conceito com a pessoa com quem se compartilha as métricas:

  • ROI = Margem/ Custo = (Receita – Custo)/Custo
  • ROI’ = Receita/Custo

Para SEO, o ROI é medido pelas informações financeiras de suas ações e resultados.

  • ROI SEO = Margem SEO/Custo SEO
  • ROI’ SEO = Receita SEO/ Custo SEO

Para obter as informações é necessário entender as métricas do seu site ou e-commerce, pois em alguns momentos você deve utilizar tais métricas para calcular o custo e a receita.

Custos para serem considerados em SEO

Teoricamente, o SEO é a forma gratuita de estar bem posicionado nos resultados de busca, porém, devemos levar em consideração que o tempo é um custo, pois existe uma equipe responsável pela otimização do site. E também existem várias ferramentas pagas para você realizar as suas análises detalhadamente.

Muitas empresas investem em empresas especialistas em SEO devido ao core business e ao know-how de todas as atividades exigidas, além de uma certeza maior de obter um melhor ROI.

Calculando a receita para SEO

Para sites institucionais, normalmente calculamos a receita de acordo com as conversões (assinatura de newsletter, contato, cadastro, etc.). Os dados de conversões podem ser obtidos pelo Google Analytics.

Pelo histórico da sua empresa, você deve conhecer as métricas importantes para o calculo da sua receita, que são a Taxa de Conversão (CR) do seu site, a média de Quantidade de Visitantes (Q) por mês da busca orgânica e o Preço (P) do seu serviço/ produto que está oferecendo no site.

Podemos calcular a receita pela fórmula:

R = CR x Q x P

Em um exemplo, supondo que o CR é 0,5%, Q é 10000 e o P é R$100, temos:

R = 0,5% x 10000 x 100

R = 5000

Significando que para cada 10.000 visitas, cerca de 50 pessoas convertem e cada uma delas pagam R$100,00. Gerando a receita de R$5000,00.

Para e-commerces, normalmente calculamos a receita de acordo com a receita obtida pelas vendas realizadas pelos usuários vindos da busca orgânica. Os dados podem ser obtidos pelo e-commerce tracking do Google Analytics. Ou você pode calcular sua receita mais genericamente, você pode utilizar as métricas da taxa de conversão (CR), quantidade de visitas (Q) por mês da busca orgânica, e o ticket médio das suas vendas (TM).

Exemplos

Após mostrarmos como calcular a receita e os custos, vamos calcular o ROI.

Em um cenário hipotético, com Receita de R$5000 e Custo de R$1000, temos como ROI:

ROI = (5000-1000)/1000

ROI = 4

ou

ROI’ = 5000/1000

ROI’ = 5

Na análise do ROI (ROI). Podemos dizer que para cada R$1,00 investido em SEO, você obtém um LUCRO de R$4,00.

Na análise do ROI simples (ROI’), podemos dizer que para cada R$1,00 investido em SEO, você obtém um RETORNO de R$5,00.

Qual o ROI de minhas campanhas?

Naturalmente, cada empresa deve planejar visando a um ROI conforme a sua estratégia de negócios. Não há uma receita para trabalhar o retorno que a sua empresa vai ter com cada um de seus investimentos. Porém, podemos analisar o ROI médio que encontramos no mercado e assim definir as melhores estratégias. Utilizaremos o cálculo de ROI’, para fins didáticos.

  • Google AdWords: em geral seu ROI’ vai de 3 a 15, ficando numa média de 5.
  • ROI de SEO: em geral seu ROI’ vai de 5 a 20, ficando numa média de 12,5.

Os números acima representam o que encontramos no mercado de e-commerce, que pode ou não se aplicar ao seu caso ou a sites institucionais.

E se a campanha não se pagar?

Para muitas operações de e-commerce, talvez o ROI gere uma margem negativa com a venda de um produto. Trata-se de um problema real, principalmente entre lojas virtuais, que têm a margem muitas vezes bastante apertada. Neste caso, as operações de e-commerce devem começar a trabalhar com o Ciclo de Vida do Cliente, analisando por quanto tempo em média um cliente vai comprar de sua loja e quais serão os esforços e investimentos futuros para gerar uma nova venda.

Recomendamos, no cenário atual, que as empresas foquem em atrair o cliente para uma primeira compra, com o objetivo de chegar ao breakeven, ou seja, você não obtém lucro nem prejuízo. O maior ativo que uma empresa tem é a sua carteira de clientes que, com bons esforços de CRM (customer relationship management), pode gerar negócios muito bons a longo prazo através da fidelização e “evangelização” dos mesmos.

Fonte:Imasters

Read More