05 jul Uma forma fácil e barata de fazer SEO existe?

Recentemente, recebi duas mensagens de proprietários de web sites; ambos querendo resolver seus problemas de mau posicionamento. O primeiro buscava uma solução barata para isso, considerando que seu budget era baixo – embora proporcional para uma PME; o segundo, mais disposto a perder tudo, queria sugestões de softwares black hat para conseguir milhares de links. Em suma, o primeiro queria um SEO barato e o segundo queria um pseudo-SEO, a quem respondo com um conselho em forma de artigo.

Por que SEO é complexo

Um projeto de SEO não é nada simples, aliás por isso criamos uma metodologia própria de SEO para lidar com processos e entrega de resultados em prazos razoáveis. Chamamos Ciclo de SEO e, com ela, procuramos profissionalizar as etapas e garantir a boa continuidade do projeto de SEO. Observe a imagem abaixo:

png;base64e79af1f908f6be62

Cada uma dessas etapas pode contar com até cerca de trinta tarefas possíveis. Portanto, estamos falando de até 150 atividades envolvidas em um Ciclo de SEO, que dura cerca de três meses. É verdade que, no geral, essas tarefas pontualmente são simples, mas visto de uma maneira global, exigem senioridade e grande capacidade de decisão. São como os processos de uma indústria ou de qualquer empresa – todo mundo os conhece, mas é em sua otimização que se vêem os resultados.

A gestão de todos esses processos, naturalmente, não é simples e tem um alto custo envolvido, principalmente quando estamos lidando com uma média de até dez profissionais envolvidos em cada ciclo.

Há ainda um fator chamado know how, que é toda a base de conhecimento que os profissionais e/ou agência tem. SEO exige muita experiência, porque sempre estamos lidando com respostas que têm de ser rápidas (embora os resultados venham sempre em médio prazo). As empresas de SEO precisam estar sempre atualizadas e inovando internamente para conseguir lidar com um mercado e algoritmo dinâmicos.

Como se pode perceber, cada atividade de um projeto tem de ser cumprida à risca e na data programada; sem desculpas para atrasos, porque isso pode prejudicar todo um planejamento de SEO.

Profissionais qualificados são raros

O perfil dos profissionais de SEO é algo raro no mercado: pessoas com boa capacidade para analisar métricas e números e, ao mesmo tempo, trabalhar com comunicação, design e humanidades. Sabemos que as pessoas, na média, são boas em humanas ou em exatas, dificilmente nos dois, mas é indispensável que esse profissional de SEOtenha boas apitdões para lidar com números e com textos. Trata-se de um profissional que tem essas duas vocações bem equilibradas.

Em segundo lugar, após esse talento individual, é necessário um profundo conhecimento do funcionamento da Internet e de sites como um todo. Um iniciante não poderá lidar com todo um projeto de SEO facilmente e são raros os profissionais, mesmo quando têm maior experiência, que conseguem ter uma visão global de tudo aquilo que estão fazendo. E isso é indispensável em SEO.

A grande verdade é que profissionais que podem decidir considerando o curto e longo prazos são caros. E todo projeto de SEO exige, portanto, um profissional senior em todas as etapas de sua execução. Isso, ao meu ver, faz tornar pouco eficiente ter profissionais internos em uma empresa e o custo de contratar uma agência de SEO séria, naturalmente, pode parecer mais alto do que muitas empresas estão dispostas a investir.

O caminho mais fácil ou investimentos em médio prazo

A verdade é que o algoritmo do Google está a cada dia mais complexo e os concorrentes mais atentos a detalhes de um projeto de SEO. SEO está se tornando algo para os poucos que estão dispostos a fazer o investimento correspondente ao trabalho. Ao mesmo tempo, há enormes oportunidades de crescimento em todas as áreas porque são raras as áreas em que se está aproveitando o máximo potencial de seu mercado.

As soluções fáceis, como compras de links e qualquer tentativa de manipulação, para a “sorte” dos que fazem um trabalho sério e complexo, está se tornando irrelevante e, cedo ou tarde, geram uma punição. Portanto, o meu conselho é que faça SEO a sério ou invista o tempo e o dinheiro em outras soluções. SEO não é fácil; não é simples e não é barato.

Sem keyword stuffing, com todo o respeito.

 

Fonte:Imasters

Read More

03 jul Integre e-mail marketing e banners para maior engajamento

O e-mail é fonte de geração de leads, vendas e relacionamento. Mas já é possível alcançar muito mais com o e-mail marketing integrado a outras ações, no mesmo modelo de segmentação. Comece devagar e chegue lá.

É indiscutível a eficácia do e-mail marketing para a geração de leads e vendas nas operações de e-commerce.

Segundo um estudo conduzido entre dezembro de 2010 e janeiro de 2011 pela ABEMD – Associação Brasileira de Marketing Direto e a Simonsen Associados, das 68 empresas entrevistadas, 78% delas utilizavam o e-mail como fonte de geração de leads, vendas e relacionamento.

É interessante notar que, para a segmentação das ações, 79% usam o critério de comportamento prévio, 69% a localização geográfica e apenas 7% usam o Life Time Value.

Por último, exatamente metade dos respondentes disseram que possuem suas campanhas de e-mail marketing integradas com suas redes sociais e CRM.

É este o ponto que eu gostaria de tratar aqui: a integração do e-mail marketing com outras ações. Em artigos anteriores discorri brevemente sobre o comportamento das pessoas nos canais digitais e offline. O consumidor hoje é multitarefa e multiplataforma. Ele está em diversos lugares, muitas vezes ao mesmo tempo.

Apenas para ilustrar com um exemplo – quem nasceu na década de 80 em diante assiste TV enquanto ouve música, tem uma janela do browser aberta no Facebook, troca SMS e responde e-mails. Como sabemos, esse comportamento é cada vez mais comum para as novas gerações e, se considerarmos as gerações anteriores, apesar de não estarem em tantos lugares ao mesmo tempo, transitam o tempo todo entre eles.

Em resumo, será impossível se relacionar com os novos consumidores sem pensar em estratégias multicanal. E a integração do e-mail com outras plataformas é apenas uma delas.

A integração do e-mail marketing com as campanhas de mídia display (banners) ainda é pouco utilizada no Brasil, mas cada vez mais comum em outros países. A sua principal função é gerar receita e manter o consumidor engajado com sua marca até o momento da compra, e se bem trabalhado o pós-venda, aumentar o ticket médio mensal do cliente ou antecipar a próxima compra.

Um dos pontos importantes que a empresa deve atentar antes de iniciar um projeto como esse é permitir que o cliente escolha entre receber ou não receber uma comunicação segmentada enquanto navega na internet ou utiliza aplicativos mobile. Esse direito de escolha deve ser garantido ao consumidor e sua escolha respeitada. Uma vez que sua empresa tenha esse opt-in será possível identificar tais pessoas navegando na internet e entregar, de maneira extremamente segmentada e eficaz, uma publicidade que tenha a ver com suas aspirações, perfil de consumo e ao momento de navegação dela.

Mesmo modelo de segmentação do e-mail para os banners

Quando digo de uma maneira segmentada, quero dizer que, o mesmo modelo da segmentação hoje adotado pela sua empresa para o envio de e-mails poderá ser replicado para a entrega de banners (mídia display) para estes mesmos consumidores enquanto eles navegam na internet ou interagem com algum aplicativo mobile.

A ideia é potencializar as ações. O e-mail é potencializado pelo display e, por sua vez, o display potencializa as visitas no site dos consumidores que já foram impactados e não compraram. Com a integração, você tem a capacidade de não se limitar apenas a entrega do e-mail, mantendo esse consumidor em contato com a sua marca e com o produto ou serviço que ele deseja. Aqui, se sua empresa não for rápida e estiver a postos, ela pode perder a venda para um de seus concorrentes. Você precisa estar presente com a comunicação certa, para a pessoa certa, em diferentes lugares. Essa integração permite que você conheça a pessoa e seu interesse e o que é mais importante, esteja presente durante o seu consumo de conteúdo em outros canais através da mídia display.

Quando falo eficaz é porque atualmente, através da compra de mídia programada – ou programmatic buying – você pode definir exatamente quanto está disposto a pagar por cada impressão de banner, de acordo com o perfil de cada usuário e/ou possibilidade de compra do produto e/ou seu ticket médio referente.

Imagine um consumidor que abriu as últimas três peças de e-mail que você enviou referente a TV de Led 56 polegadas. Ele nunca clicou e nem visitou seu site. O que você faz hoje para identificar esse cliente fora do ambiente do e-mail? Nada? Pois é, poderia estar fazendo. É possível identificar comportamentos no e-mail que definirão regras de compra e entrega de mídia display. Não apenas regras referentes a segmentação, mas também regras relacionadas a quanto pagar por cada um deles.

Se o consumidor está interessado em um produto de alto ticket médio, você programará pagar até cinco vezes mais por ele, do que aquele outro consumidor que se interessou por um produto bem mais barato.

Além disso, baseado no entendimento do tempo de decisão de compra para aquele produto você estabelece diferentes regras de compras de mídia, baseadas na janela de conversão do consumidor. Exemplo: a decisão de compra de um imóvel ou carro é muito maior do que o tempo que o consumidor leva para decidir entre o modelo do computador, desktop ou tablet que irá comprar. Você pode estabelecer regras que variam e são customizáveis de acordo com a variável “tempo de decisão de compra”.

Se o cliente leva três meses para decidir a compra, nós manteremos contato durante três meses, mas de maneira distinta ao longo deste período. No último mês podemos intensificar esse contato e até podemos pagar um valor maior por ele, desde que seu potencial de compra seja realmente grande.

Num nível um pouco mais avançado, ainda é possível adicionar outras variáveis que levam em conta os dados coletados do seu site, o perfil demográfico do cliente e, somado a isso, a experiência que você adquiriu do que realmente funciona e do que não funciona para cada ação. Exemplos: produtos substitutos ou complementares pesquisados no site, abandono de carrinho, dia da semana mais propenso para venda, dia do mês mais propenso para venda, e com base na combinação de duas ou mais variáveis, estabelecer o melhor a pagar por cada impressão de banner a cada consumidor.

Por último, é possível ainda entender o perfil de navegação de cada um de seus clusters na internet. Quais tipos de conteúdos eles consomem e com qual frequência, que tipos de conteúdos eles não consomem e quantas vezes em média por dia você consegue encontrar esses consumidores navegando.

Esse tipo de informação ajudará e entender melhor quem é seu consumidor e seu perfil de navegação e consumo de conteúdo e mídia de uma maneira bem realista e servirá de conhecimento para o aprimoramento de diversas outras ações de marketing digital ou tradicional.

Parece muito refinado, e na verdade é, se pensarmos na realidade do e-commerce brasileiro, mas devemos ter em mente que algumas empresas brasileiras já o fazem. Existe uma curva de aprendizado que deve ser percorrida até se chegar a um ponto de refinamento como esse. Começa devagar, com poucos dados, poucas variáveis, muitos testes, aprendizados e otimizações.

Com o tempo e a experiência vem o aprimoramento. É um caminho bastante longo, produtivo e que com certeza gerará resultados significativos se comparados ao ponto de partida. Costumo dizer que um crescimento semanal de 2%, seguido de um 3% e assim por diante, faz uma diferença bem grande no final do um mês e maior ainda ao término de um ano. E lembre-se, toda grande viagem começa com o primeiro passo. O que você precisa é se planejar e começar. Boa sorte e boa viagem!

 

Fonte:Webinsider

Read More

03 jul Auditorias de site: entrega, follow-up e implementação

Você pode ser o melhor SEO do mundo, com as melhores recomendações que seus clientes já viram; mas se essa informação não é apresentada e comunicada da forma apropriada, a verdade é que seu trabalho duro provavelmente não vai mudar nada. Recentemente, Dan e eu fizemos um Mozinar muito agradável sobre esse tema. Se você perdeu, sinta-se à vontade para verificar a gravação e baixar os slides aqui. Em vez de falarmos dos detalhes do SEO técnico, nós realmente queríamos nos aprofundar no que, em nossa experiência, faz a diferença entre uma auditoria de site que está sendo deixado na prateleira, em comparação com um documento que pode, potencialmente, transformar um negócio.

Ao final do Mozinar, tivemos uma tonelada de grandes questões. Muitas focadas especificamente no processo de follow-up e entrega, e como nós lidamos com essa parte específica do trabalho. Houve bastante interesse nessa área, então pensamos que um artigo dedicado à última parte de nosso processo de auditoria (ver abaixo) nos daria a chance de ir um pouco mais fundo. Embora o follow-up e a implementação venham claramente assim que seu documento for entregue, muitas das primeiras conversas têm grande influência sobre o sucesso que o projeto vai acabar tendo. Eu descobri que obter um cliente com a intenção de trabalhar em conjunto e fazê-lo acreditar nas suas recomendações a ponto de implementá-las desde o início fazem o trabalho ser muito mais fácil!

imagem 1

Embora este artigo seja sobre o processo de follow-up, eu também quero falar de outras áreas que têm um influência direta sobre essa parte do projeto. Vamos lá!

Reuniões de vendas e briefing

O processo de vendas é uma parte crítica de qualquer projeto, e não apenas pelas razões óbvias. Uma conversa bem pensada sobre vendas é a oportunidade ideal para discutir metas, entender o negócio dos clientes, e realmente descobrir o que eles precisam alcançar. Ron Garret resumiu brilhantemente neste artigo, e cobriu alguns grandes pontos no que diz respeito aos detalhes importantes que cada conversa inicial com um cliente potencial deve cobrir. Em termos de como as conversas realizadas no início de um projeto podem ter impacto sobre a eficiência de seu follow-up, é tão importante para você se certificar de que está começando o projeto com os objetivos certos em mente. Afinal, como você mede o sucesso se você não entender quais KPIs fazem a real diferença no negócio dos seus clientes?

Quanto devo dar durante o processo de vendas?

Em um ponto muito similar, nós tivemos perguntas no Mozinar, com pessoas questionando quanto dar durante o processo de vendas. Algumas pessoas gostam de executar uma auditoria de amostra, enquanto outros não vão dar nada até que tenham um papel assinado. Realmente, isso é com você. Do meu ponto de vista, você tem que ser sensível com o seu tempo e aprender a considerar cada situação em suas próprias circunstâncias. Eu estive na situação muitas vezes em que você sente que a empresa em questão está apenas convidando agências para ganhar algum conhecimento especializado gratuito. Leva tempo para fazer uma proposta, então você tem que fazer um julgamento sobre o melhor uso desse tempo. Sinta cada situação e vai dar tudo certo.

Isso não é apenas sobre vendas de projetos, é sobre a compreensão da situação suficientemente bem para vender o projeto certo para resolver o problema certo.

Início e briefing

Se você der um passo para trás e pensar sobre todos os projetos em que trabalhou que não funcionaram bem, é loucura pensar o quanto provavelmente deu errado antes de você sequer começar. Se todo mundo estiver em clima de honestidade, eu acho que todos admitiríamos já termos nos envolvido em projetos que pareciam estar com tudo apressado. Como resultado, um briefing bem feito pode ser pulado, ou seja, a equipe que entrou sem nenhuma ideia de data de entrega, ou o que o cliente quer ou precisa do projeto. Evidentemente, as coisas não tendem a ir muito longe. Na melhor das hipóteses, o projeto acaba sendo outro relatório em outra mesa – na pior das hipóteses, a reputação fica manchada.

Assim, com a implementação e um suave follow-up em mente, o que deve ser um bom briefing? No mínimo, eu sugiro o seguinte a ser sempre incluído:

  • Entregas
  • Principais datas
  • Metas/objetivos
  • KPIs
  • Pessoas chave

Por que isso é tão importante? Uma das maiores e mais comuns razões para um projeto falhar é que por uma variedade de motivos eles simplesmente perdem o alvo. Normalmente, quando um projeto não checa as os tópicos certos, o problema pode ser achado no briefing ou em uma falha de comunicação no início. O outro ponto é que, se o projeto é simplesmente despejado na equipe, ele não é susceptível a ser muito feliz. Tenha seu time animado e ele, por sua vez, deixará o cliente animado. Se o cliente está animado sobre fazer as coisas, de repente o trabalho começa a ser executado de uma forma muito mais agradável e produtiva.

Entregas

Uma parte importante de qualquer projeto é o formato em que você apresenta a sua documentação. Às vezes, uma apresentação que “destaca” os detalhes dos maiores problemas é uma boa, enquanto algumas situações exigem um documento detalhado e um grande conjunto de dados para a consulta. A melhor maneira de fazer isso vai realmente depender de para quem você está entregando, e qual era o esboço inicial do projeto. Tivemos algumas boas perguntas sobre isso durante o webinar, por isso me senti bem para escolher algumas das melhores e respondê-las diretamente:

O que exatamente deve ser entregue? Um grande documento, um conjunto de dados, ou apenas os dez melhores pontos de ação?

No SEOgadget, descobrimos que a melhor abordagem é fazer uma combinação de todos os três, com o estilo de entrega exata ajustada a quem você está atendendo ou apresentando. Uma situação típica para nós seria criar um documento mestre contendo explicações detalhadas sobre os nossos resultados juntamente com todas as solicitações de mudanças necessárias. Claro que, se estamos rodando crawls e fazendo análises de arquivos de log, em seguida também teremos uma quantidade substancial de dados. Eu gosto de entregar os dados por dois motivos: primeiro, os dados sempre suportam o que você esta recomendando. É sempre muito mais valioso mostrar do que dizer. Ter a capacidade de guiar claramente o cliente através do que foi exatamente encontrado pode fazer maravilhas para adicionar credibilidade ao que você falou. Em segundo lugar, fornecer dados torna muito mais fácil para um desenvolvedor descobrir o que está acontecendo e dá um ponto de referência para futuras perguntas se algo surgir. Além do mais, em 90% das situações os clientes sempre pedem os dados de qualquer maneira!

imagem 2

As listas de tarefa têm um lugar muito valioso. A primeira pergunta que sempre volta é: “OK, então por onde começamos?” Se a pergunta continua aparecendo, então a responda antes que ela seja feita! No topo de todos os nossos documentos, nós fornecemos uma lista de prioridades de todas as solicitações de mudança (como visto acima). Isso constitui uma excelente base para chamadas de follow-up e encontros, à medida que qualquer pessoa pode fazer referência à mesma lista de tarefa. Com o desenvolvimento de recursos muitas vezes sendo de grande demanda, ele também permite que você inicie o agendamento das maiores correções primeiro.

Alguns clientes não são “técnicos”, e falar de auditoria não é assim tão fácil. Quantos detalhes devemos dar a esses clientes? Devemos gastar muito tempo e treiná-los sobre SEO?

Aqui é onde ser capaz de dar uma visão de alto nível primeiro é extremamente importante. Nem todo mundo entende os detalhes de SEO. Você pode nem sempre estar trabalhando diretamente com um departamento de SEO, você pode estar trabalhando com uma equipe de marketing tradicional ou com um gerente de e-commerce, em que o seu papel inclui SEO, mas não é algo que se faz todos os dias. Nesse caso, a melhor abordagem é oferecer um tipo de “destaque” da apresentação. Simplifique os problemas foque nos benefícios de resolver as questões. Mostre ao cliente o que você encontrou, mas pense mais sobre explicar como resolver cada questão trará benefícios para seus negócios. É menos sobre tags canônicas e mais sobre ROI. Novamente, se o cliente ficar empolgado com o impacto de consertar as coisas, você terá muita influência. Mesmo que você esteja apresentando apenas algumas áreas chave, você ainda terá o documento completo como uma referência detalhada em outros momentos.

Suporte para follow-up

Eu sou um grande crente na ideia de que um projeto técnico não deve ser sobre concluir a revisão e, em seguida, pensar “trabalho feito”. É muito mais importante ter a capacidade de realmente influenciar a mudança e a ação. Na verdade, a parte mais importante (e muitas vezes a mais difícil!) de qualquer auditoria técnica é o processo de follow-up e ter seu trabalho implementado. Um bom SEO pode diagnosticar problemas – um grande SEO faz acompanhamentos e garante que os problemas foram corrigidos. Voltando para o que mencionei anteriormente ao falar sobre o processo de vendas, ter uma boa compreensão do desenvolvimento dos recursos pode realmente ajudar aqui. Você tem uma compreensão de que os processos estão em vigor para os pedidos de reserva? Você checou se o desenvolvimento de recursos está disponível e alocado para o SEO? Estar à frente nessas áreas é uma das maiores chaves para ganhar!

imagem 3

O processo de follow-up pode ser muito ajudado quando se tem um recurso central para rastrear as mudanças e e se manter à frente do progresso ou mesmo dos desafios de implementar suas negociações. Usar ferramentas como Basecamp ou Asana pode ser uma ótima maneira de manter uma comunicação clara, e para ter certeza de que você tem as tarefas certas na frente das pessoas certas. Se você não está interessado em usar essas ferramentas, uma simples folha do Google Docs para exibir as tarefas e proporcionar um lugar para deixar comentários é tudo que se precisa. Combinando isso com chamadas regulares ou check-ins via e-mail lhe dá a capacidade de manter o projeto se movendo na direção certa, e manter o foco quando você  se inteira do processo em uma reunião ou uma ligação.

 

Fonte:Imasters

Read More

02 jul E-mail Marketing: Estratégico sim! Morto? Jamais!!

O e-mail marketing está passando por uma crise existencial. Sim, ele até foi dado como morto por vários entendidos do assunto. Entretanto, sabemos que o e-mail é uma ferramenta de internet com fácil acesso e alcance a perder de vista. Além disso, proporciona um meio de comunicação restrito, pessoal.

Então, o que aconteceu?

Não desmerecendo as redes sociais, todavia utilizadas por maioria jovem, famosos e (os mesmos) entendidos do assunto. Elas têm seu valor. Mas o e-mail é diferente. O e-mail é livre de preconceitos, o e-mail é democrático, o e-mail é pessoal. Então, poxa vida, se ele é capaz de ser dirigido as mais diversas segmentações, como ele pode ser desdenhado desse jeito?

Há uma explicação bem elegante para isso. O e-mail marketing foi banalizado, mal utilizado e vulgarmente denominado de SPAM.

Por que? Porque foram enviados indevidamente e com frequência absurda a quem não tinha o menor interesse em recebê-lo. Fato este que deixou as pessoas injuriadas.

E-mail Marketing

Como dar credibilidade ao e-mail marketing?

Já estamos mudando isso. Os profissionais de marketing digital estão zelando pela qualidade da sua mailing, higienizando-a quando necessário e dando liberdade para quem quiser pular fora. Além disso, mais criatividade e inovação estão sendo inseridas nas técnicas de elaboração e produção do e-mail marketing.

E-mail marketing
Falando nisso, cada parte do e-mail marketing necessita de cuidado e atenção. Seguem alguns detalhes importantes:

  • Os destinatários devem saber de quem estão recebendo o e-mail marketing;
  • O assunto deve estar claro, definido;
  • Quem abrir o e-mail deve conseguir executar a ação desejada;
  • Os desinteressados devem conseguir se descadastrar de maneira prática.

Sendo assim, o seu contato deve saber com quem está falando e qual o assunto em questão. Quando esses primeiros parâmetros estiverem adequados as chances de seu e-mail marketing ser aberto é bem maior. Se tiver um toque criativo então nem se fala.

O Pré-Header, normalmente utilizado para dar uma prévia do assunto que virá e dar a opção de visualização no navegador, pode ser trabalhado de forma a ser mais atraente. Dessa forma, esperar o carregamento das imagens fica bem mais convidativo.

E a Call-to-Action? Sem ela nada disso valeria a pena, certo? Pois bem, seja um botão, um link ou uma imagem ela deve ser vista… e clicada, oras!

Se isso não ocorre não há conversão, portanto não economize nessa estratégia.

Mas e as Redes Sociais??

Mostre que a sua empresa quer se relacionar com os seus clientes. Estimule-os a fazer parte de suas redes sociais. De que jeito? Através do e-mail marketing! Fique sabendo que há diversas formas de se trabalhar essa conexão no decorrer de um e-mail.

E-mail Marketing

Não se vá…

Para finalizar, dê ao seu assinante a opção de partir. Sim, é triste e dolorido mas dessa forma a qualidade da sua lista é mantida. Você já entendeu que se sair disparando e-mail marketing a torto e a direito será bloqueado de alguma maneira, não é?

Relatório de disparo do E-mail Marketing? Hã??

Bom, mas de nada adianta fazer tudo isso se os relatórios não forem interpretados de forma crítica, visando sempre o melhor desempenho nas próximas campanhas. Consegue fazer isso corretamente?

Finalmente!

O e-mail marketing está com tudo, figura entre as principais estratégias de marketing digital, só não vê quem não quer! Aposte nesta estratégia!!

 

Fonte:Estratégia Digital

Read More

02 jul Ferramenta de Gerenciamento do Google+

 

Google+

 

Olá pessoal,

Desde o lançamento do Google+, fiquei imaginando que a sua adesão, por parte de empresas e grandes grupos de pessoas, seria dado no momento em que tivéssemos ferramentas para gerenciar e postar na rede social.

Pois bem, o tempo passou, vimos diversos movimentos da plataforma social, recebendo melhorias em termos visuais ou de novas funcionalidades, mas nada sobre uma API ou ferramentas no ramo. Isto até a última semana.

Na última semana, em conversa com os nossos parceiros da Allin1Social, fui informado de que os mesmos estavam liberando para alguns usuários o módulo de gerenciamento do Google+ pois haviam integrado a plataforma com a API do Google+. Fiquei muito feliz e já parti para o teste.

Gerenciamento do Google+

Para começar a utilizar o gerenciamento é simples, acesse a página da Allin1Social e clique no botão de “Login”. Faça o seu cadastro com a sua conta do Facebook e depois envie um email para inquiry@allin1social.com, em português mesmo, dizendo que você gostaria de gerenciar suas páginas no Google+.

Com isto, o pessoal da Allin1Social irá liberar até 3 páginas do Google+ para gerenciamento através da ferramenta.

Algumas Telas

Aqui na Mestre, fazemos a gestão da nossa página no Google+ através da ferramenta e a interação é bem fácil:

Google+ - Gerenciamento

Podemos ainda agendar posts (ufa! finalmente!) para anunciar novidades ou alinhar com o lançamento de algum post (este que você está lendo por exemplo):
Publicação no Google+

Minha recomendação é que você aproveite agora mesmo e teste a ferramenta. Ela vai economizar um bom tempo do seu dia!

Um abraço e até a próxima!


Fonte:Agência Mestre

Read More