Além do e-commerce: entenda como o digital pode alavancar suas vendas

Além do e-commerce: entenda como o digital pode alavancar suas vendas

Depois de priorizar as vendas digitais ao longo do período mais severo da pandemia, o varejo voltou a concentrar suas forças nas lojas físicas. Na comparação com janeiro de 2021, o início deste ano viu um aumento de vendas totais do varejo de 5,7%, mas uma queda de 26,6% se considerado apenas o e-commerce.1

Isso, no entanto, não significa que as grandes marcas podem deixar o digital em segundo plano. Uma pesquisa feita pelo Google com a Euromonitor analisou o comportamento dos consumidores em relação ao varejo e mostrou que mais da metade dos brasileiros se preocupam apenas com ter o produto que desejam — independentemente de ter sido comprado online ou offline.2 A previsão é de que, até 2025, o e-commerce cresça 42% no país, com o varejo sendo responsável por 39% desse crescimento de vendas.3

Além do e-commerce: entenda como o digital pode alavancar suas vendas-2
Além do e-commerce: entenda como o digital pode alavancar suas vendas-3

Nossa experiência no Google lidando com clientes do varejo — tanto os mais tradicionais quanto aqueles que já nasceram no ambiente online — nos mostra que, dentro desse contexto, o caminho em direção à maturidade digital é o mais interessante para quem lida com compra e venda. Essa trajetória parece intrincada, mas pode ficar mais simples quando você leva alguns pontos-chave em consideração.

Conheça o poder do digital e como ele pode alavancar seus resultados

Um bom negociador não coloca dinheiro em algo que não conhece, correto? Por isso, é muito importante que você entenda de que forma a presença digital vai potencializar ainda mais o seu negócio.

Além do e-commerce: entenda como o digital pode alavancar suas vendas-4

Você não deve apostar na digitalização apenas porque todo mundo está fazendo isso, e sim porque faz sentido para o seu negócio e o mercado onde você está inserido. Um dos primeiros passos para trilhar essa jornada deve ser a avaliação de onde estão os esforços de marketing da sua companhia hoje, para então colocar em prática a digitalização.

Esse processo traz um grande potencial de crescimento da receita e de expansão da atuação. De um lado, você começa a ter mais informações sobre quem são seus clientes e o que eles desejam. De outro, permite que sua marca seja mais conhecida, atraindo novos consumidores e mercados.

Entenda o que é sucesso para o seu negócio e crie metas

Qual é o seu objetivo com a digitalização? Essa pergunta precisa ter respostas muito claras se você deseja que esse processo seja sustentável e duradouro. É importante saber o que sua empresa espera alcançar, definir suas metas e criar um plano de como cumpri-las para que, assim, as expectativas estejam alinhadas com a estratégia adotada.

A semente da digitalização não pode ser plantada somente em quem está propondo essas mudanças, mas deve ser incorporada na cultura da empresa, em todas as instâncias e setores. A princípio, estratégias de sazonalidade são uma boa porta de entrada para investimento no digital, mas resultados robustos e efetivos demandam um processo contínuo e levado adiante por toda a organização.

Meça seus resultados

Você sabe dizer quantas pessoas viram um outdoor da sua empresa e por isso foram até a loja? Ou qual promoção do flyer ou do comercial de TV fez com que o consumidor decidisse fazer a compra? Medir resultados é fundamental para criar estratégias de marketing bem-sucedidas, e o digital é muito mais eficiente nesse quesito.

É possível medir não só as vendas e interações no online, mas também ter uma dimensão de como a estratégia digital impactou o offline, como visitas às lojas que aconteceram depois de alguma busca na internet, ou quantas vezes uma pessoa clicou em “como chegar” depois de ver um anúncio, por exemplo. Mas, para fazer isso, é necessário configurar o seu Google Meu Negócio de forma adequada, integrá-lo ao Google Ads, implementar tags de mensuração e, claro, respeitar o tempo necessário para que o machine learning traga resultados.

Além do e-commerce: entenda como o digital pode alavancar suas vendas-5

Uma mensuração bem-feita pode impactar não apenas sua estratégia de marketing, como também de logística. Já imaginou saber quais campanhas ou promoções foram responsáveis por levar mais clientes à sua loja? Com esses dados em mãos, é possível, por exemplo, fazer parcerias mais efetivas com seus fornecedores.

Esteja preparado para expansão e crescimento

A digitalização traz novas demandas para todos os setores da sua empresa. Ela vai fazer com que o seu negócio prospere e necessite de mais insumos, pessoas, treinamentos e estrutura.

É importante que todas as áreas estejam alinhadas. Se apenas a equipe de marketing estiver engajada no processo de digitalização e não for acompanhada pela logística, pelo comercial ou pelos recursos humanos, você pode estar criando um problema a longo prazo, e não uma solução para o seu negócio.

Para isso, o ideal é ter uma base de dados muito bem integrada e reconhecer que o seu cliente é um só, independentemente de como ele faça as compras — online ou offline. Um dos riscos da falta de integração é criar experiências de consumidor insatisfatórias. E não adianta a experiência começar bem, ela precisa ser positiva durante a jornada completa do consumidor e continuar atrativa ao longo de todo o relacionamento com uma marca.

Além do e-commerce: entenda como o digital pode alavancar suas vendas-6

O pioneirismo é uma característica importante de empresas e negócios que constroem trajetórias de sucesso. Para desenvolver a maturidade digital, o comprometimento do C-Level é fundamental. Para crescer e expandir, é preciso investir, mas sobretudo acreditar no digital. Ao apostar na digitalização, você estará entrando em um caminho complexo, mas com grande potencial de crescimento e ótimos resultados.

Por que e como diversificar as estratégias de marketing digital?

Por que e como diversificar as estratégias de marketing digital?

O processo de decisão de compra dos consumidores está cada vez menos linear e mais desafiador para as marcas, uma vez que a jornada do cliente se tornou mais individualizada e complexa. Prova disso é uma mudança radical de comportamento: se antes a busca por um novo produto ou serviço acontecia de forma ativa e num tempo separado para isso, hoje o público experimenta um processo de descoberta ininterrupto em diversos canais.

Na prática, isso significa que os consumidores podem decidir a próxima compra enquanto resolvem um problema pessoal, leem um email ou antes de assistir a um vídeo. Mais de 90% das pessoas afirmam que já conheceram uma marca nova ou produto pelo YouTube, por exemplo.1

Essa descoberta contínua traz desafios novos para as marcas, que precisam se posicionar de forma a estarem presentes no ponto de contato certo para alcançar seu público dentro desse novo contexto digital, mas também traz uma série de oportunidades inovadoras de expandir os negócios nesse ambiente. Dentro desse cenário, surge um questionamento: como criar campanhas eficazes, que cheguem até esse consumidor que está no meio do caminho confuso, pesquisando e avaliando as marcas, produtos e serviços?

Com toda a experiência no universo online que temos dentro do Google e com base em diversos estudos de mercado e comportamento dos consumidores, desenvolvemos três formatos de campanhas digitais que acreditamos ser as mais eficientes para falar com esse público de maneira eficaz e automatizada: Campanhas de Maior Desempenho (PMax), Discovery e Ação em Vídeo. Mas não basta apenas adotá-los: nesse processo, é importante estabelecer os objetivos de negócios, construir uma campanha e criativos interessantes no Google Ads, e olhar além do último clique.

Seguindo corretamente as boas práticas que compilamos neste artigo sobre as etapas de planejamento, lançamento e mensuração, seu negócio terá ainda mais potencial para crescer.

1. Planejamento

Escolher corretamente os objetivos de negócio para os quais a conta deve trabalhar é decisivo para o sucesso de uma campanha.

Para isso, antes de mais nada, é necessário olhar além: voltar-se para o Retorno sobre o Investimento (ROI) e para o Custo por Aquisição (CPA) no nível da conta. Isso é válido especialmente para os anunciantes que utilizam Ação em Vídeo, Discovery e PMax, pois os três formatos trabalham juntos gerando e capturando demanda e, consequentemente, gerando conversões.

Além disso, é importante determinar KPIs de impacto e de eficiência, independentemente do seu objetivo de marketing, e equilibrar volume e rentabilidade.

Por que e como diversificar as estratégias de marketing digital?-2

2. Lançamento

Para fazer a campanha rodar, não basta apenas criá-la, é importante entender o que cada uma delas pode oferecer.

  • Discovery Ads: são anúncios adaptáveis que aparecem na home do YouTube e feed de próximos vídeos, na aba de promoções do Gmail, e também nos feeds do Google, onde milhões de pessoas navegam todos os dias para acompanhar seus assuntos favoritos.
  • Campanhas de Ação em Vídeo: são campanhas em vídeo que incentivam os clientes a agir, seja pedindo um orçamento, adicionando um produto no carrinho, ou aprendendo mais sobre o item no seu site. Nessas campanhas, o aprendizado de máquina direciona os anúncios para clientes nos principais locais de conversão no YouTube e seus parceiros.
  • Campanhas de Maior Desempenho: estratégia universal do Google baseada em metas. A PMax atinge o desempenho máximo de três maneiras diferentes: alinhando-se às metas dos objetivos de marketing, reconhecendo o caminho até a compra com atribuição orientada por dados; e veiculando as melhores oportunidades de inventário, o que gera desempenho, eficiência e escala.

A Ação em Vídeo e o Discovery são campanhas interessantes porque geram e capturam demandas, garantem cobertura e estimulam ações para audiências específicas, com mensagens direcionadas a elas no YouTube, feeds do Google e na Web em geral.

Já a PMax usa a automação para encontrar a próxima oportunidade de maior valor para atingir sua meta de campanha em toda a rede do Google Ads. Por isso, é recomendado rodar as campanhas PMax junto com as demais campanhas, para ter uma estratégia que atinja o funil completo.

Por que e como diversificar as estratégias de marketing digital?-3

Algumas dicas importantes: no caso de Campanhas de Ação em Vídeo, não faça nenhuma alteração antes de 14 dias para que o aprendizado de máquina consiga configurar seus algoritmos. Já nos anúncios de Discovery, quanto mais imagens e assets você tiver, melhor, já que o número de combinações possíveis aumenta.

A mesma recomendação vale para PMax, pois mais ativos contribuem para que o aprendizado de máquina encontre as associações mais relevantes de anúncios. Além disso, pode ser interessante introduzir sinais de público-alvo como referência para a aprendizagem automática.

3. Mensuração

O terceiro — e último— passo para criar campanhas eficazes está relacionado aos resultados. Como mensurar e avaliar os KPIs corretos da sua estratégia de mídia? Temos algumas dicas que podem ajudar.

Quando você começa o planejamento, antes mesmo de configurar seus KPIs, é importante discutir como será feita a mensuração da campanha, para abranger tanto as conversões que estão incluídas nas otimizações quanto aquelas que não estão. No caso de campanhas em vídeo, você precisa adicionar as conversões de visualização às atribuições geradas com base de dados para entender a eficácia geral.

Outra recomendação é utilizar as ferramentas do Google Ads e do Google Analytics 4. Assim, a sua estratégia de mensuração fica centrada na privacidade e fica também de acordo com as atualizações mais recentes das soluções de mensuração do Google. Além disso, quando você utiliza o recurso de conversões otimizadas, permite que seja feita uma mensuração mais precisa, aumenta os dados observáveis e melhora a qualidade geral da modelagem de conversão.

Por fim, fique atento ao relatório Caminhos de Conversão. Este é um ótimo lugar para ver quantas conversões você tem e que começaram com um clique no YouTube, por exemplo. Ou então quantas vezes o usuário foi impactado no YouTube e terminou a jornada na Pesquisa.

Agora é só começar

Ao diversificar sua estratégia de campanha e adotar recursos que potencializam os seus anúncios e o alcance da sua mensagem, você poderá ser encontrado de forma eficiente pelos consumidores que estão no meio do caminho confuso.

Caso queira entender o passo a passo para lançar cada uma dessas campanhas, o Google Conecta oferece tutoriais sobre PMaxAção em Vídeo e Discovery que podem te ajudar.

Há uma nova maneira para os varejistas omnichannel dividirem seu orçamento de marketing. De acordo com uma pesquisa recente da Analytic Partners encomendada pelo Google, a proposta é colocar 60% desse orçamento em marketing digital e 40% em marketing tradicional.1

Isso pode parecer contraintuitivo, uma vez que a maior parte das vendas no varejo acontece nas lojas. Mesmo que mais pessoas estejam comprando online, o destaque ainda é das vendas nos espaços físicos, que constituem quatro quintos do mercado em 2022.2 Mas é no e-commerce que está o crescimento. Na Europa Ocidental, por exemplo, o aumento no varejo tem representação de 43% nas compras online.3

Você também pode imaginar que o marketing digital estimula apenas as vendas online, mas não é verdade. Nossa pesquisa mostra que o marketing digital, assim como a pesquisa paga, a mídia display e o vídeo online, tem grande relevância no direcionamento para compras tanto no ambiente online quanto na loja física. Descobrimos também que os canais tradicionais, como publicidade em anúncios impressos, TV e rádio, têm um impacto menor, mas ainda significativo, no e-commerce.

Se o marketing tradicional pode impactar no comércio eletrônico e os canais digitais podem fomentar o movimento nas lojas físicas, pode ser difícil definir a melhor divisão de custos do marketing. Então, como maximizar o tráfego de clientes e gerar receita?

O modelo 60/40 (ou o modelo 50-70/30-50)

The new 60/40 model: The ideal budget split to drive retail traffic-2gif

A nova pesquisa encomendada pelo Google, conduzida pela Analytic Partners, revelou pela primeira vez a divisão ideal entre mídia digital e tradicional, mostrando o impacto que diferentes canais de marketing podem ter.

Nossas descobertas são baseadas em uma análise de mais de 150 marketing mix models – tipo de análise de correlação entre mídia e vendas dos principais varejistas da Europa, Oriente Médio, África e Estados Unidos, que representam bilhões de libras em investimentos em marketing. A pesquisa sugere que os varejistas devem investir entre 50%-70% de seu orçamento em canais digitais, e entre 30%-50% em marketing tradicional. O modelo no meio do caminho: uma divisão 60/40.

É claro que não existe uma divisão perfeita que funcione para todos os setores e varejistas. A medida certa de investimento precisa considerar a situação específica de cada um, além de reavaliações constantes. É preciso dizer também que o modelo não é uma garantia de sucesso. Além do orçamento de marketing, outros fatores, como a criatividade ou o público-alvo, contribuirão para a eficácia de uma campanha. Mas o fato é que essa pesquisa oferece um ponto de partida sólido.

Para entender como os varejistas podem calcular a divisão ideal, precisamos entender o que efetivamente impulsiona as vendas online e nas lojas.

O desafio omnichannel

Os varejistas que têm uma forte presença tanto no espaço online quanto nas lojas físicas precisam descobrir quais canais funcionam melhor para aumentar o tráfego em cada ambiente.

Nossa análise, por exemplo, mostra que a receita do e-commerce é 2,75 vezes mais dependente dos canais de marketing digital do que dos tradicionais.4 Impulsionar o impacto online, portanto, exige uma presença eficaz de marketing digital.

Entretanto, o desafio se complica pela forma como as vendas geradas pelo marketing digital e pelo marketing tradicional são capturadas. As vendas geradas por canais como pesquisa paga e vídeo online acontecem de forma equilibrada entre o e-commerce e as lojas, enquanto as vendas impulsionadas pelos canais tradicionais são predominantemente feitas no espaço físico.

Entendendo as vendas no varejo online e na loja impulsionadas pelo marketing

The new 60/40 model: The ideal budget split to drive retail traffic-3

O gráfico acima ilustra como a receita gerada pelo marketing digital é capturada de maneira semelhante por vendas tanto no ambiente físico quanto no online; porém, a maior parte da receita que advém do marketing tradicional é capturada na loja. Abaixo você pode conferir com mais detalhes a divisão de receita a partir de cada canal.

Marketing Digital-aMarketing Tradicional-a

Varejo: equilibrando seu mix de marketing

Estabelecemos a importância do marketing digital para impulsionar seu sucesso omnichannel. Mas como os varejistas podem decidir como equilibrar seu mix de marketing?

O marketing digital, em particular, é um grande impulsionador do sucesso online. Ele é responsável por 22% de toda a receita do e-commerce,5 enquanto 8% da receita é atribuída ao marketing tradicional.6 Já as vendas nas lojas físicas, segundo a pesquisa, dependem igualmente do marketing digital e do tradicional.

Assim, os varejistas precisam investir de maneira inteligente nos canais certos para capturar um crescimento eficiente na receita.

A receita online depende (e muito) do marketing digital

The new 60/40 model: The ideal budget split to drive retail traffic-5

Ao analisarmos diferentes atividades do marketing digital, seu impacto é ainda mais evidente. Por exemplo, nossa pesquisa mostra que o vídeo online tem uma capacidade 1,8 vezes maior de fomentar as vendas do e-commerce do que o canal de TV.7

Na verdade, todos os canais de marketing digital, incluindo redes sociais, mídia display e pesquisa paga, superam todos os canais tradicionais quando estamos falando da captura de vendas do e-commerce.

Encontrando a rota ideal para o sucesso

Os varejistas também querem saber quais são os melhores canais para impulsionar o crescimento. Uma estratégia mais econômica os ajudará a obter mais valor de seus investimentos em marketing.

Por exemplo, tanto o vídeo online quanto a TV impulsionam bastante a receita de comércio eletrônico, sendo o primeiro canal mais eficiente.

O vídeo online, inclusive, tem um retorno sobre o investimento (ROI) 8% maior do que a TV. Particularmente, para vendas no e-commerce, o vídeo online é 36% mais decisivo, com mídias tradicionais como out-of-home, publicidade impressa e rádio ficando ainda mais para trás.

O marketing digital não apenas fomenta o volume de receita no ambiente online e físico, ele impulsiona esse volume com eficiência.

Criando a base para sua estratégia de marketing

Se os varejistas querem acompanhar o crescimento do e-commerce em um futuro próximo, precisam incorporar o marketing digital em sua estratégia. O modelo 60/40 deve ser um ponto de partida para mais testes e otimização do processo. Nessa divisão há uma grande oportunidade para os profissionais aprimorarem suas estratégias e atingirem todo o seu potencial.

O Brasil possui mais de 78,5 milhões de compradores online e o Google Merchant Center possibilita com estratégia de marketing digital alcançar o maior número possível desses usuários!

Desenvolvida pelo mecanismo de busca mais famoso de todo mundo, o Merchant Center permite que empreendedores cadastrem seus produtos no Google Shopping, garantindo não apenas mais um canal de vendas, como também maior visibilidade.

Se você deseja que seu produto seja entregue para milhares de pessoas, continue conosco nesse conteúdo! Aprenda como utilizar a ferramenta e aproveite todas as suas vantagens.

Google Merchant Center: como funciona e como configurar

Google Merchant Center: como funciona e como configurar

O que é Google Merchant Center?

O Google Merchant Center é uma ferramenta criada pelo buscador, a qual permite que as lojas digitais cadastrem seus dados e produtos no Google Shopping — plataforma de vendas.

Desse modo, sempre que os usuários pesquisarem por produtos disponíveis em sua loja, estes serão apresentados pela plataforma como uma das opções disponíveis.

Ademais, com o Google Merchant Center é possível disponibilizar mais informações sobre os produtos, serviços e até mesmo sobre sua loja, aumentando o poder de atração e persuasão do anúncio.

Recursos do Google Merchant Center

O Google Merchant Center é uma ferramenta completa para as lojas digitais que desejam aumentar o número de vendas.

Afinal, a plataforma não apenas disponibiliza os seus anúncios no sistema do Google Shopping, como também oferece os recursos necessários para que você possa criar publicações atrativas.

Descubra abaixo quais são esses recursos:

Faça upload de informações precisas sobre o produto

Quanto mais informações o seu anúncio possuir, maior será a segurança do cliente em continuar a compra.

Ao utilizar o Google Merchant Center, sua loja será capaz de adicionar o máximo de dados relacionadas a oferta, como:

  • Descrição do produto;

  • Características técnicas;

  • Preço;

  • Disponibilidade.

E o que mais você achar necessário para convencer o cliente de que a sua opção possui tudo que ele precisa!

Descubra mais insights

Com o Google Merchant Center, sua loja terá acesso a relatórios completos do desempenho dos produtos cadastrados em todas as plataformas relacionadas à ferramenta.

A partir dessas informações, será mais fácil entender quais estratégias estão gerando os resultados esperados e quais devem ser substituídas para que sua empresa alcance desempenhos cada vez melhores.

Além disso, a ferramenta disponibiliza insights acerca de outros dados que podem ajudar a melhorar as estratégias de negócio aplicadas, como o preço dos concorrentes.

Destaque as promoções

Você sabia que o Google é fonte de busca de ofertas de 40% dos compradores de todo mundo?

Caso seu produto esteja em promoção, com o Google Merchant Center é possível configurar esse valor especial, dando maior destaque para as ofertas e aumentando o poder de atração do seu anúncio.

Inclusive, a promoção pode ser aplicada tanto em apenas itens selecionados, como também todos os disponíveis em sua loja — realizando uma verdadeira queima de estoque.

Vantagens do Google Merchant Center

Além de disponibilizar os recursos acima, o Google Merchant Center também proporciona às lojas cadastradas excelentes benefícios — capazes de aumentar o número de vendas e o faturamento do negócio.

Descubra abaixo quais vantagens estão esperando pela sua empresa nessa ferramenta!

Venda seus produtos no mundo todo

O Google Shopping está disponível, atualmente, em mais de 90 países!

Assim, ao adicionar os produtos da sua loja a essa plataforma — aproveitando todos os recursos de personalização do Google Merchant Center — você tem a oportunidade de alcançar clientes em todo o mundo.

Para isso, é necessário configurar feeds de vários países no Google Merchant Center para que seu inventário seja exibido a compradores em potencial no exterior.

Melhore os resultados com oportunidades personalizadas

Além de ajudar a organizar os dados da sua loja virtual, o Google Merchant Center impacta diretamente os resultados do seu negócio!

Inclusive, a ferramenta possui uma página chamada “Oportunidades”, a qual oferece dicas e demais informações para te ajudar a aprimorar ainda mais os anúncios dos seus produtos e garantir um maior número de cliques.

Menor custo

O Google Analytics é a principal ferramenta de tráfego pago da internet, dado que garante aos seus usuários excelentes resultados — afinal, o Google é o mecanismo de busca mais usado do mundo!

Em contrapartida, os custos médios por clique dessa plataforma (a depender do anúncio) podem ser elevados, exigindo da empresa um alto investimento.

Uma excelente alternativa (e mais barata) para as lojas digitais é o Google Merchant Center!

Afinal, a ferramenta não apenas garante também bons resultados para as empresas, devido ao seu alto nível de visibilidade, como também exige investimentos menores.

Isso acontece, porque normalmente o custo médio por clique da plataforma é mais barato que o do Google Ads.

Remarketing dinâmico

O remarketing consiste em reaplicar determinada estratégia de marketing para o mesmo alvo — como uma pessoa que adicionou um item ao carrinho, mas não finalizou a compra — de modo a gerar novamente impacto e convencê-la a concluir o processo.

O e-mail marketing é a tática mais utilizada, com a qual é possível enviar mensagens e avisos diretamente para esses clientes.

Ao utilizar o Google Merchant Center, sua empresa pode utilizar o beta da plataforma de remarketing dinâmico, em que produtos visualizados em seu site são mostrados novamente aos clientes.

Por exemplo, imagine que uma pessoa clicou um tênis da sua loja, mas não concluiu a compra.

Com o remarketing dinâmico, esse anúncio será apresentado ao usuário enquanto ele navegar por páginas indexadas ao Google, lembrando o antigo interesse da pessoa sobre o produto e incentivando a compra.

Outra vantagem é que essa estratégia também possui custos menos elevados que as do marketing tradicional.

Alcance clientes no Google

Você sabia que mais de 3,5 bilhões de buscas são realizadas por dia no Google?

Ainda que nem todas sejam relacionadas com os produtos e serviços da sua loja, a visibilidade fornecida pela plataforma é bastante elevada.

Então, ao utilizar o Google Merchant Center, você poderá exibir as informações do seu comércio na maior plataforma de busca do mundo — aumentando o tráfego do site e o número de vendas.

Sem falar que essa ferramenta apresenta seus anúncios em outros serviços do Google, tanto nos canais pagos como nos gratuitos.

Resultados concretos

Segundo o site oficial do Google Merchant Center, os usuários dessa ferramenta tem a oportunidade de conquistar os seguintes resultados:

  • Aumento de 79% na visibilidade;

  • Aumento de 33% na receita do negócio;

  • Aumento de 232% nas visitas ao site da loja;

  • Aumento de 1,5 a 2 vezes no ROAS;

  • Aumento de 8% a 15% nas taxas de conversão;

  • 2 vezes mais vendas.

Como configurar o Google Merchant Center

Deseja aproveitar todos os benefícios que o Google Merchant Center tem a oferecer?

Então, é preciso aprender como configurar e utilizar essa ferramenta!

Mas, fique tranquilo, assim como as demais plataformas e soluções do Google, o Merchant Center possui uma interface simples e bastante intuitiva, permitindo que empreendedores utilizem seus recursos sem suporte técnico — garantindo, pelo menos, resultados básicos.

Aprenda abaixo como fazer essa configuração e alcançar ainda mais clientes para o seu negócio!

Criar conta

O primeiro passo para utilizar o Google Merchant Center é criar uma conta na plataforma.

O ideal é utilizar o mesmo e-mail e dados cadastrados no Google Ads, pois será mais fácil integrar essas ferramentas e organizar as suas estratégias.

Para criar essa conta, clique em “Fazer login no Merchant Center” e automaticamente a plataforma vai te encaminhar para a etapa de criação de contas.

No próximo passo, insira suas informações comerciais, como:

  • País de origem;

  • Nome da loja;

  • Fuso horário.

Não esqueça de configurar as formas de contato e clicar em aceitar os termos e condições.

Além disso, o Google Merchant Center pergunta quais são seus objetivos com a ferramenta e, em seguida, apresenta todas as configurações que já foram programadas.

Confira todos esses dados e clique em “Criar Conta”.

Agora, você já pode seguir para os próximos passos!

Atenção: uma vez criada a sua conta no Google Merchant Center, a conecte ao Google Ads, através da opção “Vinculação de contas”, disponível na primeira ferramenta!

Verificação de domínio

Antes de prosseguir com o cadastro dos produtos, é preciso verificar se você realmente é proprietário do domínio em que deseja anunciar.

Para concluir esse processo, você deve seguir esses passos:

  • Clique em “Configurar o Google plataformas”;

  • Escolha a opção ‘Website” e clique em “Coloque o URL do seu site”;

  • Em seguida, informe a URL do site da sua loja e selecione “Salvar”;

Caso o Google informe que seu domínio está “Não verificado” e “Não reinvindicado” — indicando estar disponível — selecione a opção “Eu tenho acesso ao meu servidor” e dê continuidade ao processo.

No próximo passo, clique em “Adicionar tag HTML” à minha página inicial e copie o código mostrado.

Em seguida, siga estas etapas:

  • Retorne ao painel da sua Loja Integrada, selecione “Visual” e “Incluir Código HTML”;

  • Na próxima página, clique em “Adicionar código”;

  • Adicione todas as informações relacionadas ao código copiado anteriormente;

  • A seguir, copie o código e clique em “Salvar Código HTML”;

  • Volte para a conta do Google Merchant e selecione a opção “Verificar URL”;

  • Por fim, selecione a opção “Reivindicar URL”.

Agora seu domínio já pode ser utilizado por seu site no Google Merchant Center.

Ah! Caso seu site já utilize o Google Ads, primeiramente faça a vinculação das contas e pule toda essa etapa de verificação de domínio.

Envio dos produtos

Agora que sua loja está devidamente adicionada e configurada no Google Merchant Center, está na hora de incluir na plataforma os produtos que você deseja exibir.

O primeiro passo é ativar a integração da sua loja, através das seguintes etapas:

  • Clique em “Produtos da loja que serão anunciados na integração XML”;

  • Escolha quais opções serão incluídas — todos os produtos da loja ou apenas os produtos da lista;

  • Salve as alterações;

  • Copie a URL que aparece, a qual te encaminhará até o feed de produtos da sua loja;

  • Retorne à página inicial do Google Merchant Center;

  • Clique em “Produtos” e em “Criar feed de produtos”;

  • Selecione o destino e idioma em “Informações básicas”;

  • Na opção “Nome e método de entrada”, dê um nome para seu feed, escolha um método de entrada, modo de configuração e conexão dos dados.

Agora, vamos finalizar as configurações do feed de vendas da sua loja, inserindo as seguintes informações:

  • Nome do arquivo — deve ser único;

  • Frequência de busca;

  • Horário da busca;

  • Fuso horário;

  • URL do arquivo — aquele copiado do painel da Loja Integrada.

Pronto! O Google Merchant Center está devidamente integrado à sua loja e você já poderá utilizar essa ferramenta.

Contudo, essa integração não é feita imediatamente pelo sistema.

Por isso, pode levar algumas horas até que o Google Merchant Center absorva todos os dados cadastrados, sobretudo se a quantidade de produtos adicionados tiver sido elevada.

Conclusão

O Google Merchant Center é a ferramenta que faltava para sua empresa conquistar mais clientes e aumentar o faturamento.

Portanto, implemente a plataforma em sua loja e perceba o desempenho do seu negócio se desenvolver a cada dia.

Mas, não esqueça de continuar investindo nas melhores estratégias de marketing digital, que vão te ajudar não apenas a aumentar a visibilidade da marca, como também sua autoridade e nível de referência no mercado.

10 estratégias de marketing e SEO pra aumentar vendas online

10 estratégias de marketing e SEO pra aumentar vendas online

As ações têm foco em melhorar a performance de empresas na web e garantir taxas de conversão

No marketing digital, existem várias estratégias para a obtenção de bons resultados a curto e a longo prazos. No entanto, em meio a tantas ações, muitas empresas têm dúvidas de quais são as principais e por onde devem começar.

Foi pensando nisso que a Web Estratégica, consultoria especializada em Marketing de Conteúdo e SEO, separou as 10 principais estratégias que podem alavancar as vendas online de e-commerces e marketplaces.

1. Criação de conteúdo pautada em estratégia de SEO

Esse tipo de ação além de ajudar as marcas a venderem, melhora o posicionamento de busca, a dominação das listas de resultados das pesquisas feitas na Internet (SERPs), facilita a presença em diferentes etapas do funil de conversão e amplia a captação de clientes.

A criação de conteúdo otimizado potencializa a jornada do usuário, gera mais relevância, quebra objeções para convencer o lead de que seu produto é o ideal, traz mais credibilidade ao negócio e ainda humaniza a comunicação, trazendo mais proximidade com o público.

2. Fatores on page e off page de ranqueamento

A otimização para os motores de busca focada nos fatores on page, ou seja, dentro do seu próprio site, e off-page, realizados em links externos para o seu comércio, são fatores que aumentam as chances de boas colocações nos resultados de pesquisa do Google.

Para alcançar esses resultados, é preciso saber fazer um título adequado, uma boa meta descrição, inserir boas imagens, ter um conteúdo de qualidade, design otimizado para mobile, boa velocidade no carregamento da página, links orgânicos, entre outros fatores.

3. Uso correto de palavras-chave

Escolher a palavra-chave é uma das principais estratégias para obter bons resultados com SEO e atingir o que todo time de marketing almeja: a primeira posição no Google.

Segundo Rafael Rez, fundador e CMO da Web Estratégica, existem diversas plataformas que podem auxiliar a escolha correta das palavras-chave de acordo com os seus volumes de buscas e variações, como é o caso do SemRush, Google Trends, Google Keyword Planner e Rank Tracker, por exemplo.

4. Jornada do Cliente

Entender a fase do cliente no momento da compra é muito importante para direcioná-lo ao conteúdo certo e ajudá-lo na tomada de decisão. Para fazer isso, além da jornada do consumidor, é preciso conhecer a jornada de cada produto, de cada categoria e de cada perfil de persona para casar as estratégias.

5. Web Stories

Entregar um conteúdo que o público deseja consumir é o grande desafio das empresas, e para ajudar nesse processo, o Google criou os Web Stories, uma ferramenta que permite que as empresas explorem a criatividade e publiquem conteúdos mais dinâmicos sem ficarem presas às redes sociais.

6. Robôs no site

Os bots têm um papel muito importante nos sites. Eles são responsáveis pelo rastreamento, renderização e indexação da página.

O primeiro passo para implementar SEO para e-commerce no seu site é verificar se ele já está indexado pelo Google, ou seja, se ele está incluso na lista de sites rastreados pelo mecanismo de busca.

7. Experiência do usuário 

UX (User Experience) e UI (User Interface) são duas siglas que estão em alta no cenário SEO. Enquanto um elemento promove a experiência do usuário, o outro cuida da interface do site, e juntas essas duas ferramentas cuidam de etapas muito importantes nos critérios de ranqueamento do Google.

Assim, ao construir um site é primordial levar em consideração como será a interação do usuário com suas páginas. Estas precisam ser construídas de maneira a encorajar o leitor a continuar navegando por elas.

8. Utilização de influenciadores digitais

Atualmente, tem sido notada uma maturação do relacionamento entre as empresas e os criadores de conteúdo na internet, que vem sendo vistos como um dos canais de relacionamento bastante efetivos para os negócios, com resultados melhores do que aquele modelo usual de patrocínios esporádicos em posts nas redes sociais.

9. Construção ou retomada de canais próprios

Blogs, podcasts e canais no Youtube são considerados boas ferramentas proprietárias de construção de marca, geração de leads e de relacionamento com a audiência, tanto como um canal proprietário, onde a empresa gera aquele conteúdo, ou para patrocínio, em que a marca aparece no conteúdo associada a determinadas personalidades.

10. Treinamento em SEO e produção de conteúdo estratégico

Ao longo deste material ficou claro que aplicar SEO no e-commerce da marca pode oferecer resultados duradouros na experiência do usuário, melhorar o posicionamento no Google e aumentar as vendas da empresa. No entanto, para isso, é preciso analisar e realizar implementações que garantem as boas práticas perante os principais buscadores e ter uma equipe preparada para as implementações.

error: Alerta: O conteúdo está protegido !!