Principais estratégias de marketing para e-commercePara os empreendedores que já vendem online, ou os que iniciaram recentemente, conhecer as estratégias de marketing para alavancar seu e-commerce é um passo fundamental.

Entrar para o mundo online pode até parecer simples e fácil, devido ao crescimento acelerado do último ano, no entanto, a concorrência cada vez mais acirrada faz com que apenas os preparados e organizados consigam conquistar, fidelizar clientes e assim, atingir o sucesso.

Isso só pode ser feito de uma maneira: aliando o marketing digital com as ferramentas certas. Este é o impulso inicial para crescer o negócio e obter resultados positivos.

Não posso dizer que há uma ‘receita de bolo’ específica para isso, pois existem muitas variáveis, como quais produtos serão ofertados, qual o público-alvo, qual região será atendida, entre outros pontos.

Contudo, é possível estar sempre um passo à frente e conhecer as principais estratégias de marketing para e-commerce.
O meu objetivo neste artigo é apresentar as dicas que funcionam, independentemente do nicho em que atua.

Construa uma forte presença nas redes sociais

Isso deve ser feito pensando muito mais na qualidade do que na quantidade de perfis utilizados.

Desta forma, o ideal é identificar quais as principais redes que seu cliente está presente e focar nelas, pois estar em lugares onde sua marca não vai ser reproduzida é uma grande perda de tempo.

Para saber onde o seu conteúdo melhor se adapta e impactar o seu público-alvo, é importante se ater a um estudo da plataforma.

Sua meta naquela rede é atrair pessoas para que conheçam sua marca?

Engajar com seu público ou aumentar a conversão de suas vendas?

Após responder essas perguntas, você já pode focar na sua estratégia de conteúdo e no tom de voz que irá utilizar.

Pense fora da caixa

Fazer publicações em blogs, postar no Instagram e anunciar no Google ou Facebook são ações comumente realizadas pela maioria das empresas e lojas virtuais.

Por isso, para se diferenciar dos concorrentes é importante pensar diferente e ir além.

Uma ideia é trabalhar com os influenciadores digitais que, por meio dos publiposts, apresentam o produto ou serviço como uma recomendação para um ‘amigo’, que são os seus seguidores.

Os influenciadores atrelam a sua credibilidade à empresa que estão divulgando.

Caso você esteja começando, uma ideia é trabalhar com os micros e nano influenciadores, pois são eles que conseguem atacar nichos mais específicos e possuem grande poder de divulgação e conversão, afinal, são autoridades no segmento.

Segmente o seu público-alvo

Dentro de um e-commerce, é muito comum vender vários produtos, dos quais alguns deles estejam focados em determinados públicos e outros sejam mais comprados por um consumidor similar ou até mesmo completamente diferente.

Baseado em dados, você pode entender qual o perfil de pessoa que mais compra seus produtos e fazer uma comunicação específica, seja por meio de anúncios, ou posts dentro de plataformas, como o Google Ads e o Facebook Ads.

Assim, é possível traçar uma comunicação, por exemplo, para sua lista de clientes, lista de leads, pessoas que visitaram sua página, entre outros.

Do mesmo modo, é possível criar anúncios direcionados para consumidores que já interagiram com a marca anteriormente.

Com isso, você vai conseguir falar especificamente para aquela persona, com uma comunicação mais personalizada e fazer com que o seu cliente sinta que aquele post ou anúncio foi feito para ele, aumentando a sua taxa de conversão.

Crie conteúdos com potencial para viralizar

Para atingir esse objetivo, é necessário estudar e entender o que a concorrência não está fazendo e pensar além do que já é feito no mercado.

Contudo, isso não necessariamente precisa ser complexo.

É possível, por exemplo, construir um bom conteúdo rico (seja ele um ebook, uma calculadora, planilha ou qualquer tipo de ferramenta atrativa), com uma landing page bem estruturada, e divulgá-lo nas suas redes sociais e por meio de anúncios.

Se o conteúdo dele for muito bom, relevante para a sua persona e não existir algo similar ou tão profundo quanto o seu material disponível de maneira gratuita, há uma grande chance dele viralizar, se atingir a persona certa.

Bullseye Framework

Essa é uma estratégia que reúne as principais formas de alcançar um cliente.

A metodologia funciona da seguinte maneira: o primeiro passo é definir seis canais para testar por um determinado período de tempo entre todos os disponíveis no mercado; depois, à medida que obter os primeiros resultados, você conseguirá entender quais ainda fazem sentido e quais não fazem e assim definir seus três principais canais de tração; por último, o ideal para não se perder é estipular metas e identificar que alguns canais, como o SEO, funcionam a médio e longo prazo.

A partir disso, será possível definir quais canais de aquisição de clientes mais funcionam para a sua empresa e quais você ainda não testou.

Ferramenta para recuperação de carrinho de compra

Em alguns e-commerces, o gargalo pode estar acontecendo na última etapa de compras, quando o cliente coloca tudo no carrinho, mas não fecha o pedido por algum motivo.
Dessa forma, utilizar uma ferramenta para recuperação de carrinho abandonado é essencial para converter esses leads perdidos.

Dentro dessa lógica, é possível re-impactar esse público com anúncios que resolvam uma possível objeção que tenha levado a desistência.

O problema foi o preço do produto?

Comunique uma promoção com um cupom de desconto! Foi o frete?

Rode uma campanha que anuncie frete grátis, caso ela esteja acontecendo no seu site.

É muito importante que você entenda a jornada do cliente para comprar um produto no seu site e identifique quais são os potenciais gargalos que estão ocorrendo.

E como dica extra: faça uma análise do funil de vendas, da taxa de conversão e indicadores como por exemplo, seu custo de aquisição, retorno sobre o investimento e seu LTV (Lifetime value ou valor vitalício no português).

Com esses tópicos bem definidos, sem dúvidas você conseguirá fazer ações para otimizar a aquisição de clientes e converter mais leads em vendas.

Marketing digital: estratégias fundamentais

O consumidor de e-commerce está cada vez mais antenado nas tendência e adere às campanhas conforme as estratégias de marketing forem bem direcionadas e ele. O marketing digital é um caminho importante para atingir públicos cada vez mais diversos, e suas técnicas se aplicam para negócios de todos os formatos e tamanhos.

As estratégias funcionam desde a geração de leads, promoção da visibilidade do negócio, fidelização de clientes, o que resulta consequentemente em um aumento de vendas.

Neste artigo vou explicar quais são algumas das técnicas de marketing digital que podem ajudar o seu negócio a expandir. Confira!

Por que é importante aplicar estratégias de marketing digital no e-commerce?

O campo de atuação do e-commerce é amplo, por isso é preciso direcionar estratégias que atinjam o cliente com potencial para que o negócio possa ganhar relevância.

Ou seja, o e-commerce as estratégias de marketing digital são importantes para atrair maior atenção dos consumidores, já que eles não podem ir até a loja ou passam pela vitrine, eles precisam ser impactados de alguma maneira, seja através de anúncios, blogs, redes sociais, e-mail, entre outras.

As estratégias de marketing digital promovem outras vantagens, como:

  • Bom custo-benefício;
  • Mais tráfego para o site;
  • Resultados rápidos e duradouros;
  • Fortalecimento da marca.

Principais estratégias de marketing digital

1 – Inbound marketing

Conhecido também como marketing de atração, o inbound marketing é uma técnica utilizada para atrair clientes por meio da produção de conteúdo relevante. O negócio se utiliza de uma comunicação mais humanizada para construir relacionamento com o cliente. Mas para aplicar a técnica é preciso entender as etapas do funil de vendas que o cliente passa, para poder criar estratégias para cada uma das etapas. As chamadas etapas de funil de venda são:

  • Topo do Funil – Descoberta e Aprendizado;
  • Meio do Funil – Intenção e Consideração;
  • Fundo do Funil – Avaliação e Decisão.

2 – Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é uma das estratégias mais utilizadas do marketing digital por que é uma estratégia que consiste no compartilhamento de conteúdo de qualidade para atrair o consumidor. A marca troca a atenção do público por informação gratuita e passa a ganhar a admiração do consumidor pela marca, o que gera o desejo de consumo e, consequentemente, a efetivação de uma compra. Essa estratégia também é interessante pois gera pouco investimento inicial, mas é preciso ter constância nos conteúdos para que o cliente possa acompanhar o seu negócio através de conteúdo relevante, gerando engajamento. O marketing de conteúdo pode ser feito através do site, do Blog, redes sociais e até por e-mail marketing.

3 – SEO (Search Engine Optimization)

São técnicas de otimização de mecanismos de busca que possibilitam posicionar o seu negócio na primeira página do Google e gerar mais atenção dos consumidores para sua loja virtual. É um trabalho que não acontece de uma hora para a outra, mas vale bastante quando for bem executado. Algumas das principais técnicas de SEO são:

  • Inserir links internos e externos;
  • Posicionar bem a palavra-chave;
  • Criar conteúdo de qualidade;
  • Não ignorar a meta-descrição;
  • Usar imagens de maneira correta;
  • Promover o carregamento rápido da página.

4 – Redes sociais

Importantes para a comunicação direta entre marca e cliente, as redes sociais são vitrines para mostrar os produtos de maneira engajada ao contexto, com conteúdo importante e uma frequência constante para manter o consumidor informado.

As redes sociais também já são um meio importante de vendas. Por isso, muito mais do que se relacionar com o cliente é possível vender e impacta-lo com anúncios, posts e conteúdos.

5 – E-mail marketing

Também pensado principalmente para fortalecer o relacionamento com o cliente, o e-mail marketing gera leads, aumenta vendas e entrega conteúdo e anúncios para um público selecionado.

Por isso, tenha uma lista de e-mails bem organizada e segmentada para que os clientes da sua marca sejam classificados de acordo com seus interesses e características.

6 – Marketing de influência

Essa estratégia consiste em praticar ações com indivíduos que exercem influência sobre públicos engajados. São ações de marketing através de influenciadores digitais que conectam ao seu público o produto que a marca deseja engajar. Os chamados “publis” são conteúdos cada vez mais acessados, principalmente nas redes sociais. Porém, também podem ser feitos em ativações em eventos presenciais, fotos, anúncios, etc. Essas ações muitas vezes influenciam diretamente a decisão na compra dos consumidores.

Com as estratégias de marketing alinhadas por ações, o empreendedor pode vender em canais variados e aplicar diferentes ações a fim de atingir novos clientes. Para que as vendas fluam, é importante contar com um sistema de gestão online e em nuvem para dar ainda mais mobilidade à gestão do negócio e integrar a gestão aos canais de venda com facilidade e segurança.

Entenda como aumentar o nível de recompra do seu e-commerce

Muitas pessoas reclamam por receber e-mails e mensagens sem sentido de lojas virtuais. Realmente, em muitos casos, as empresas, quando se valem do e-mail marketing, o fazem de forma atrapalhada e sem o devido planejamento.

Porém, se bem utilizada, a ferramenta pode se tornar fundamental para a obtenção de resultados em uma loja virtual. Por isso, hoje falaremos sobre como aumentar o nível de recompra dos e-commerces por meio desta solução. Fique comigo até o fim deste artigo.

Em primeiro lugar, valem algumas considerações antes de iniciar esta conversa. Todos os anos é muito comum ouvir alguém dizer que o e-mail morreu. Isto não é verdade. Ele segue firme e forte como um canal de relacionamento desde que a estratégia seja bem traçada.

Durante a semana, por exemplo, as quedas de plataformas como WhatsApp, Facebook e Instagram deixaram clara a necessidade de contar com outros canais de comunicação em um negócio. Enquanto tudo estava fora do ar, você provavelmente continuou a receber e-mails normalmente.

Mas, voltando ao tema inicial do artigo, hoje muitas empresas de e-commerce focam demais na aquisição de novos clientes e acabam, de certa forma, negligenciando aqueles que já são seus consumidores.

E isto é um erro grave. O custo por clique está nas alturas e nunca foi tão caro patrocinar um conteúdo na internet. Por isso, é muito importante contar com estratégias que ajudem a reter compradores.

Em geral, um consumidor recorrente possui ticket médio maior. Ele compra mais e paga mais caro, além de indicar a sua loja para amigos e familiares. E isto tem um valor inestimável para uma empresa no longo prazo.

Contudo, qual caminho seguir exatamente?

Eu diria que um profissional ou empreendedor precisa investir na integração da plataforma com o CRM, que será o grande driver de relacionamento com o cliente. Com ele será possível organizar campanhas personalizadas e segmentadas por meio de dados.

Neste sentido, a capacidade analítica do colaborador ou gestor é fundamental. Esta pessoa vai precisar saber usar o Google Analytics para trabalhar com recompra. Com o GA, ela entenderá o comportamento do consumidor em relação a determinados tipos de produtos, categorias e marcas.

Dito isso, a elaboração de um planejamento mensal adequado de campanhas com dias e horários de envio definidos de forma organizada também é parte essencial do projeto.

Lembre-se de sempre mensurar resultados. Use plataformas e ferramentas, mas não esqueça de acompanhar os números. E a grande dica neste sentido é fazer este acompanhamento virar um hábito diário. Fará toda a diferença no futuro.

Por fim, alguns hacks também podem ajudar o lojista virtual que esteja atrás de alguma orientação. Campanhas automatizadas de recompra e cross sell com base no último pedido podem ser interessantes.

Mas, como funciona exatamente?

Na prática, se um produto tem alta recompra, como suplementos alimentares, é possível identificar a quantidade de dias que as pessoas levam para comprar novamente e impactá-las novamente com base neste histórico. E lembre-se de fazer o link para oferecer produtos relacionados ao tema daquele comprado anteriormente.

O mesmo vale para itens com pouco giro. Uma loja de câmeras fotográficas, por exemplo, pode oferecer cases, lentes, carregadores e outros itens correlacionados.

O segundo hack trata de campanhas automáticas de feliz aniversário. Aqui vale um parenteses. Todos gostam de ser lembrados nesta data, mas é preciso lembrar que muitas lojas já enviam mensagens parabenizando as pessoas. Neste sentido, pense em estratégias um pouco diferentes, eu diria, fora da caixa. Envie conteúdos no mês, antes ou até depois da data. Suas chances de ser visto serão maiores.

Já o terceiro trata dos clientes VIPs. Boa parte das lojas não sabem quem são esses consumidores. De forma resumida, são todos os que estão na sua lista e compram recorrentemente de você. Estas pessoas devem ser tratadas de uma forma diferenciada dentro da sua loja.

Na Black Friday, por exemplo, promoções podem ser antecipadas para este cliente, além do oferecimento de frete grátis e até brindes. Além disso, invista em outras formas de relacionamento. Se possível, ligue para esta pessoa e agradeça a confiança. Fugir do online também pode trazer bons resultados. Claro, desde que se saiba como utilizar as ferramentas.

Remarketing nas redes sociais para a recompra

O quarto, por sua vez, trata daquela base de clientes inativos. Em todas as lojas sempre existem aqueles que não compram há algum tempo. Como reativá-los? Organize campanhas mensais e teste novos conteúdos para tentar reengajar esta pessoa. Ofereça promoções, frete grátis ou alguma vantagem. Contudo, estabeleça um limite para esta comunicação. Caso não tenha retorno, use um e-mail de break-up encerrando os contatos. Este tipo de estratégia costuma surpreender.

Por último, muitos pensam que uma base de e-mails serve apenas para campanhas de e-mail marketing, mas isto também não é verdade. Nas redes sociais é possível fazer remarketing e impactar quem já se relacionou com a loja. Se você tem uma lista de clientes VIP, é possível fazer campanhas que apareçam para essas pessoas nas redes sociais. Isto também vale para reativação.

Para encerrar, é fundamental deixar clara a mensagem de que CRM não é simplesmente apertar um botão. Um consumidor que se sente bem atendido provavelmente voltará a comprar do seu e-commerce. Portanto, é preciso ter uma estratégia e se dedicar aos processos para a recompra. Os resultados, sem dúvida, logo aparecerão.

Como a IA está potencializando o ROI do e-commerce nas campanhas por e-mail

O Marketing digital vem se aprimorando a cada dia com recursos cada vez mais sofisticados, de modo, que falar de e-mail marketing, pode parecer algo ultrapassado. No entanto, o velho e bom e-mail, continua sendo um aliado poderoso e fundamental para uma estratégia de sucesso.

Embora o e-mail marketing possa não ser tão empolgante quanto algumas das opções mais recentes disponíveis no marketing digital, ainda é um dos métodos mais populares. A razão para isso é simples. Ele funciona, é barato e traz resultados quando bem orquestrado. Ainda lemos e-mail todos os dias. Em geral, o marketing por e-mail continua a oferecer um ROI impressionante.

O e-mail Marketing tem se beneficiado do avanço tecnológico, especialmente da Inteligência Artificial (IA). Neste caso, ela permite aprimorar a personalização e consequentemente criar campanhas mais assertivas aumentando a conversão de vendas.

A IA permite criar campos de assunto mais relevantes, aumentando a chance das mensagens serem abertas e reduz o risco das mensagens terem como destino a caixa de SPAM.

Ferramentas de IA usam algoritmos para gerar linhas de assunto que atrairão uma taxa de cliques mais alta. Ele analisa os resultados de cada campanha de marketing individual para otimizar e melhorar suas linhas de assunto ao longo do tempo.

Estudos tem demonstrado que a personalização faz toda a diferença em uma campanha de e-mail marketing, aumentando não apenas a taxa de abertura, mas também geram transações mais altas.

E não é apenas o campo assunto que pode ser personalizado. A inteligência artificial pode personalizar todo o conteúdo, gerando mensagens únicas.

Os algoritmos de IA podem não apenas determinar a combinação ideal de diferentes tipos de conteúdo, mas essa automação também reduz significativamente o tempo e os recursos necessários para manter suas campanhas de e-mail em execução.

O melhor horário para enviar uma campanha, sempre foi um desafio. Ele faz toda a diferença e pode variar não apenas por tipo de negócio (e-commerce, viagens, transações bancárias, etc.), mas também por fatores regionais e aqueles ligados aos hábitos comportamentais de cada consumidor.

A inteligência artificial permite não apenas escolher o melhor horário para enviar mensagens para cada cliente, como a frequência das mensagens. Enquanto um consumidor pode preferir abrir os seus e-mails numa sexta-feira, no fim de tarde, o outro pode preferir receber o mesmo conteúdo num sábado pela manhã.

Com AI também é possível prever qual oferta se adequa melhor a cada consumidor. Enquanto um cliente pode se interessar mais em clicar num link oferecendo 10% de desconto, outro só irá concluir a transação se oferecer cash back. Dessa forma é possível personalizar o e-mail não apenas com o produto certo, mas criar a oferta mais assertiva para cada consumidor, em relação a frete, descontos e condições de pagamento.

O AI associado ao e-mail já está ajudando muitas companhias ao redor do mundo e se mostrou muito necessário durante a pandemia da Covid-19. A companhia Indiana de viagens online, EasyMyTrip, por exemplo, montou uma estratégia, utilizando o Raman AI da Netcore. A estratégia conseguiu reativar clientes, criando maior engajamento no pós pandemia. O número de transações cresceu 4 vezes após a adoção dessa tecnologia.

A operação indiana da empresa de cosméticos britânica, The Body Shop, utilizou os algoritmos de IA, para gerar uma recomendação de produtos mais assertiva que resultou numa redução de 7,5% nas taxas de erro (bounce rates) e um aumento de 13,2% na receita do e-Commerce.

O seu cliente adicionou itens ao carrinho de compras, mas não concluiu o processo de finalização da compra? O chamado “retargeting de e-mail” é uma forma altamente eficaz para aumentar suas vendas e reduzir a taxa de abandono do carrinho de compras.

Você pode ajustar sua estratégia de retargeting com o poder da Inteligência Artificial. Alguns clientes podem responder melhor a um e-mail enviado uma hora depois de terem saído do seu site, enquanto outros podem demorar um ou dois dias para fazer a compra. A IA pode distinguir entre esses diferentes tipos de clientes e enviar seus e-mails de redirecionamento no momento ideal. Você pode até aumentar seu valor de venda sugerindo outro par de itens escolhidos por algoritmos.

Ao usar uma plataforma de e-mail marketing com tecnologia de IA, você pode melhorar a eficácia de suas campanhas por e-mail e, ao mesmo tempo, reduzir o tempo gasto com elas. Esse aumento no ROI significa que atualizar sua estratégia para incorporar Inteligência Artificial com certeza será um investimento valioso por muitos anos.

4 tendências de marketing digital que vão bombar em 2022

A pandemia mudou as regras do jogo. As tendências comportamentais mudaram. Veja o que vai rolar no marketing digital em 2022.

No marketing digital, os efeitos da pandemia mudaram muitas regras do jogo e foi uma espécie de laboratório de tendências de comportamento, desde a mudança de hábitos de consumo até a forma de se relacionar.

Com base na observação e com a ajuda de indicadores, a 20DASH, empresa de tecnologia que desenvolve experiência imersivas para grandes marcas, apontou algumas tendências que irão bombar em 2022 para ficar de olho.

“Quando o assunto é inovar, precisamos estar à frente das tendências para poder trazer conteúdos relevantes e conversar com o público atual, ainda mais diante desse novo cenário”. “Por isso não basta estar atento ao momento, é importante pensarmos no que ainda pode vir a se tornar uma prática, pois ter ciência do que vai estar em alta ou não, facilitará as próximas decisões estratégicas da sua empresa.”

Com o seguinte pensamento, o especialista selecionou quatro principais tendências indispensáveis no planejamento de 2022:

1. EXPERIÊNCIA POR VOZ

A jornada do usuário, desde a pesquisa até a compra, tem cada vez mais se utilizado de recursos de voz. De acordo com um estudo recente da Juniper Research, as transações do comércio por voz aumentarão US$ 4,6 bilhões até o final deste ano, com a possibilidade de alcançar US$ 19,4 bilhões até 2023.

A consultoria ainda prevê que a base instalada global de smart speakers, as caixinhas inteligentes com assistentes virtuais, tenha um crescimento superior a 50% entre 2021 e 2023, o que mostra que essa demanda só tende a aumentar nos próximos anos com a busca por mais praticidade e agilidade.

Além disso, o uso das assistentes virtuais está sendo ampliado com a chegada de novas skills para ajudar as pessoas em tarefas cotidianas, como no cuidado com a saúde, ao avisar sobre a proteção solar, ou até ensinando como fazer novas receitas de forma divertida.

2. RELACIONAMENTO VIA BOTS

Os bots estão cada vez mais “inteligentes”, com um grande repertório, tentando evitar a sensação de um contato robotizado. Essas ferramentas estão sendo aprimoradas para oferecer um serviço mais humanizado e personalizado para os clientes, sendo que essa já é uma tendência que tem movimentado o mercado.

As chamadas Pessoas Virtuais, como a Lu, da Magazine Luiza, e a Mara, da loja Amaro, são uma espécie de continuação do bot, que agora com uma personificação, cria mais empatia com o consumidor.

Esses ‘personagens’ já fazem parte de muitos portais e estão bastante presentes nas redes sociais de marcas e empresas. Há uma perspectiva de aumento anual de 24%, inserindo 1,23 bilhão de dólares nesse setor, segundo a Grand View Research.

Com tamanho sucesso e projeções animadoras, os robôs para relacionamento com o cliente são vantajosos ao integrar a automação com a interação direcionada ao consumidor, prática que continuará sendo utilizada.

3. USER GENERATED CONTENT (UGC)

O termo estrangeiro, comumente conhecido como, conteúdo gerado pelo usuário é outra forte tendência e tem se mostrado cada vez mais relevante pela autenticidade do conteúdo.

Segundo o Manifesto do Influencer Marketing, 82% das pessoas seguem recomendações de influenciadores digitais ao invés de personalidades e pessoas famosas. Ou seja, as pessoas são mais influenciadas pelos indivíduos dos quais se sentem mais próximas.

Conforme a pesquisa feita pela Deloitte, a participação ativa dos consumidores nos canais da marca pode trazer benefícios como um crescimento no engajamento em cerca de 30%. Além disso, o estudo também mostrou que os usuários gostam de participar das estratégias de marcas para ajudar outros consumidores, assim essa estratégia onde as marcas participam das redes em que o seu público se encontra e representam as empresas e suas respectivas visões, só aumentará.

Todavia, vale lembrar que parceiros com mais expertise são igualmente importantes para uma estratégia boa e efetiva.

Nesse sentido, outra tendência que está despontando é a dos ‘Influenciadores Internos’, prática na qual o funcionário vira uma espécie de influenciador digital da própria marca, atraindo mais a atenção e despertando a curiosidade do público.

4. SOCIAL SELLING E MARKETING INTERATIVO

Também popularizado com a chegada da pandemia, o social selling segue cotado como uma das principais tendências. O social selling, ou venda social, é um mecanismo de criação de relacionamentos e vendas por meio das redes sociais. As redes sociais, além de um espaço para criar relações de interação entre marcas e público, possibilitam prospectar potenciais clientes e se relacionar com eles com o objetivo de gerar vendas.

LinkedIn, Twitter, Facebook e Instagram são plataformas que já contam com espaços específicos para vendas online, como: Instagram Shopping, Facebook Marketplace, entre outras, que podem ser integradas a estratégias de social selling.

Como um dos principais recursos do social selling, as shoppable lives, também conhecidas como live commerce ou shop streaming, têm ganhado destaque por transformar as transmissões ao vivo em uma ferramenta fundamental para manter e fortalecer as vendas do varejo. Esse novo formato se utiliza das lives para aproximar o consumidor da marca de maneira prática, gerando oportunidade de interação e relacionamento, por não mostrar os produtos apenas, mas também ao oferecer entretenimento, interação e informação.

error: Alerta: O conteúdo está protegido !!