07 out “x estão falando sobre isso” é a nova métrica do Facebook

Nos últimos dias, depois do anual “Advertising Week“, surgiu um novo número nas fan pages de várias pessoas. Localizado abaixo do número de fãs da página, agora temos o “estão falando disso“. A nova métrica faz parte da novidade em relação ao painel de análise de dados das páginas, que deve ficar como na imagem abaixo:

facebook fan page insights novo x estão falando sobre isso é a nova métrica do Facebook

Segundo noticiado pelo Mashable, o objetivo é motivar as empresas a tornarem suas páginas mais interativas, já que o número é relativo ao engajamento de seus fans.

Ainda não ficou bem claro como o número mostrado é medido em relação ao tempo (é dia, semana, mês, ano?) ou como ele é medido exatamente (ao que se pode perceber é relativo aos usuários engajados com suas publicações).

Neste novo painel também vai haver uma aba mostrando suas últimas 500 publicações, dando espaço para você analisar taxas de engajamento, pessoas falando sobre e a viralidade dentro destas suas últimas publicações.

Veja um pouco mais sobre este novo painel:

aba analytics completa x estão falando sobre isso é a nova métrica do Facebook

Fonte:Midiatismo

Read More

05 out 10 maneiras eficientes de usar e-mail marketing “do bem”

Mesmo quarentão e enfrentando diversos concorrentes ao longo do tempo (como chats, SMS e agora as tão badaladas redes sociais), o e-mail continua mantendo a fidelidade de seus usuários. Segundo recente pesquisa realizada pela Gfk, o e-mail foi apontado como a principal ferramenta da web por 44% dos entrevistados, à frente das redes sóciais (39%).

Se ele já é importante para a comunicação normal do dia-a-dia, é ainda mais essencial para o e-commerce, o foco deste artigo. De acordo com estudo apresentado pela e-Consultancy durante a última versão do Shop.Org, principal evento de comércio eletrônico do mundo realizado nos EUA, 90% dos consumidores considera o e-mail a melhor ferramenta de comunicação com as lojas.

Não pense que esse prestígio é decorrência da rapidez ou interatividade do correio eletrônico. Nestes aspectos ele perde feio para redes sociais como Twitter, Facebook, Foursquare e Skype, só para citar o que está na moda hoje. O seu grande trunfo é o de permitir às empresas personalizar suas mensagens de acordo com os diferentes interesses dos clientes, de forma sistemática.

O modelo de e-mail marketing que funciona e é aprovado por quem recebe é exatamente o oposto do spam. Ao contrário da mensagem aleatória e indesejada, o e-mail eficiente foi solicitado pela pessoa que o recebe por ter conteúdo de seu interesse. Em vez do chato insistente “e-mail do mal”, ele é o vendedor prestativo, que procura entender o que você quer. Sempre alerta o cliente sobre as promoções relativas aos produtos de sua preferência, oferece ofertas especiais, inclusive um cupom de desconto em toda a loja como presente de aniversário. Enfim, o faz se sentir exclusivo.

Cada vez mais utilizado pelas empresas de e-commerce, esse “e-mail do bem” vem sendo chamado, não por acaso, de “régua de relacionamento ou atendimento”. A “régua” é uma escala que serve para medir o grau de envolvimento do cliente com a empresa em diferentes níveis desde o momento em que cadastra seu e-mail na loja. Analisando dados pessoais (sexo e idade, por exemplo), freqüência de abertura das mensagens e produtos que mais lhe interessam, é possível identificar grupos de consumidores com perfis muito próximos (os chamados “clusters”) e dirigir mensagens cujo conteúdo tem maior potencial de chamar a atenção e gerar conversões.

Segmentando seus clientes por clusters, uma loja pode enviar e-mails de ofertas específicas para cada grupo. Por exemplo, cremes de rejuvenescimento para mulheres com mais de 35 anos, ou celulares com fácil acesso às redes sociais para jovens de 25 anos. Pode também detectar pessoas pessoas que deixaram de acessar os e-mails com freqüência e encaminhar um desconto especial para que voltem a comprar na loja.

O trabalho exige monitorar constantemente estas informações, mas os resultados compensam. No Brasil já existem casos de empresas que conseguiram aumentar a taxa de CTOR (número de e-mail abertos com cliques nas ofertas) de 0,2% para 19%. Significa que, se antes duas em cada 100 pessoas clicava em alguma oferta oferecida na mensagem, com a régua de relacionamento esse índice passou para 19 a cada 100, multiplicando na mesma proporção o potencial de venda.

Há medida que o conceito da régua de relacionamento se dissemina, mais as ferramentas e soluções de e-mail marketing relacionadas a ela se tornam acessíveis. Mas além da tecnologia é essencial planejar a melhor forma de se relacionar com os clientes. As principais recomendações dos especialistas nesse sentido são:

1. Fuja da tentação fácil de comprar listas genéricas ou usar listas de terceiros. Enviar propaganda sem consentimento tem alto potencial de ser encarado como spam não só pelo destinatário como também pelos próprios gerenciadores como Gmail, Yahoo! e Hotmail, que irão direcioná-la direto para a lixeira da caixa postal.

2. Siga as determinações do código de autorregulamentação para prática de e-mail marketing (http://www.capem.org.br/), criado pelas associações e entidades relacionadas à gestão de internet, publicidade e marketing digital para definir as boas práticas no segmento.

3. O consentimento do cliente em receber suas mensagens vale ouro. Não perca qualquer oportunidade para captá-los.

4. Analise minuciosamente os relatórios de disparos de e-mail para identificar padrões de comportamento, de modo a identificar os clusters (grupos de interesse em comum). Definidos estes clusters, é possível segmentar as ofertas enviadas por sexo, idade, região, etc.

5. Quanto mais informações e detalhes você pedir no cadastro para recebimento de e-mails, menor o interesse da pessoa em preenchê-lo. Portanto, de início limite-se aos dados essenciais (nome completo, e-mail, idade) e, à medida que o relacionamento com o cliente evoluir, solicite um complemento das informações oferecendo sempre algo em troca (desconto, brinde, etc.). Assim você poderá personalizar cada vez mais a sua comunicação com os consumidores mais relevantes.

6. Além de segmentar de acordo com os interesses e características pessoais, crie campanhas diferenciadas e exclusivas para quem recebe os e-mails. Ao mesmo tempo em que você valoriza suas ofertas, faz a pessoa que as recebe se sentir especial.

7. Não perca a oportunidade de retomar contato com quem deixou de abrir seus e-mails. Ofereça um desconto ou um brinde para reativar o interesse.

8. Vale a pena investir tempo e esforços para identificar os motivos de descadastramento. Pode-se descobrir o que está gerando insatisfação e corrigir o problema e até mesmo reverter a situação.

9. Abuse dos e-mails de relacionamento: agradecimento pelo cadastro e pela compra, confirmação de pedido, confirmação de pagamento, status do pedido, etc. Já está comprovado que este tipo de comunicado deixa o cliente mais seguro e aumenta a credibilidade da loja.

10. Cadastre-se para receber e-mails e newsletters dos concorrentes e principais sites de varejo para avaliar o que você também pode aplicar em sua empresa.

 

Fonte:ecommercenews

Read More

05 out Conteúdo sindicado para e-commerce

Existe muita conversa agora sobre a recuperação do algoritmo Panda. O SEOmoz não é exceção: perguntas no FAQ, webmasters limpando seu conteúdo, e muito mais. Os webmasters estão tomando o controle de seus sites, criando conteúdos originais, e certificando-se de que esse conteúdo possa ser encontrado permitindo que os usuários (e os robôs) saibam sobre ele.

Então me surpreendeu quando um grande cliente me pediu para ajudá-lo a combater um projeto interno que iria colocar conteúdo duplicado em seu site. Eles estão no espaço do e-commerce e têm o problema de vender produtos que muitas outras empresas também vendem. O conteúdo duplicado corre solto aqui na forma de descrição de produtos. O fabricante cria uma descrição para os revendedores, e é isso que todo mundo usa. Ele é sancionado a partir da fonte e nenhum redator é necessário. Parece ótimo, até que o produto é levado para centenas de outros sites e todo mundo tem o mesmo conteúdo. Quem deveria posicioná-los?

Como a maior parte das grandes empresas (como meu cliente), essa decisão foi tomada por outra pessoa, e o time de SEO gritou em oposição. Então eles me pediram provas de que ter um conteúdo único era tão necessário quanto todos estavam dizendo.

Feito. E adivinhe só? O Google me apoiou (em pelo menos 3 exemplos). Então pensei em compartilhar meu melhor exemplo e minhas dicas para ajudar outros sites de e-commerce a lidar com essa situação agora e no futuro.

Bodum Fyrkat Nipper

Não existe retratação nesse caso, pois escolhi esse produto de maneira completamente aleatória no Amazon. Eu comprei um grill recentemente do mesmo fabricante e sabia que existiam muitos vendedores desse produto. Eu queria algo que fosse legal e ao mesmo tempo comum. Portanto, eu usei as “linguagens do grill” para procurar por exemplos de outros vendedores. Meu objetivo era mostrar que conteúdo duplicado na forma de descrição de produtos não ajuda a rankear a página do produto, então o primeiro passo foi encontrar vários vendedores do produto.

Encontre a informação do vendedor

Para identificar os vendedores, eu usei buscas pelo nome no produto, numero do produto, um pedaço da descrição do produto do fabricante (e uma vez identificada, a descrição fornecida pelo fabricante), e algumas críticas que não paravam de aparecer. Eu notei que muitas páginas que tinham a descrição padrão do produto tinham as mesmas duas críticas também. Uma maneira fácil de identificar uma página sem conteúdo original. As páginas de produto identificadas (cheque a URL canônica) foram então checadas por autoridade de página e domínio.

Quando as páginas forem checadas, você verá uma tendência nas descrições, e será capaz de identificar que o fabricante as alimentou. Note quais sites escrevem suas próprias descrições, e quais usam as mesmas de todo mundo. Abaixo está uma lista de nossos competidores e seu domínio (DA) e autoridade de página (PA) em ordem de força, agrupados por tipo de conteúdo. A partir disso, vamos considerar, baseados na força, que Amazon, Zappos, Cooking.com ou Epicurious teriam mais chance no ranking.

Conteúdo Original

  • Amazon.com – 97 DA, 1 PA
  • Zappos – 90 DA, 46 PA
  • Bodum – 62 DA, 35 PA
  • Maple Run Emporiums – 18 DA, 20 PA

Conteúdo Duplicado

  • Epicurious – 89 DA, 1 PA
  • Cooking.com – 78 DA, 42 PA
  • Betty Crocker – 72 DA, 1 PA
  • CSNStore.com – 70 DA, 1 PA
  • Food Network Stores – 64 DA, 1 PA
  • Buzzillions – 61 DA, 1 PA

Encontre a frase chave e os rankings

Mas o que estamos rankeando? Normalmente, eu usaria uma variação do nome do produto, mas a Amazon me jogou uma bola curva: eles renomearam o produto para ajudar com a busca interna. Ao invés de Fyrkat Grill Nipper,eles usam o nome Fyrkat Grill Tongs. Essa decisão faz mais sentido para mim, e estou pressupondo que isso ajuda com a busca interna também. Mas eu não queria simplesmente aceitar a palavra da Amazon. Sempre cheque qual termo é melhor de acordo com os buscadores.

Para testar, eu olhei na Ferramenta Keyword Difficulty do SEOmoz e coloquei três palavras-chave. Nenhuma delas tinha números de tráfego do Google, mas a dificuldade de Fyrkat Grill Nipper foi maior. Isso fez sentido, uma vez que mais sites usam esse nome para o produto, então a competição é mais feroz. O impacto que isso tem é que a página da Amazon provavelmente irá aparecer mais baixo que o normal porque eles nomeiam o produto de forma diferente.

Trabalhar com a Ferramenta Keyword Difficulty também te dá a visualização das posições dos sites para a palavra-chave, que é o próximo passo. 

Resultados

Os três primeiros resultados são Zappos, Bodum, e Maple Run Emporium; os outros são vídeos ou agreadadores. Esses três são sites com conteúdo original, ganhando da Amazon devido ao seu target diferenciado. O fabricante do produto é o terceiro, e minha teoria é que isso é devido ao fato de que seu conteúdo é duplicado através da internet, mas eles são o original e deveriam estar no topo.

Todas as outras grandes marcas e suas páginas de produtos não apareceram na primeira página, com a CSN sendo a única a aparecer na segunda página. Os mecanismos de busca querem mostrar aos usuários o melhor conteúdo para seu tempo, então faz sentido que os agregadores (que mostram onde o produto é vendido através da internet) e o conteúdo em vídeo estejam misturados com os vendedores que gastaram tempo em descrever o produto sozinhos.

Vencendo no e-commerce

O que eu quero que você leve com você deste artigo é o seguinte: mesmo uma parte minúscula de conteúdo original pode diferenciar a página de seus competidores.

Maple Run Emporium, dê uma olhada em seu domínio e força de página. Eles são insignificantes perto de sites como Betty Crocker e Epicurious. Ainda assim, com uma descrição escrita à mão em uma sentença, eles estão com o ranking acima dos maiores vendedores! A página deles, abaixo, é simples e direta:

Dicas vencedoras

  • Sinta-se à vontade para usar conteúdo sindicado para melhorar seu próprio conteúdo e revisões.

Faça saber que é do fabricante.

Coloque-o no final do texto na sua página.

  • Escreva sua própria descrição dos produtos. Não estamos falando de um romance, mas de algo único.

Dê o produto a alguém no escritório e peça a ele para escrever o que acha.

Use as palavras de uma crítica de um consumidor (pergunte se eles não se importam com isso através de e-mail).

Não apenas reescreva o conteúdo que você recebe do fabricante, realmente escreva o que você pensa sobre o produto.

Divirta-se com ele. Veja exemplos na Amazon e Zappos.  

  • Encoraje seus consumidores a revisar seu produto. Envie um e-mail para eles uma semana depois de eles receberem o produto e dê a eles um link para a página do produto com um pedido para criticá-lo. Veja o exemplo do Modcloth abaixo:


Este artigo é uma republicação feita com permissão. SEOMoz não tem qualquer afiliação com este site. O original está em http://www.seomoz.org/blog/ecommerce-syndicated-content-how-to-win

Fonte:Imasters

Read More

03 out Facebook tem novas ferramentas de medição e anúncio

O Facebook lança um novo tipo de propaganda e ferramenta de medição para ajudar as marcas a se comunicarem de forma mais eficiente com os usuários. Um novo recurso, o “People Talking About”  (“O que as pessoas estão falando”) mostra as atividades dos fãs em relação às publicações na página.

O Insights é um projeto que permite aos administradores irem além de impressões. As 500 mensagens mais recentes também serão listadas. Quatro indicadores serão apresentados no topo da página e medirão o engajamento dos usuários na Fan Page. Eles irão mostrar público total, os usuários envolvidos (os que fizeram algum tipo de ação em torno de um post, incluindo clicar em um link ou visualizar uma foto ou vídeo) e o número de usuários que entrou em ação mais ativa por gosto.

O gerente de produto David Baser observou que o Facebook ainda não definiu um referencial para o seu assim chamado “vitalidade”, métrica para indicar quando um post tem um bom desempenho dentro das novas percepções. As taxas variam entre as empresas, bem como o tipo de post. Uma marca que compartilha um novo vídeo pode ser menos preocupada com o número de gostos e comentários, que iria aumentar a taxa de “vitalidade”, mas ainda estar satisfeita com o desempenho do conteúdo, porque eles podem dizer que várias pessoas estavam envolvidas o suficiente para assistir ao vídeo.

O novo produto representa o fim da importânica primordial do “Like”. Agora o engajamento passará a ser o principal e os comerciantes terão as ferramentas para avaliar quais peças de conteúdo estão ressoando. “Eu acho que há uma mudança ocorrendo dentro do Facebook, onde os comerciantes não vão olhar apenas para se conectar com seus fãs, mas olhar para influenciar os amigos de seus fãs”, disse Kevin Barenblat, CEO do contexto social empresa de marketing de software opcional, que usa Facebook Insights para clientes como Levi e PlayStation. “Ativando o boca a boca-de marketing em escala é uma grande oportunidade para os comerciantes e para o Facebook.”

Dave Williams, CEO da Blinq Media, que tem publicidade na plataforma Facebook, acha que o novo Insights tem semelhannças com métricas tradicionais de pesquisa, focada no alcance de audiência.

A equipe de vendas do Facebook vai começar ainda a oferecer o novo bloco de anúncios-prêmio esta semana, disse um porta-voz. O ‘Expanded Premium Ad’, uma mistura dos ‘Social Ads’ e das ‘Sponsored Stories’, será lançado na Advertising Week em Nova Iorque, mas permanecerá opt-in somente para algum período de tempo. É esperado que o Facebook venda ao todo US $ 3,8 bilhões em publicidade em 2011, de acordo com uma estimativa da eMarketer.

Fonte:Adnews

Read More

30 set #Lógica de Buscas – Aprenda a cadastrar Buscas no Twitter

 

Ao fazer buscas nas redes sociais, muitos usuários já se perguntaram: COMO FUNCIONA O MECANISMO DE PESQUISA?

Este é o primeiro de uma série de posts que preparamos para ajudá-lo nas operações de seu monitoramento. Assim, você poderá entender a melhor forma de realizar uma busca e quais operadores pode usar.

Cada rede tem o próprio sistema de busca, com suas peculiaridades e siglas funcionais que ajudam a aperfeiçoar as buscas. O usuário que sabe usar bem esses operadores consegue o melhor resultando nos monitoramentos e extrai dados relevantes para análise.

É importante lembrar que o sistema de busca de cada site é constantemente alterado. Isso porque as redes entendem que o aperfeiçoamento desses sistemas de busca auxilia os usuários – sempre que tivermos novidades vamos incluir nos posts; se você tem alguma ideia ou sugestão de critérios de buscas nos envie!

Conseguir extrair as palavras-chave exatas dentro das redes torna-se estratégico para realizar monitoramentos eficientes em mídias sociais.

Importante: Os resultados de coleta do Scup são sempre os mesmos dos meios de pesquisa de cada rede social. Por exemplo: se você colocar a palavra doce no campo search do Twitter, os itens que serão apresentados vão corresponder aos mesmos que a ferramenta coletará se você pesquisar o termo por meio dela. Nas demais redes sociais, acontece a mesma coisa.

Vamos iniciar com as lógicas de buscas do Twitter:

Twitter

O Twitter possui um site com as possibilidades de combinações que podem ser usadas no momento do cadastro da busca: http://twitter.com/#!/search-advanced. Se você fizer suas buscas segundo essas combinações, os mesmo resultados apresentados pelo campo search serão coletados no Scup.

Quando o usuário preenche o formulário, a lógica de busca é formada e pode ser usada no Scup como no exemplo:

A única coisa que não é necessário colocar na expressão de busca é a língua – no Scup, é possível efetivar essa escolha.

* Há dois tipos de busca do Twitter: Busca e Firehose esse post é específico para Buscas, para saber mais sobre o Firehose veja neste link. Veja na imagem a baixo:

Buscas no Twitter:

Mais de uma palavra

Exemplo: Vivo Celular

Nesse caso, o espaço entre as palavras é considerado como “e”. Então, as buscas vão coletar citações que contiverem as duas palavras, mas não nessa ordem. Veja o exemplo:

Dica: É importante prestar atenção na quantidade de palavras usadas nas expressões de busca, já que Twitter não informa a quantidade exata de palavras que podem ser usadas. Caso a combinação seja muito grande, a coleta pode não trazer nenhum resultado. Por isso, é importante fazer o teste no search.com

Expressão exata

Exemplo: “Altas Horas”

Sempre que for necessário buscar uma palavra ou expressão exata, use “aspas”. Assim, o resultado das coletas serão sempre a combinação exata de palavras na mesma ordem:

Dica: Nesse tipo de busca, o Twitter não identifica símbolos. Então, caso haja algum símbolo entre as palavras “Altas Horas”, como vírgula, barras e parênteses, o item será coletado. Essa identificação não está disponível nesse tipo de busca. Para buscas exatas com símbolos, conheça a busca Firehose.

Mais de uma palavra

Exemplo: Calor OR cerveja OR verão

Dessa forma, é possível coletar várias palavras diferentes em uma mesma busca. As citações coletadas terão qualquer uma das palavras – e não necessariamente as três na mesma citação. Veja o exemplo:

Dica: Sempre nesses casos o OR deve ser digitado em CAIXA ALTA. Caso a busca seja cadastrada em caixa baixa, os resultados não serão válidos e o comando não será aceito.

Mais de uma palavra relacionada a uma principal

Exemplo: Carro antigo OR velho OR novo

Nesse caso, é obrigatório que a citação tenha a primeira palavra, como o exemplo: “Carro” e o sistema de busca procura as outras palavras. O OR funciona como “ou”, logo, será coletado carro antigo ou carro velho ou carro novo ou carro caro.

Mas isso não significa que elas serão coletadas nesta ordem: as citações terão necessariamente a primeira palavra + alguma da expressão.

Dica: sempre coloque a primeira palavra com um dos termos sequenciais sem o OR, como no exemplo: carro antigo OR velho. Assim, o sistema de busca entende que a primeira palavra é obrigatória.

Exclusão de palavras

Exemplo: cerveja -gelada -beber -futebol

Para excluir alguma palavra da sua busca, basta usar o símbolo “-“ (menos). Assim, as palavras que você não quer que entre em seu monitoramento não serão coletadas. É uma forma de economizar itens coletados e eliminar os itens antes da coleta.

Dica: Nesse caso, siga a mesma orientação de tamanho de expressão. O Twitter não informa a quantidade de palavras específicas, por isso, faça o teste antes para ter certeza que os itens que deseja serão coletados.

#Hashtag

Exemplo: #Aliga

Hoje, o Twitter permite na busca coletar o símbolo #Hashtag. Se precisar mensurar uma campanha, basta criar uma busca com as palavras exatas que deseja coletar.

Busca por publicação de Usuário

Exemplo: scup_

Dessa forma, é possível monitorar tudo que um perfil publica, mas não coletar conversas entre perfis. O resultado seria somente o publicado pelo perfil que está sendo monitorado.

Dica: Para criar essa busca no cadastro do Scup, escolha a opção usuário, coloque o perfil e será monitorado tudo que esse este publicar. Veja na figura:

Busca tweets para Usuários

Exemplo: to:scup_

Se o objetivo da busca é monitorar somente as menções encaminhadas para um determinado perfil, o cadastro da busca deve ser feito como no exemplo. Veja:

Dica: Sempre que for cadastrar esse tipo de busca, não usar espaço entre as palavras e colocar o perfil de forma correta.

Busca por País ou Cidade

Exemplo: Social near:”Brasil”

Além da possibilidade de filtrar por língua, existe a opção de filtrar por país, estado ou cidade. Como no exemplo, a coleta deve ser feita de tudo que se fala no Brasil, mas em todas as línguas. Há casos que os resultados devem conter citações de mais de uma língua, mas a origem deve ser de determinado país por exemplo.

Usando o near é possível selecionar a localização desejada. O Scup trabalha sempre com 2500 km automaticamente – lembrando que no Twitter a distância é calculada por Raio, logo, o Twitter delimita o centro do Brasil, por exemplo, e um raio de 2500 km a partir daquele centro.

A distância do raio pode ser determinada no momento do cadastro da busca por meio da expressão within:15mi por exemplo. No caso do exemplo, ficaria Social near:Brasil within:10mi. Essa distância pode ser calculada em quilômetros ou milhas. Para determina-la, é só colocar na expressão mi ou Km.

Nesse exemplo, foram coletados tweets em outros idiomas, mesmo a busca sendo no Brasil.

Dica: Não é obrigatório escolher a distância do raio. Ao colocar o near:Brasil,  por exemplo, o Scup calcula a distância automática de 2500km.

Dicas Gerais:

  • Não há diferença entre maiúscula e minúscula nas buscas;
  • Há possibilidade de usar mais de um operador em uma única busca. Exemplo: “Altas Horas” -noite near:”Brasil”;
  • Não há possibilidade de coletar símbolos como ponto, vírgula, barras e parênteses, para buscas mais avançadas utilize Firehose,
  • Cuidado com a quantidade de palavras na expressão de busca, o Twitter não informa a quantidade exata que pode ser utilizada, por isso a importância dos testes,
  • Para fazer testes de busca acesse o link http://twitter.com/#!/search-home

 

 

Fonte:scup

Read More