27 jul WhatsApp pode substituir as ações de e-mail marketing?

Com cada vez mais empresas aderindo ao WhatsApp Business, esse aplicativo tem se tornado uma ferramenta de marketing para as marcas. A sua versatilidade caiu no gosto dos profissionais da comunicação e empreendedores. Alguns até se perguntam que o WhatsApp irá se sobrepor ao e-mail marketing. Será?

De antemão, podemos responder: o WhatsApp vem como mais uma ferramenta de marketing digital, mas não é capaz de substituir outros canais. Isso porque cada solução tem suas particularidades de uso e podem se encaixar de formas distintas em cada empresa, a depender do seu público-alvo.

Vamos entender melhor sobre o assunto:

Por que o WhatsApp é tão popular? 

Por muito tempo, ligações eram caras, especialmente para quem ligasse para fora da sua área de DDD. Uma chamada internacional, então, era praticamente impensável. Enquanto as operadoras de telefonia disputavam para ver quem ofereceria as menores tarifas do mercado, o WhatsApp vinha sendo desenvolvido.

Antes mesmo das gigantes da telecomunicação se darem conta, o aplicativo que tinha apenas 55 colaboradores foi vendido para o Facebook, em 2014. Desde então, o WhatsApp transformou o setor de comunicação, mesmo sem ter lojas, centrais de atendimento ou vendedores.

Com mais de 2 bilhões de usuários ativos, hoje, o WhatsApp é o maior aplicativo de mensagens instantâneas do mundo. Isso logo atraiu a atenção de marcas em busca de um canal mais próximo para manter contato com seus clientes.

WhatsApp ou e-mail marketing? 

Instantaneidade

A instantaneidade dos aplicativos de mensagem é certamente o seu grande trunfo. Com a pandemia do novo coronavírus, inclusive, intensificou-se a busca por atendimento em canais rápidos. Tanto que, de fevereiro a maio, houve um aumento de 101% no uso do WhatsApp para o atendimento ao cliente.

O app é utilizado por 77% dos usuários para pedir informações, enquanto 65% preferem solicitar suporte técnico pela plataforma, segundo o Panorama Mobile Time/Opinion Box. No entanto, gerenciar esse fluxo de mensagens pode ser bastante complicado para as marcas, já que o WhatsApp não foi concebido para esse uso e não comporta, nativamente, opções avançadas para a gestão de contatos.

Versatilidade 

O e-mail marketing é uma ferramenta, por si só, já planejada para o envio em massa, com a possibilidade de segmentação, captação de dados para análise e melhoria contínua, além da personalização do contato com leads e clientes. Nesse ponto, o e-mail é a melhor ferramenta disponível.

Privacidade 

Outro aspecto a ser observado é que os contatos via WhatsApp são feitos pelo número pessoal do cliente. É preciso ter muito cuidado e sutileza na relação das empresas com clientes via WhatsApp. Afinal, se a pessoa utiliza o app para manter contato com familiares ou para trabalhar, provavelmente, não quer ser perturbado por anúncios.

O número pessoal de alguém é considerado um dado sensível, ou seja, informações pessoais que você não gostaria de passar para qualquer um. Então, é preciso ter muita atenção ao utilizar esse canal, mesmo com a autorização da pessoa para entrar em contato. E não se esqueça: enviar mensagens para quem não autorizou que a empresa usasse o seu contato para esse fim é uma prática irregular e altamente não recomendada.

Tendência mobile 

Você pode pensar que adotar o WhatsApp como substituto ao e-mail marketing é uma boa ideia, pois as pessoas estão mais conectadas via mobile. Então, é bom que saiba que 43% dos e-mails são lidos em dispositivos móveis. Se está enfrentando problemas com a taxa de abertura, isso está mais relacionado à estratégia do que ao canal utilizado.

A usabilidade do e-mail influencia diretamente no resultado de uma campanha. Se o contato não consegue visualizar e interagir corretamente com o e-mail, as taxas de engajamento (abertura e clique) despencam. Assim, recomendamos o uso de ferramentas de e-mail marketing que oferecem templates já responsivos para que você possa personalizar a peça de forma que ela seja automaticamente responsiva.

Por que o e-mail marketing segue sendo uma opção vantajosa?

A solução torna-se disruptiva quando ultrapassa em eficiência e custo as ferramentas já existentes. Com o tempo, o e-mail marketing foi aperfeiçoado e, hoje, já está nesse patamar. Isso é atestado pelo resultado de diversos estudos, como esses:

Para 74% das empresas, o e-mail marketing é o canal que apresenta maior retorno financeiro, de acordo com o estudo da Email Marketing Industry Census, realizado pela Adestra.

O e-mail marketing é a solução que tem o menor custo por aquisição no ambiente digital, sendo 30% abaixo em comparação ao custo médio combinado de outros canais online, afirma Guy Hanson, vice-presidente de Professional Services da Return Path.

Para 50% dos entrevistados por uma pesquisa da Adobe, o e-mail marketing é o meio de contato predileto para receber oferta das marcas.

Isso significa que não podemos desdenhar a potencialidade de aplicativos como WhatsApp, Messenger ou Telegram. Afinal, são alternativas bastante econômicas e acessíveis. Aproveite as vantagens dos apps, como a instantaneidade, para conversar com os clientes, tirar dúvidas rapidamente, mas não foque somente nesse canal para cuidar do relacionamento com o seu público.

Ou seja, essas novas opções não podem substituir as soluções de e-mail marketing — e sim complementá-las. Ainda mais quando as campanhas estão cada dia mais inteligentes e automatizadas, o que permite acompanhar todas as etapas do ciclo de atendimento ao cliente de forma personalizada.

Read More

16 jul O que é autoresponder e como ele funciona no email marketing?

Autoresponder é todo o e-mail disparado automaticamente depois de alguma interação realizada pelo contato ou por regra definida através de mecanismos para automação de marketing.

O exemplo mais comum e usado é sem dúvida o e-mail de boas-vindas, disparado após inscrições numa newsletter ou após a adesão a algum serviço. O auto responder é importante para as empresas que procuram expandir seu funil de vendas e gerar novos leads, pois auxilia a prover um atendimento ágil, que melhora muito a reputação de uma empresa frente a seus clientes e prospects, sem que seja necessário dispor de uma grande estrutura para isso.


Autoresponder: disparos automáticos de e-mail“Estamos focados em fechar o negócio, e encurtar o ciclo de vendas é muito importante, mas o objetivo principal é “fechar negócio” e identificar quais os clientes e prospects que estão preparados para aquele produto ou serviço”, diz Lawrence DiCapua, líder global do Centro de Excelência em Marketing de Receita da General Electric.

Benefícios do uso de auto responders

Existem procedimentos que se fossem realizados manualmente, seriam inviáveis de serem feitos na escala que a internet exige, como por exemplo, mandar uma confirmação de compra para cada cliente, ou gerar uma série de emails de produtos, baseados no comportamento mensal de compra dos clientes do seu e-commerce.  O uso de auto responders neste contexto significa encurtar o ciclo de vendas e o mais importante: fechar negócios rapidamente.


Autoresponder: disparos automáticos de emailO Dinamize Automation conta com o recurso de automação de marketing, que permite a você criar diversas formas de auto responders, entre outras formas de automação, incluindo até mesmo disparos de SMS. Confira mais detalhes aqui.


Mas não só isso: automatizar as suas campanhas de e-mail permite focar seu tempo na criação de estratégias para nutrição de leads, com uma abordagem aberta, como o Drip Marketing (marketing gota a gota), em que, aos poucos o produto ou serviço vai sendo apresentado, até o ponto em que usuário esteja tão familiarizado que já tenha se tornado um lead apto para conversão, ou nas próprias palavras de DiCapua: “Nutra até o ponto em que eles estejam realmente comprando.”


Autoresponder: 2x mais visualizações no email

A taxa de abertura é maior

Auto responders geralmente contam com uma taxa de abertura que é em média duas vezes maior do que uma campanha de e-mail marketing normal. E o motivo disso é que o e-mail é disparado imediatamente após uma ação específica do usuário, como um abandono de carrinho por exemplo, e o conteúdo do e-mail é de total interesse do usuário naquele momento.


 

Autoresponder: aumenta o engajamento dos disparos de e-mailAumentam o engajamento

Auto responder é um recurso que auxilia na tarefa de conquistar a confiança e o apreço dos usuários pela sua marca.

Como? Com uma segmentação de base que respeita as preferências deles, você poderá construir uma régua de conteúdo, que dispara e-mails periódicos, adequados a cada perfil e também proporcionar premiações por tempo de permanência na base.


Pesquisa de geração de demanda empresarial B2B – Annuitas

Em outubro de 2016, a Annuitas lançou os resultados de sua 3ª pesquisa anual, cujo foco foram empresas de B2B dos Estados Unidos, com receitas de no mínimo 250 milhões de dólares. Uma das questões da pesquisa foi justamente sobre a automação. Confira:

Autoresponder: mais eficiência

Sua organização tem sido eficaz no uso de automação de marketing?

29,4% – Sim, tem sido eficaz e a automação teve um grande impacto no funil de vendas e na receita.

56,9% – A automação teve influência significativa no volume de leads no funil de vendas e na receita.

13,8% – Não, a automação de marketing não forneceu o ROI esperado.

Os 9 tipos mais populares de auto responder

A Marketing Sherpa fez um estudo com o objetivo de descobrir os tipos mais utilizados de auto responder por quem pratica e-commerce. Veja a lista:


 

 

 

Boas-vindas: 50%
Adotado por metade dos pesquisados, o e-mail de boas-vindas não é uma mera formalidade ou cortesia. Na verdade é um dos primeiros passos de aproximação do seu cliente.

Alguém que esteja interessado no seu produto ou conteúdo e se inscreve, inicia um movimento que exige alguma resposta que concretize a nova relação.

 


Agradecimento: 48%
Estes e-mails não servem apenas para fidelização, mas também permitem que você possa transmitir informações adicionais a eles de maneira sutil, como um link para suas redes sociais ou para alguma novidade que é importante destacar.


 

Autoresponder: disparos de email transacionalTransacional:  40%
Email como os de confirmação de pedido, fatura, registro, que são integrados a diversos gatilhos externos, como um sistema de controle financeiro ou sistemas de automação de marketing.


 

 

Autoresponder: retenção de clientesPós-venda: 26%
Perguntar a opinião de seu cliente, periodicamente através de pesquisas de opinião sobre seus serviços ou produtos. Combinado a um monitoramento social que dispare o e-mail, o auto responder é um recurso poderoso.


 

 

Autoresponder: disparos automáticos de e-mail por dataAtivado por data: 24%
Felicitações de ano novo, natal, aniversário, páscoa, dia das mães. É possível configurar um calendário anual de envios para não perder nenhuma data importante.
Confira aqui como configurar um envio deste tipo no Mail2Easy PRO


 

Autoresponder: disparos automáticos de e-mail baseados em navegaçãoBaseado em comportamento no website: 18%
Qual produto mais converteu? O usuário logado passou por quais páginas? Fez quais buscas? Todas essas questões permitem criar um email pontual e para realizar uma proposta e um desconto especial para aquele perfil de cliente.


 

Autoresponder: contagem regressivaContagem regressiva: 18%
É possível criar lembretes e gerar bastante engajamento usando uma série de auto responders antes de um evento, data ou sorteio. Ex: avisar 1 semana antes, ante-véspera e véspera, convocando para participar. Grande parte das pessoas prefere se engajar na última hora, e você pode ganhar muito público ao adotar esta estratégia.


 

Autoresponder: disparos automáticos de e-mail para reengajamento e winbackReengajamento/trazer de volta (winback) : 15%
Reengajamento é, na maioria das vezes, uma tática usada para melhorar a entregabilidade da base de e-mail. Você pode fazer uma campanha de reengajamento com um auto responder que se ative depois de uns 3 meses, para quem é soft bounce por exemplo, mandando um e-mail para que o cliente mude suas preferências de recebimento.

Já o winback, deve ser usado quando um cliente parou de converter por um determinado período e deve ter um tratamento que incentive uma nova conversão, como uma promoção.

É diferente do reengajamento, pois não adianta apenas ele visualizar e clicar se não houver conversão efetiva.


Autoresponder: abandono de carrinhoAbandono de carrinho de compras: 9%
Uma das situações mais frequentes em ecommerce e fonte de um grande resultado na recuperação das vendas.


Read More

16 jul O papel do email marketing na retenção e aquisição de clientes

O email é fundamental para o crescimento das vendas

Apesar de críticos terem declarado em várias ocasiões a suposta morte do email, as campanhas de email marketing só vem aumentando sua importância no marketing de retenção e aquisição de clientes, além de confirmarem que o email é a mídia que tem o maior retorno de investimento(ROI).

Por que isso acontece? Porque o email é uma forma direta de comunicação. Você pode abordar diferentes públicos atraindo-os com promoções e conteúdos relacionados com o seu produto, ao mesmo tempo em que pode fidelizá-los usando conteúdos e condições especiais ou exclusivas para quem é engajado com sua marca.

O email também serve para dar retorno aos clientes, resumos semanais de notícias, detalhamento de contas, acompanhamento de pedidos ou processos, enfim, para virtualmente tudo. E, sempre, de forma instantânea. Por isso, o email é um canal de comunicação muito eficiente no marketing digital


O email marketing na retenção e aquisição de clientes é indispensável

Entre fevereiro e março de 2016, a WBR digital em parceria com a Emarsys, entrevistou 254 profissionais de varejo dos EUA, em empresas com faturamento anual inferior a 100 milhões de dólares.

De acordo com os dados, 81% dos entrevistados disseram que o email marketing impulsionou a aquisição de clientes e 80% afirmaram que foi crucial na retenção desses. Outras ferramentas digitais também apareceram na pesquisa: busca orgânica  foi citada por 62% dos entrevistados como responsável pela aquisição e,  36% pela retenção. Já as mídias sociais, responderam com 51% para aquisição e 44% para retenção.

Confira abaixo a comparação:

Email marketing: o melhor para retenção e aquisição de clientes

Foco na abordagem de conversão aumenta a aquisição

Email marketing na retenção e aquisição de clientes: foco na conversãoA maioria das campanhas de email  focadas em conversão se utiliza de call-to-actions para levar o cliente até um site ou landing page, e isto faz com que elas sejam muito úteis, tanto para atrair novos clientes, quanto para reter os atuais, pois induzem a realização de uma determinada ação.

Esta ação pode ser uma compra, um download ou a abertura de uma conta de testes, por exemplo.

Mas além do call-to-action, é necessário definir assuntos de email que ressaltem as características do que é ofertado e que transmitam senso de urgência.  Uma dica é usar chamadas como “compre agora”, “últimas unidades”, “download agora” e “por tempo limitado”. Outra dica é usar emojis – está provado que eles aumentam muito as taxas de visualização e clique.

 

Outro ponto, talvez o mais importante para garantir o sucesso das suas campanhas de email marketing, é a criação e manutenção de uma base de dados segmentada por interesses. Assim, será possível oferecer conteúdos relevantes, brindes, cupons de desconto e promoções para cada tipo de lead e perfil de cliente. Entra em jogo, então outro ponto fundamental: a personalização.


Personalização e automação voltados à retenção

A retenção é de suma importância, e se for deixada de lado pode gerar muitos prejuízos. A tradicional regra de Pareto nos diz que 80% da receita de uma empresa provém de 20% dos clientes atuais; já Philip Kotler, um dos maiores especialistas de marketing do mundo, afirma que conseguir novos clientes custa de 5 a 7 vezes mais do que manter os atuais. Então, investir em retenção é uma estratégia comprovada, não só para economizar, mas para manter a receita.

Email marketing na retenção e aquisição de clientes: automação de marketing e personalização

AO ANALISAR AS PREFERÊNCIAS DO SEU CONTATO E USAR SUAS INFORMAÇÕES DE MANEIRA PERSONALIZADA, VOCÊ PODE GERAR O ENGAJAMENTO QUE RESULTARÁ EM RETENÇÃO.

De fato, a personalização tem um papel muito forte na retenção. Um estudo realizado em maio de 2016 pela Evergage e Researchscape, mostra que 67% das empresas pesquisadas realizam personalização em seus emails, afinal os contatos interagem muito mais se estiverem de alguma forma relacionados ao conteúdo proposto. Personalizar o tratamento que se dá ao contato, como utilizar o nome dele ou enviar uma felicitação de aniversário, são formas simples de gerar identificação.

automação de email marketing viabiliza a questão de lidar com uma grande quantidade de dados de clientes, de criar estratégias de tratamento, implementar leadscoring e gerenciar réguas de conteúdo, permitindo a abordagem individual, baseada no perfil e comportamento de cada contato com as ações realizadas anteriormente.

Read More

16 jul Pós-venda com automação de marketing: como fazer?

Captação de leads e venda são importantes, mas você possui processos de pós-venda bem estruturados? Você sabia que suas ações de pós-venda podem ser executadas de forma mais efetiva com o auxílio de ferramentas de automação de marketing?

O processo de pós-venda consiste em acompanhar os clientes a partir do momento que realizam uma compra, oferecendo novas oportunidades de engajamento com sua marca.

Não deixe que as pessoas adquiram algum dos seus produtos e simplesmente esqueçam da sua marca.

Veja abaixo algumas sugestões de como estruturar suas estratégias de pós-venda com automação de marketing!


Ofereça soluções para as dificuldades dos clientes

Crie pesquisas para divulgar entre os seus clientes. A partir das respostas deles, você conta com informações que podem ser utilizadas para aplicar melhorias em seus serviços.

Em sua maioria, os clientes possuem sugestões para qualificar os seus serviços, gerando maior satisfação por parte do público.

Existem algumas formas de ajudar seus clientes de forma simples, utilizando canais como os apresentados abaixo:

  • FAQ;
  • Blog;
  • Materiais educativos em PDF;
  • Treinamentos online (youtube / IGTV).

Os canais utilizados para oferecer as orientações ao seus clientes podem variar de acordo com a complexidade dos recursos que seu serviço disponibiliza.

Esses espaços podem fazer com que os seus clientes fiquem mais satisfeitos ao utilizar seus produtos. Sempre que eles contam com alguma dúvida ela é solucionada rapidamente acessando o site da sua empresa ou suas redes sociais.


Fluxos de automação para relacionamento

A criação de fluxos de automação de marketing digital pode auxiliar a manter um relacionamento frequente com os seus clientes. Por vezes, pode ser mais fácil trabalhar na fidelização de quem já utiliza (ou utilizou) seus serviços do que dedicar mais tempo trabalhando na geração e conversão de leads.


Email marketing e SMS

Contato com o cliente para obter informações sobre a compra que foi realizada. Ouvir os pontos positivos e negativos do processo de compra e utilização do produto pode ajudar a definir mudanças para aprimorar a experiência dos próximos clientes (e dos que forem fidelizados).

Você também pode manter os clientes informados sobre todas as novidades na sua empresa. Isso pode incluir eventos que próximos da cidade deles, atualizações no produto que adquiriram, novos itens disponíveis na sua loja, convite para webinars, entre outros.


 

Envios de aniversário

 

Podem ser criados fluxos que considerem datas especiais, como aniversário dos clientes ou então a data da primeira compra realizada por ele. Envios como esses podem oferecer algum tipo de benefício, para incentivar o cliente a fazer uma nova compra.


Mantenha os dados dos seus clientes atualizados

Ferramentas de automação de marketing possibilitam a criação de campos, que podem ser utilizados para gerenciar informações sobre as pessoas presentes na sua base.

São exemplos de campos: nome, email, telefone e cidade.

Criando esses campos, é possível usar como segmento os clientes que já adquiriram algum produto. Assim, você fazer um envios que sejam relevantes apenas para quem já possui determinado item.

O mesmo vale para dados como a localização dos clientes.

Vamos supor que você vai fazer um evento na cidade de São Paulo e você precisa divulgar esse evento, para conseguir o maior número de participantes.

Porém, você possui clientes em todo o Brasil. Por isso, pode ser mais útil para você segmentar seus contatos de acordo com a região deles.

Existem outros tipos de campos que podem ser utilizados para gerenciar melhor a sua base de clientes. Disponibilize espaços como formulários, para que as pessoas possam atualizar as suas informações.

Também é possível criar fluxos de automação para que, de acordo com determinadas interações dos clientes, eles tenham suas informações atualizadas.

Veja alguns exemplos:


Navegação no site

A partir de ferramentas de automação de marketing, é possível organizar diversas ações integradas com sites.

Considerando as páginas que uma pessoa pode navegar em seu site, por exemplo, você pode nutrir os clientes com dados que correspondam ao conteúdo acessado.

Como falamos anteriormente, a criação de campos pode ajudar no gerenciamento desses dados. Criando um campo do tipo “produto de interesse”, por exemplo, você consegue controlar quais itens se encaixam nos interesses dos clientes.

Ou seja: sempre que um cliente navegar em uma página relacionada ao produto X, inserir este produto X no campo referente aos seus interesses. A partir dessa informação, você pode organizar outras ações relevantes para quem se interessa pelo item especificado.

Outra opção é verificar os produtos abandonados no carrinho do seu site. Você pode definir um tempo específico como regra e, assim que um produto atingir determinado período no carrinho, enviar ao cliente um email notificando-o de que ele não finalizou a compra.


Interação em envios de email marketing

Sempre insira links em suas peças de e-mail. Sejam eles direcionados para suas redes sociais ou para locais específicos do site, os links fazem com que o usuário permaneça um período maior consumindo conteúdo da sua marca.

A partir dos relatórios de envios de email marketing, você pode verificar quais são os links que possuem maior clique. Através dos fluxos de automação, podem ser feitas ações com base nesses cliques.

Sabendo quais tipos de conteúdos interessam mais para os contatos, você perde menos tempo produzindo e divulgando materiais que não geram engajamento. Além disso, você qualifica a segmentação de contatos e suas ações de marketing serão ainda mais direcionadas.

Dica: além de se atentar ao conteúdo apresentado nos links, verifique também em que local da peça de email os links com mais clique foram inseridos. Isso vai ajudar na composição das próximas peças.


Importância do CRM

O CRM, abreviação de Customer Relationship Management, consiste em gerenciar o relacionamento com seus clientes de forma efetiva. Combinar a utilização de plataformas de CRM com automação de marketing para pós-venda possibilita a aproximação dos times de vendas e marketing.

Com os dados mantidos no CRM, é possível saber quais assuntos interessam aos clientes. Informações como quais produtos foram adquiridos anteriormente, áreas de interesse, data da última compra, entre outras especificações.

Integrando esse serviço com ferramentas de automação de marketing, você pode criar ações efetivas para fidelizar o público.

 

 

 

 

Conclusão

Conhecendo os interesses dos seus clientes, você pode criar ações para mantê-los interessados em sua marca. Esse acompanhamento aos seus clientes pode, além de gerar engajamento, fazer com que eles passem a indicar sua marca para outras pessoas, gerando novas vendas.

Estruture sua estratégia de pós-venda com automação de marketing e possibilite aos seus clientes uma experiência maior com sua marca. A partir de interações como as apresentadas acima, você pode engajar ainda mais seus seguidores.

Read More

15 jul Para transformar leads em clientes, siga essas 5 práticas de e-mail marketing

Converter leads em clientes com e-mail marketing. Esse costuma ser o principal objetivo entre as empresas que investem no envio de newsletters para construir um bom relacionamento com seu público.

Se gerou novos leads, significa que essas pessoas interagiram com sua marca, mas ainda precisam maturar mais para se tornarem clientes. O processo de criar campanhas de impacto, capazes de esquentar esse lead até que ele compre, passa pela nutrição. Do contrário, você pula estágios dessa jornada e corre o risco de ser muito direto com quem ainda não está preparado.

Antes, analise algumas questões:

  • Quem é o meu público?
  • Qual tipo de conteúdo meus clientes gostariam de receber?
  • Que tipos de conteúdo funcionam?
  • Qual mensagem a empresa quer passar?

Se você não tem essas respostas, tudo parece muito abstrato ou difícil de executar, não se apavore. Separamos algumas dicas práticas para um relacionamento de sucesso com seu lead:

O primeiro contato precisa ser encantador

Você pode não acreditar em amor à primeira vista, mas deve concordar que a primeira impressão realmente impacta. No mundo digital, quem faz esse encontro acontecer é o e-mail de boas-vindas.

Essa é uma mensagem aguardada por quem se inscreve, tanto que esse tipo de e-mail marketing tem 86% a mais de taxa de abertura, consegue 196% mais cliques e aumenta em 336% as taxas de transação. Para que o seu contato chegue rapidinho na caixa de entrada, invista em uma ferramenta de automação. A automação permite que você acompanhe a jornada do cliente, desde o momento em que ele preenche o formulário de cadastro para receber sua newsletter.

Incentive a compra 

Não apenas agradeça o lead pela inscrição. Aproveite para instigá-lo com um desconto especial, download de um material complementar, período de teste grátis de uma ferramenta ou algum outro serviço diferenciado que você possa oferecer.

Seu futuro cliente já deseja ou sabe que precisa de algo. Nesta etapa, ele está tentando satisfazer essa necessidade, mas está em busca de certos benefícios na escolha do produto ou serviço. Esse pode ser o empurrãozinho que faltava para que o lead tome uma decisão.

Saiba com quem você está falando 

Uma jovem mulher que faz mechas no cabelo, por exemplo, dificilmente se interessaria por um kit de tratamento anti-queda. Por outro lado, há uma gama de produtos, como shampoos para cabelos tingidos, condicionadores, cremes para evitar o ressecamento e tonalizantes, que fazem parte da sua rotina de cuidados. Como você pode saber disso? Perguntando!

Após captar esse e-mail, direcione-o para uma landing page para coletar mais informações e enriquecer sua base, como por exemplo o tipo de cabelo, cor de pele e preferências estéticas. Essas informações são valiosas para o seu negócio, incluindo, claro, suas estratégias de e-mail marketing.

Depois, lembre-se que as newsletters também permitem usar as informações de consumo de conteúdo para qualificar os contatos da sua base. Com todos esses dados, torna-se mais fácil segmentar e adotar as melhores abordagens para cada perfil de lead que conversa com sua marca.

O conteúdo certo para a pessoa certa 

Os disparos de newsletter podem ser feitos para toda a base ou apenas para quem demonstrou interesse pelo material ou oferta em alguma plataforma específica. Sendo assim, os conteúdos precisam ser variados a fim de oferecer valor para todos os destinatários.

Depois de captar mais dados qualificados, você consegue segmentar sua base e criar uma experiência mais pessoal. A sua estratégia precisa eliminar as barreiras que possam estar atrapalhando a jornada de compra do cliente e permitir que o lead tenha uma boa experiência com a marca, entregando conteúdo a partir das necessidades, interesses e comportamentos.

Gere confiança ao mostrar que respeita o cliente

Não custa reforçar: nenhuma campanha deve ser enviada para a caixa de e-mail de um lead sem que ele tenha autorizado o envio. Esse tipo de ação afeta negativamente a imagem da sua marca, além de aumentar as chances de descadastro ou ser categorizado como spam.

Segmentar o público e personalizar o e-mail marketing deixou de ser algo opcional para quem deseja transformar leads em clientes. Contudo, faça bom uso dos dados e seja transparente quanto às políticas de privacidade. No caso de farmácias e sex shops, por exemplo, o cuidado e o respeito precisam ser redobrados, já que ambos os negócios tratam de dados sensíveis — como condições de saúde e orientação sexual.

Seja constante e coerente

Não trate essa ferramenta como uma forma apenas de divulgação de produtos, mas de desenvolvimento do relacionamento com os futuros clientes.

Quando quiser divulgar um novo produto ou serviço, prepare conteúdos que podem despertar esse interesse naturalmente, sem a pressão de campanhas puramente vendedoras.

Mantenha sua estratégia constante e coerente, só assim poderá construir uma relação com seus leads para transformá-los em clientes. Isso ajuda a manter uma boa comunicação e identificar oportunidades de venda.

Agora que você reconheceu possibilidades de conversão do e-mail marketing para o seu negócio, é hora de investir em tecnologia para colocar suas campanhas em prática.

Read More

15 jul Que tal começar sua loja virtual? Veja dicas de marketing digital para melhorar seu negócio

Muitas empresas estão migrando ou incluindo o comércio eletrônico em seus negócios. A adesão a este formato teve um boom após o início da pandemia da Covid-19, onde muitos negócios foram obrigados a se reinventar para sobreviver. Um levantamento da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) aponta que houve no país, entre os meses de março e maio de 2020, o equivalente a uma nova loja online por minuto.

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), um a cada cinco trabalhadores no país deverão permanecer em casa mesmo após a retomada da normalidade econômica

1. Fazer cursos grátis de redes sociais
Universidades e diversas instituições públicas e privadas de ensino oferecem cursos grátis via Internet que podem ser realizados em casa. Entre eles, é comum encontrar conteúdo de marketing digital e redes sociais. Além disso, empresas de tecnologia como Facebook, Google e Microsoft oferecem seus próprios cursos.

2. Investir em computador e celular de qualidade
O computador e o celular são instrumentos fundamentais para o comércio digital, logo é importante investir em aparelhos adequados. Entre os notebooks de linhas profissionais estão famílias Latitude, da Dell, ou ThinkPad, da Lenovo, por exemplo, têm componentes melhores e que duram mais tempo, inclusive, a bateria, na comparação com modelos de uso doméstico.

Já o celular deve ter, principalmente, muita bateria para durar o dia todo e câmera capaz de capturar boas fotos para redes sociais. Nesse caso, não é necessário investir obrigatoriamente em um top de linha. Aparelhos como o Moto G8 Power e o One Zoom, da Motorola, além do Galaxy A71 e o recém-lançado Galaxy M31, da Samsung, podem ser suficientes.

Já se o Instagram estiver no centro da estratégia de negócios, o investimento em um iPhone 11 com capinha de bateria ou nos mais potentes iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max pode valer a pena.

3. Criar um site ou loja online
Ter seu próprio espaço na Internet, além das redes sociais, é essencial para conseguir clientes. Além de estudar e alimentar perfis, uma empresa também deve ter seu próprio site onde pode, por exemplo, anunciar serviços, oferecer agendamentos e cadastrar e-mails para enviar promoções. A maneira mais simples de criar um site ou loja online é contratando pacotes tudo-em-um que incluam hospedagem, domínio e criador de sites. Empresas como GoDaddy, Wix, Hostgator, KingHost e LocalWeb oferecem serviços do tipo com interface amigável.

No entanto, é preciso alertar que, na maioria das vezes, é mais recomendado comprar o domínio separado. Dessa maneira, se houver o desejo de trocar de plataforma no futuro, a migração fica mais fácil. Comece, por exemplo, comprando um domínio no Registro.BR e, depois, procure um serviço de hospedagem com criador de sites que atenda melhor as suas necessidades.

4. Cadastrar a empresa nos serviços do Google
O Google pode ser um atrativo de clientes ainda maior do que as redes sociais. Para registrar ou atualizar uma empresa no buscador, é importante baixar o aplicativo Google Meu Negócio, buscar pela empresa e solicitar a permissão de administrador por carta ao endereço físico que aparece na Internet. Comprovada a autenticidade do dono, é possível atualizar horários de funcionamento, serviços oferecidos e trocar a imagem da fachada.
O mesmo aplicativo também permite alterar o telefone que aparece no Google.

5. Criar um WhatsApp Business
Empresas que usam o WhatsApp para contato com clientes podem usar o WhatsApp Business para profissionalizar o atendimento. A versão empresarial do mensageiro oferece várias vantagens, como a possibilidade de criar um perfil público, catálogo de produtos e um bot para responder perguntas automaticamente. É possível, por exemplo, emitir uma resposta padrão quando um cliente contatar a empresa fora do horário de expediente.

Qualquer número de celular pode ser convertido em Business.

6. Fazer anúncios nas redes sociais
Com o site criado e os perfis de redes sociais devidamente alimentados, já é possível investir em anúncios para atrair clientes. No Facebook, é possível impulsionar postagens ou criar campanhas para exibir banners em diversos locais da rede social. O mesmo vale para o Twitter, o Instagram, o YouTube e o Google.

As plataformas permitem escolher o público-alvo usando filtros de idade, localidade, gênero e diversas preferências pessoais. Desse modo, é possível tentar atingir quem tem mais chance de comprar o produto ou serviço ofertado.

7. Escolher um bom programa de videoconferência ou trabalho remoto
Se a empresa tem uma equipe que precisa estar o tempo todo em contato, o WhatsApp provavelmente não é suficiente como ferramenta de comunicação. Dependendo do estilo e do ramo da empresa, pode ser preciso contratar planos de serviços como Microsoft Teams e Slack, que oferecem videoconferência, armazenamento em nuvem e várias funções que facilitam o trabalho colaborativo online.

Para fazer apenas reuniões casuais, no entanto, o Google Meet, o Skype e até o Zoom podem servir como solução gratuita.

8. Aceitar pagamentos digitais
Lojas que funcionam totalmente via Internet precisam oferecer um meio de pagamento confiável para pagar online, incluindo o suporte para as mais diversas bandeiras de cartão.

Atualmente, serviços de hospedagem que oferecem criador de loja online costumam oferecer também suporte a pagamentos. No entanto, se o negócio funcionar apenas por redes sociais, por exemplo, é importante optar por alternativas. Empresas como Cielo, PagSeguro e MercadoPago, por exemplo, oferecem maquininhas de cartão e pagamento por link.

Alguns estabelecimentos também podem optar por aceitar PicPay ou até mesmo criptomoedas. Nesse último caso, empresas como a Kamoney e a ZCore Pay oferecem gateway de pagamento para usar Bitcoin e outras moedas na hora do checkout.

9. Adquirir certificados digitais
Com certificados digitais modernos, é possível assinar contratos com fornecedores sem precisar de documentos em papel. Recentemente, a Certisign lançou uma solução destinada ao microempreendedor individual que alia o certificado ao CPF. O Certificado Digital e-CPF MEI permite guardar documentos na nuvem ilimitadamente e agilizar processos em serviços do governo, como o e-CAC e até leilões da Receita Federal.

10. Aderir a plataformas de intermediação empresa-cliente
Em alguns ramos, existem plataformas que reúnem vários desses pré-requisitos para digitalizar uma empresa. Um restaurante, por exemplo, pode aderir ao iFood para ganhar um espaço online no aplicativo, acesso a entregadores e a ferramentas de gestão de clientes, tudo em um só lugar. Já lojas online têm à disposição o Mercado Livre, a OLX e os marketplaces do Magazine Luiza e Carrefour, entre outros.

É importante, todavia, levar em conta que boa parte dessas plataformas costumam cobrar um percentual nas vendas.

Read More