20 fev Calendário mostra melhores períodos para e-mail marketing

emailmktCom o objetivo de facilitar a comunicação digital e auxiliar os profissionais na programação das campanhas de e-mail marketing, a Virtual Target, plataforma de envio e gestão de e-mail marketing da Serasa Experian, lança a edição 2013 do Calendário de Datas Comemorativas.

Fundamental para vendas e resultados mais assertivos, a quarta edição do calendário disponibiliza para os atuantes no setor de marketing a mais completa e atualizada relação de eventos e datas comemorativas, que são chaves para campanhas do setor.

Além das datas comemorativas tradicionais, o calendário traz em suas marcações o Black Friday, uma das ocasiões mais importantes para o comércio online e que ganhou força no Brasil e no mundo e, também o Boxing Day, dia de megadescontos pós-Natal.

Contendo, ainda, outras datas relevantes para que as empresas vendam mais, a ferramenta pontua dias curiosos para o publico “geek”, como o Dia do Orgulho Nerd, o Dia do Blog e o Dia do Internauta.

“O calendário se tornou tradicional e com ele fica mais fácil planejar campanhas sazonais aproveitando as melhores oportunidades de vendas do varejo nacional. Abrindo o leque, é também uma ferramenta importante para ações no meio digital e redes sociais, pois contém detalhes minuciosos das comemorações nacionais”, explica Marco Salvi, gerente de marketing da Virtual Target.

O calendário está disponível para download neste link e pode ser utilizado em formato pdf ou ics, aplicando as comemorações diretamente no Google Calendar ou no MS Outlook.


Fonte: Adnews

Read More

20 fev Brasileiro gasta mais de 10 horas do mês com redes sociais

 

redesociaisO internauta brasileiro gastou, em média, 10 horas e 26 minutos com redes sociais em janeiro deste ano. Os dados são do estudo Net Insight, do IbopeMedia, e mostram que houve crescimento de 13,5% no tempo em relação a 2012.

Também houve aumento quanto aos sites de vídeos e filmes, que atraíram o internauta por 1 hora e 52 minutos – 14,8% a mais.

Segundo o Ibope, existem atualmente 72,4 milhões de brasileiros com acesso à rede em casa ou no trabalho, sendo que 53,5 milhões são considerados ativos.

O maior pico de acessos durante o mês foi às 17h, quando 73% estavam conectados. E a faixa etária mais assídua era a que vai dos 25 aos 49 anos, que representa 52,7% dos usuários ativos.


Fonte:Olhar Digital

Read More

18 fev 5 dicas para alavancar curtidas na sua página no Facebook

 

dicasfacebookTodo começo de trabalho em um canal no Marketing Digital é um pouco difícil. É assim com um blog, com um perfil no Twitter, com cadastros para uma newsletter e não é diferente com páginas no Facebook.

Sempre recebemos comentários de pessoas querendo saber como divulgar ou como conseguir as primeiras pessoas para curtir uma nova página. Por isso separamos algumas dicas para sua empresa conseguir superar a barreira dos primeiros fãs:

Use a Like Box no seu site

As pessoas que já visitam o seu site e gostam do conteúdo são as mais propensas a curtir. Colocar a Like Box (essa caixa na direita do nosso blog) é uma boa forma de mostrar para essas pessoas que sua página existe e facilita o clique em curtir.

Outro efeito colateral da caixa é transmitir mais credibilidade para os visitantes do site por mostrar o rosto de pessoas conhecidas que já curtiram a página (o chamado “social proof“).

Divulgue no seu próprio perfil pessoal e peça para os outros funcionários, amigos e família curtirem e divulgarem

Mesmo que essas pessoas não sejam o público alvo da sua empresa, é importante ter as primeiras curtidas para gerar um pouco de credibilidade para as próximas pessoas que caírem ali. Os usuários vão perceber que há outras pessoas que conhecem e confiam na empresa.

Além disso, quando essas primeiras pessoas curtem a página, os amigos podem ver na timeline fazendo com que novas pessoas descubram a página. Isso não deve aumentar significativamente seus números, mas é importante no começo.

Um último ponto aqui é que o Facebook exige ao menos 25 pessoas curtindo a página para que ela consiga o direito de usar uma URL personalizada (como a nossa facebook.com/ResultadosDigitais), o que facilita a divulgação em outros canais, especialmente aqueles que não podem contar com um link ou botão. Por isso essas primeiras pessoas ganham mais importância.

Use outros canais de contato que sua empresa tenha disponíveis

Se sua empresa já tiver uma audiência, como uma base de assinantes de uma newsletter, um bom número de seguidores do Twitter ou mesmo algum alcance em canais offline, use-os para comunicar a criação da página.

Como essas pessoas já conhecem sua empresa, existe uma chance maior de gostarem e aprofundarem o relacionamento.

Crie promoções

Promoções costumam funcionar bem nas mídias sociais e se espalham com facilidade.

Só tome cuidados, no entanto, com as regras de uso do Facebook. Muita gente não sabe, por exemplo, que as curtidas não podem servir como mecanismos de votação. Há vários outros detalhes que você pode conferir nas diretrizes de promoções do Facebook (em inglês).

Compre anúncios no Facebook

Se bem feitas, as campanhas com anúncios no Facebook podem funcionar muito bem na alavancagem da página. Como todo tipo de anúncio, no entanto, é preciso estudar bem o assunto para não sair desperdiçando dinheiro.

Testar imagens e textos nos anúncios, oferecer conteúdo só para um público bem segmentado, ter uma logo profissional e compartilhar conteúdo relevante são fatores que fazem a diferença no sucesso.

Aliás, nenhuma das dicas vai funcionar se a página não for atrativa e não publicar conteúdo relevante com frequência.

 

Fonte :Resultados Digitais

Read More

14 fev SEO na loja de aplicativos Google Play

 

seo-google-play-loja-aplicativos

Os aplicativos nativos são de alguma forma como um “novo flash”.

Os custos de desenvolvimento são consequentes, e a medida que os padrões web vão se consolidando, acredito que eles acabarão se tornando uma opção cada vez menos vantajosa.

Isso também porque aplicativos nativos são problemáticos para SEO (Search Engine Optimization), o conteúdo deles sendo impossível de indexar.

Porém hoje algo pode ser otimizado, o conteúdo e a animação da sua conta na loja de aplicativos.

Seguem algumas dicas, baseadas na minha experiência.

SEO (otimização de conteúdo) na loja de aplicativos Google Play

 

  •  Título (palavras-chave e/ou marca)

  • Descrição tem impacto (colocar as principais palavras-chave no início do texto)

  • Webwriting – palavras de transição (preposições, conjunções) e acentos têm influência na busca (lembrando que digitar acentos no celular não é prático)

  • A busca tem “Auto Suggest” no celular (prestar atenção nas sugestões, o usuário pode usar muito sendo que é trabalhoso digitar no celular, principalmente acentos)

  • Monitorar os rankings nas palavras-chave do seu negócio e otimizar de forma continua

  • Otimizar o nome do pacote com palavras-chave e mais ou menos 15 caracteres (ele aparece na URL do snippet na busca do Google – ver imagem abaixo)

  • Comentários e classificações são importantes (seeding do bem? de forma natural sim)

  • Inserir um vídeo promocional (linkando com Youtube)

  • Número de +1 e tweets precisam ser trabalhados

  • Número de downloads (fator primordial)

  

Para a busca do Google (porque o aplicativo também aparece nas SERPs – Search Engine Results Pages):

  • Fazer propaganda no Google+ para conseguir vários Google +1 (as contas de usuários que comentam na loja estão associadas ao perfil Google+ deles)

  • Fazer propaganda no Twitter (conseguir o máximo possível de tweets)

  • Fazer Link Building (construção de linkagem) nos sites de reviews e blogs especializados no assunto (aplicativos)

  • Criar e manter um blog atualizado a respeito do aplicativo pode ajudar

Aparência do snippet nos resultados de pesquisa:

  • Título – Android Apps on Google Play

  • URL com o nome do pacote no final

  • Número de classificações e a nota global em número de estrelas

  • Aplicativo gratuito ou pago e o sistema

  • Data (data de publicação do aplicativo na loja)

  • Descrição; deve aparecer o início da descrição preenchida, como pode ser um comentário de usuário (o primeiro a comentar no nosso caso, que foi publicado no dia do lançamento do aplicativo)

Snippet Aplicativo Android no Google PlayUma vez isso tudo realizado, torcer para que seu aplicativo viralize e torne-se um sucesso!

O mais importante não deixa de ser a qualidade do aplicativo em si mesmo. O SEO não pode tornar um aplicativo mal acabado um case de sucesso.

Contudo, se seu aplicativo for bom, aplicar essas técnicas irá ajudar no aumento de downloads.

Para saber mais sobre a loja de aplicativos Google Play, clique aqui!

Me adicione ao Google+ e siga-me no Twitter @EricApesteguy

 

 

Fonte: Ao Topo

Read More

06 fev Consultoria em Marketing Digital – Porque Devo Contratar Uma?

 

Excelente texto do  sobre algo que muitas empresas, principalmente as pequenas e médias, ainda tem dúvidas ou acham que podem fazer de forma amadora ou caseira, correndo riscos de levar os negócios ao fim por falta de investimento nesse quesito.

Leia a íntegra do texto abaixo e não deixem de seguir o blog do Pedro, conteúdo sempre pertinente para a área.

Sabemos que a qualidade de um serviço prestado é muito importante. Com a facilidade gerada por plataformas gratuitas de criar blog com caras de sites, a necessidade de focar mais diretamente no marketing digital de um site tornou-se peça chave para que o mesmo ganhe reconhecimento e credibilidade entre seus usuários. Mesmo os menores, se desejam estar entre os mais conhecidos da categoria, precisam trabalhar esse marketing para que tudo saia perfeitamente e o sucesso venha logo.

O que é marketing digital?

Como gosto de falar marketing digital não existe, o que existe é o bom e velho marketing, porém hoje ele pode ser aplicado ao ambiente digital. Para isso se faz necessário o conhecimento tanto das estratégias de marketing e vendas tradicionais como das mais modernas ferramentas e plataformas que possibilitam as empresas fidelizar seus clientes, aumentar seus lucros e diminuir os custos ao longo do processo.

Você basicamente irá trabalhar a pesquisa do seu mercado, planejamento das suas ações e plataforma, publicação do seu conteúdo, promoção e propagação de sua marca, personalização dos contatos alcançados e mensuração (precisão) dos resultados, isso em linhas gerais é a base da metodologia 8ps do marketing digital.

Isso acontece através do desenvolvimento de um site otimizado, trabalho sério e profissional de links patrocinados. Inclusão de sua empresa nas mídias sociais, Facebook marketing e até mesmo trabalhando a otimização do seu espaço com uma consultoria de SEO. Hoje é indispensável focar nisso porque se você não investe na sua plataforma de negócios online, com certeza ela não passará de mais um site hospedado e sem muito atrativo.

consultoria-de-marketing-digital-redes-sociais-internet

Porque contratar um consultor de Marketing Digital

Primeiro porque esses profissionais estão devidamente treinados e atualizados sobre os melhores mecanismos da internet para que seu site ganhe credibilidade. Um consultor de marketing digital fará todo o trabalho de planejamento e estratégia que você precisa para estar entre os melhores.

Muitos se atrevem a fazer consultoria de marketing digital apenas por gostar muito de internet e sacar as jogadas já utilizadas. Lembre-se que nessa geração onde tudo se transforma rapidamente, ter um profissional devidamente formado, vai deixar você, com certeza, bem a frente daquele que acha que marketing digital é apenas saber usar os mecanismos de busca e fazer troca de links em páginas.

Quando eu devo contratar um consultor de marketing digital?

Existem alguns fatores que podem identificar se você precisa ou não de um consultor de marketing digital para seu site. Antes de tudo, você possui uma identidade visual no seu site? Ter uma marca e um padrão de cores é muito importante, até um simples menu trabalhado em harmonia com a sua marca, pode causar um bom impacto em seus leitores. Seu site está bem posicionado no Google e você é facilmente encontrado? Sua marca possui presença forte na web e constância nas ações de mídias sociais?

Se você tem uma loja virtual, seu sistema de compra é fácil, rápido e seguro? A linguagem dos textos publicados em seu site está adequada para o publico que o lê?

Esses são apenas alguns questionamentos e caso as respostas sejam negativas, está na hora de você procurar um consultor de marketing digital e conversar sobre como melhorar seu negócio e gerar mais oportunidades através do marketing digital.


Fonte: anavictorazzi

Read More

04 fev Como pequenas empresas usam redes sociais

 

O fundador da Freshology, Todd DeMann (dir.) na cozinha da firma. Ele diz que o Facebook foi o sexto maior gerador de tráfego para seu site em 2012

Seis de cada dez donos de pequenas empresas nos Estados Unidos dizem acreditar que as ferramentas de mídia social são valiosas para o crescimento do negócio — mas a maioria não está bem impressionada com o Twitter.

Apenas 3% dos 835 donos de negócios consultados em uma pesquisa realizada em janeiro pelo The Wall Street Journal e a Vistage International disseram que o serviço de microblogs da Twitter Inc. tinha o maior potencial de ajudar suas empresas.

A rede social para contatos profissionais LinkedIn Corp. ficou no topo da pesquisa; 41% dos participantes a apontaram como potencialmente benéfica para a empresa deles. O YouTube, o serviço de vídeo da Google Inc., foi indicado por 16% dos entrevistados e a rede social da Facebook Inc, por 14%.

O resultado ilustra os desafios enfrentados pela Twitter para demonstrar a pequenos empresários os benefícios de usar seu serviço de mensagens curtas de texto para chegar aos consumidores. A Twitter afirma que está apenas começando a cortejar as pequenas empresas, que compõem o grosso das companhias americanas e são uma importante fonte de receita para muitos gigantes da área de tecnologia, inclusive o Google.

Mas a Twitter, por exemplo, não convenceu empresários como Todd DeMann, fundador da Freshology Inc., empresa de Los Angeles que prepara e entrega refeições com calorias controladas.

Há três anos, DeMann, de 47 anos, começou a usar o Facebook e o Twitter para anunciar o seu serviço e, em 2011, designou um dos seus 78 funcionários para dedicar 20 horas por semana às redes sociais, promovendo discussões sobre saúde no Facebook e publicando dicas e artigos no Twitter.

[image]

Em 2012, diz DeMann, o Facebook era o sexto maior direcionador de tráfego para o seu site. A rede social Pinterest, que permite compartilhamento de conteúdo multimídia e que a Freshology começou a usar há apenas quatro meses, estava na 59a posição. O Twitter, na 117a. “No Twitter, você não pode engajar [os usuários] de uma forma significativa”, disse ele.

A Facebook afirma que esses resultados são mais consistentes com outras pesquisas independentes realizadas recentemente com pequenas empresas, que mostram que seu site é o canal de rede social mais usado e o mais eficaz.

Donos de pequenas empresas geralmente têm recursos e tempo limitados para descobrir as melhores maneiras de tirar proveito das redes sociais. Na pesquisa, apenas quatro em cada dez proprietários disseram ter funcionários dedicados para campanhas em redes sociais. Quase a metade deles gasta entre uma e cinco horas por semana na atividade e um terço não gasta tempo algum.

Muitos empresários, incluindo Ken Lopez, de Washington, que começou a usar redes sociais para divulgar sua consultoria em 2011, tendem a pensar que o “valor” das redes sociais vem principalmente de fatores mensuráveis, como o número de visitas às páginas do site, de cliques em anúncios ou vendas diretas.

“Nós tuitamos dez ou mais vezes por dia e colocamos mais ou menos o mesmo número de posts no LinkedIn diariamente. Ainda assim, obtemos resultados totalmente diferentes”, diz Lopez, cuja empresa A2L Consulting presta serviços para escritórios de advocacia.

Nos últimos dois anos, ele se dedicou duas vezes por semana a atrair tráfego para o seu site usando os sites LinkedIn, YouTube, Facebook e Twitter. E o trabalho valeu a pena. Ele diz que o site da A2L hoje tem 12.000 visitantes por mês, ante 800 em 2011, e que a sua receita gerada através da internet quintuplicou.

Mas a A2L obtém pouco tráfego para o seu site por meio do Twitter em comparação com outras redes sociais. “O LinkedIn é o gerador de tráfego preponderante”, diz Lopez. “Comparativamente, o Twitter gera um percentual pequeno.”

Richard Alfonsi, vice-presidente mundial de vendas on-line da Twitter, disse que a companhia precisa se esforçar mais para ensinar às pequenas empresas os benefícios de utilizar seu serviço para atingir potenciais clientes e sobre as formas mais eficazes de usá-lo.

“Estamos apenas no início desses dois esforços”, diz ele, acrescentando que cerca de 4,5 milhões de pequenas empresas já usam o Twitter hoje, mesmo sem muita dedicação da companhia a esses pequenos negócios.

A Twitter informou há cerca de um ano que começaria a permitir que pequenas empresas comprassem anúncios no seu serviço, que as mensagens delas circulassem com mais destaque ou que fossem direcionadas para grupos específicos de usuários. Antes, só grandes empresas podiam comprar anúncios no site. Mas ela reconhece ter trabalhado pouco no serviço de anúncios para pequenas empresas para garantir que ele seja o melhor. O serviço continua em teste com um grupo seleto de clientes.

Freed Maxick, um escritório de contabilidade do Estado de Nova York que participa do teste da Twitter, afirmou que os anúncios que ele comprou na rede social, direcionados a pessoas que procuravam por opiniões sobre impostos dos candidatos à presidência dos EUA, geraram 2,1 milhões de cliques na sua página na internet. “Ganhamos muitos novos seguidores e nos envolvemos em alguns grandes debates, levando usuários para nosso site”, disse Emily Burns Perryman, especialista em marketing e comunicação on-line da Freed Maxick.

A Twitter não divulga seus resultados financeiros, mas a empresa de pesquisa eMarketer Inc. estima que a empresa terá uma receita em torno de de US$ 545 milhões neste ano, acima dos US$ 288 milhões no ano passado.

A Facebook divulgou uma receita de US$ 4,28 bilhões com anúncios em 2012. O faturamento da LinkedIn nos primeiros nove meses do ano passado foi de US$ 668,7 milhões. Cerca de um quarto desse valor veio de propaganda, anúncios de emprego pagos e outros tipos de publicidade. Nenhuma dessas empresas especifica quanto da receita com anúncios vem de pequenas empresas.

Josh Weiss, que tem 27 anos e mora em Woodbury, no Estado de Nova York, diz que gasta dez horas por semana usando as redes sociais para atrair clientes para sua empresa de dez funcionários, a Bluegala.com, que vende vestidos para bailes de formatura e outros ocasiões. Ele posta mensagens no Twitter em nome da empresa desde 2009. Mas nunca conseguiu o retorno que desejava porque “no Twitter a atenção das pessoas é curta”, diz ele. “Elas querem ler notícias rápidas e ir em frente. Elas não estão no Twitter para comprar.”

Weiss diz que agora usa o Twitter como uma ferramenta para monitorar as tendências de moda e os concorrentes. Ele disse ter notado reclamações de clientes de concorrentes com relação às taxas de entrega, então começou a anunciar frete grátis no seu site para obter uma vantagem competitiva.

A pesquisa realizada neste mês pelo WSJ e a Vistage, uma de orientação de executivos, foi realizada entre os dias 14 e 23 de janeiro com empresas de vários segmentos que têm receita anual inferior a US$ 20 milhões.

No geral, aproximadamente 14% dos empresários consultados disseram que usam o Twitter. O número está de acordo com a pesquisa divulgada no ano passado pela Pew Internet & American Life Project, que verificou que cerca de 15% de todos os internautas adultos usam o Twitter.

 

Fonte:WSJ

Read More