Usar o WhatsApp para aumentar as vendas, sobretudo durante a pandemia, é uma das principais estratégias utilizadas por pequenas e grandes empresas. Existem inúmeros motivos para realizar essa escolha.

Uma delas é a popularidade do aplicativo no Brasil. Segundo pesquisas, o WhatsApp está presente em 99% dos smartphones do país. Ainda no mesmo estudo, os números apontam que 93% das pessoas o utilizam todos os dias.

Nesse sentido, é impossível ignorar essa plataforma. Sem dúvida, ela é uma das melhores formas sobre como aumentar as vendas em tempos de crise.

Outro fator relevante é a rapidez na comunicação proporcionada pelo WhatsApp. Em vez de esperar minutos para ser atendido, o cliente pode iniciar uma conversa instantaneamente. Além disso, mesmo uma pequena empresa ou um profissional autônomo consegue atender diversas pessoas ao mesmo tempo.

Os benefícios do WhatsApp para aumentar as vendas

O principal deles é estar mais próximo do cliente. Para os empreendedores, é muito mais fácil impactar os consumidores em uma plataforma que eles já conhecem. Como exemplo, podemos destacar os restaurantes que passaram a vender por meio do WhatsApp.

Nesse cenário, as restrições causadas pela pandemia forçaram os empresários a buscarem novas formas sobre como aumentar as vendas de uma loja. O WhatsApp se mostrou a ferramenta ideal para realizar novos negócios.

Afinal, a maioria das pessoas verifica diversas vezes ao dia se recebeu mensagens no aplicativo. Portanto, quando uma empresa faz alguma abordagem por meio de mensagens, não soa tão inconveniente quanto uma ligação telefônica de um número desconhecido.

Outra vantagem é a promoção do relacionamento com o cliente. Ao se comunicar com frequência por meio do aplicativo, uma empresa tem a oportunidade de elevar a confiança por parte do cliente. Quanto mais à vontade ele estiver com a empresa, maiores são as chances de ele concretizar uma compra.

A segurança de dados também é um fator que conta na hora de vender pelo WhatsApp. Com a nova lei geral de proteção de dados em vigor – LGPD -, o aplicativo de mensagens aumentou a segurança sobre as informações dos usuários.

Hoje, todas as conversas realizadas pelo WhatsApp são criptografadas. Isso significa que apenas quem participou do chat tem acesso a esses dados.

Formas de aumentar as vendas usando o WhatsApp

1 – Criação de Catálogos

Quem utiliza o WhatsApp Business tem os benefícios exclusivos de uma conta voltada para empreendedores. Uma delas é a criação de catálogos. É como se a empresa montasse uma loja virtual dentro do aplicativo. Dessa forma, os clientes podem visualizar os produtos oferecidos de maneira prática e conveniente.

Nele, a empresa pode colocar a descrição, o preço, imagens, nome e número. Além disso, é possível criar diversos catálogos. Caso o cliente goste da solução de ofertas, ele pode ainda compartilhar facilmente o catálogo com outras pessoas. Nesses casos, as chances de aumentar as vendas crescem.

2 – Captação de novos leads

Uma das formas sobre como aumentar as vendas, seja no WhatApp, seja no comércio eletrônico, é por meio da captação de leads. Eles são os clientes em potencial. Ou seja, se interessaram por uma oferta, mas ainda estão analisando se a compra vale a pena ou não.

Para captar novos leads pelo WhatsApp, o ideal é realizar a integração com uma plataforma de CRM.  Dessa maneira, sempre que um cliente em potencial enviar uma mensagem para o aplicativo da empresa, o software o cadastra como um novo lead no sistema.

Além disso, ele é encaminhado direto para o funil de vendas. Assim, a empresa pode acompanhar toda a jornada de compra do cliente. Além disso, ao acessar o histórico de interações e conhecer um pouco mais sobre os leads, a empresa tem a oportunidade de criar estratégias de marketing com maior poder de conversão.

3 – Pós-vendas

Quem realiza vendas via WhatsApp deve se preocupar também com a satisfação do cliente. A vantagem do aplicativo, nesses casos, é a facilidade em entrar em contato com o consumidor.

Portanto, toda empresa deve estar preparada para executar um atendimento pós-vendas. Caso o cliente tenha algum problema, e seja complicado solucionar, dificilmente ele irá fazer alguma compra de novo.

Outro ponto importante é o baixo custo para se utilizar o WhatsApp. Em vez de gastar com redes telefônicas, basta fazer o download do aplicativo e oferecer suporte imediato.

4 – Conteúdo

Para aumentar as vendas, é necessário conquistar o cliente. Por isso, compartilhar conteúdos relevantes com o público-alvo é uma estratégia bastante eficaz. Se uma empresa vende cosméticos, por exemplo, ela tem a oportunidade de encaminhar para os clientes tutoriais de maquiagens ou e-books sobre o tema.

O objetivo é manter esses leads sempre atualizados sobre as novidades. Por outro lado, é necessário transformar o processo de vendas em algo mais suave e simpático para o cliente. Dessa forma, ele percebe o acolhimento por parte da empresa. Afinal, ela está com foco em sempre oferecer as melhores soluções.

ecommerce

ecommerce

A digitalização de negócios traz várias alternativas de empreendimentos para quem quer ganhar dinheiro com um projeto na internet. Criar e gerenciar uma loja virtual é uma dessas opções.

Ter uma loja online é uma luz no fim do túnel inclusive para quem já gerencia uma loja física, visto que nesses tempos de pandemia e distanciamento social a solução é migrar para o lado digital.

Devido a esse contexto, e também as facilidades que um empreendimento desse porte representa nos dias de hoje, vale a pena sim investir em um e-commerce.

É óbvio que, assim como qualquer investimento, os resultados positivos não vão brotar como um passe de mágica. É necessário contar com planejamento, estratégias bem definidas e as ferramentas digitais apropriadas.

Para você ficar por dentro de todos os detalhes que tornam um e-commerce um investimento válido, dê uma conferida nesse conteúdo que preparamos para você.

1 – Investimento em um e-commerce – As vantagens
2 – E-commerce – Será que são todos iguais? Conheça as diferenças
3- Saiba como criar o seu e-commerce
4 – Métricas – As suas grandes parceiras no gerenciamento do seu e-commerce

Investimento em um e-commerce – Conheça as vantagens

Vale a pena investir em um e-commerce? A resposta é sim! Essa modalidade representa nos dias de hoje a facilidade e a agilidade na hora da compra. Não é por acaso que, em março de 2021, foi detectada uma quantidade elevada de compras feitas online.

As razões para isso são várias. A desconfiança em relação às compras feitas na internet aos poucos vem sumindo. Boa parte do público já não fica com um pé atrás na hora de clicar em um produto e colocá-lo no carrinho de uma loja virtual.

A culpa disso reside nas melhorias que a tecnologia proporciona para um e-commerce, destacando a segurança e a facilidade nas transações. Também não dá para deixar de lado a necessidade das compras online.

Quando boa parte dos estabelecimentos físicos ficam de portas fechadas para evitar que o Covid-19 faça mais estragos, a solução está no e-commerce.

As vantagens que o comércio online traz para quem investe nele são várias. Conheça abaixo as principais. 

Baixo custo na fase inicial

Quem gerencia uma loja física sabe onde o sapato aperta, tem consciência de que adquirir um ponto para montar o seu empreendimento exige gastos, como, por exemplo, funcionários, a infraestrutura do local e da loja em si. 

Além, é claro, não dá para ignorar os custos com a documentação e todos os outros trâmites burocráticos.

Por outro lado, quando o assunto é o investimento em um e-commerce, a coisa muda um pouco de figura. O custo inicial para abrir o negócio não denota valores elevados.

Normalmente você vai gastar para garantir um bom serviço na internet:

hospedagem de site, 
um registro de domínio, 
e uma plataforma de e-commerce. 

São várias as plataformas para montar uma loja virtual. Entre elas estão o WordPress, Magento e Shopify.

Sempre pronta para atender

Um e-commerce, contando com os recursos adequados de hospedagem de site, fica online em tempo integral. Ele é como uma loja com as portas abertas 24h por dia, apto a receber clientes em qualquer época do ano, incluindo aí domingos e feriados.

Diante de um e-commerce o cliente pode efetuar uma compra sempre que considerar necessário. Pode ser de madrugada e, com apenas um smartphone em mãos, ele pode acessar a sua loja e adquirir um produto.

Porém, para garantir essa disponibilidade é fundamental investir em um bom serviço de hospedagem de site, capaz de fornecer para o seu negócio online o desempenho ideal para ela permanecer sempre online.

Maior alcance de clientes

As vendas online não conhecem fronteiras. Ao investir em um e-commerce o alcance das suas vendas poderá ir além do seu bairro, da sua cidade. 

Não é de se duvidar que, em alguns casos, o seu produto poderá ser comprado por alguém que reside no outro lado do Atlântico.
Porém, é sempre bom lembrar que esse alcance de novos clientes deve ser realizado com o devido planejamento, sempre levando em consideração a segmentação do público e o segmento do seu e-commerce.

Além disso, é preciso pensar também em estratégias para assegurar uma eficiente presença digital. Esse é um detalhe crucial para garantir uma melhor visibilidade do seu negócio.

Custo baixo de manutenção

Um e-commerce permite um menor custo em infraestrutura e o motivo para isso é que, assim que os produtos passam a ser vendidos, ele não exige um grande investimento para o gerenciamento do negócio.

Os gastos com a manutenção também podem ser considerados em conta, especialmente quando você comparar com os custos exigidos com o aluguel de um imóvel para a instalação de uma loja física, por exemplo.

Além do mais, como o e-commerce está em ambiente virtual, existem várias opções de estratégias de Marketing Digital, como, por exemplo, incentivar os clientes a acompanharem a sua loja nas redes sociais.

Facebook, Youtube, Instagram e outras redes sociais viabilizam a interação entre os clientes e o seu e-commerce, consolidando a fidelidade e o engajamento do cliente.

Monitoramento em tempo real

A administração de um e-commerce possibilita várias ações de Marketing Digital, uma delas consiste no monitoramento do comportamento dos clientes em tempo real. Não custa lembrar que esse monitoramento é de suma importância.

Hoje em dia, o gestor possui plenas condições de contar com várias ferramentas digitais que viabilizam uma melhor compreensão dos hábitos, das necessidades e das preferências do consumidor, proporcionando mais eficiência para as estratégias de Marketing Digital.

Graças a internet o lojista pode acompanhar e avaliar com mais precisão o perfil dos clientes. Isso é feito com dados e pesquisas que facilitam oferecer um atendimento mais personalizado.

E-commerce – Será que são todos iguais? Conheça as diferenças

Diante dos benefícios que o investimento traz, é preciso também entender como eles funcionam. Não basta apenas criar um comércio online e iniciar as vendas. É necessário ficar atento em relação aos objetivos do seu e-commerce.

Isso é importante, pois vai definir qual será o tipo de e-commerce que você pretende gerenciar. Todos eles são vantajosos, mas contam com algumas características distintas. Conheça algumas categorias mais comuns abaixo. 

E-commerce de infoprodutos

Em um comércio eletrônico a gente pode encontrar vários segmentos de produtos. Há e-commerces que vendem calçados, artigos de cozinha, peças de vestuário, enfim, não faltam opções.

Porém, há também e-commerces especializados na venda de produtos digitais, que são os chamados infoprodutos. O foco, nesse caso, é a venda de conteúdos. É aí que entram em cena livros digitais, audiobooks e cursos à distância.

Uma das vantagens da venda de produtos digitais reside na questão da logística e do estoque. Por se tratarem de produtos com características online, se torna mais fácil a questão de compra e venda de tais mercadorias.

Não há quantidades limitadas do que você pode vender, nem mesmo a necessidade de planejar como serão realizadas a entrega.

B2B e B2C

O e-commerce B2B, que também pode ser chamado de Business to Business, é usado por organizações que possuem como principais clientes outras empresas. 

De uma forma geral, o e-commerce B2B é conhecido por vender maquinários ou matérias-primas. Porém, em determinados casos também realiza venda de produtos já finalizados.

Já o e-commerce B2C, que é o Business to Client, é usado por empresas que vendem os produtos diretamente para os seus clientes finais. 

Normalmente, nesse tipo de comércio eletrônico você encontra produtos como calçados, produtos alimentícios, de tecnologia, móveis, em suma, vários segmentos.

E-commerce atacadista

Esse tipo de comércio eletrônico consiste em vender elevadas quantidades dos produtos oferecidos. Por causa disso, a questão da logística deve ser bem trabalhada e é necessário ter à disposição parceiros de confiança para a realização do transporte.

Em muitos casos, nesse tipo de categoria de e-commerce, o cliente tem a possibilidade de realizar a compra online para depois ser retirada diretamente, no estabelecimento físico. 

Há também o e-commerce varejista. Essa categoria, por sua vez, trabalha na venda de pequenas quantidades.

Saiba como criar o seu e-commerce

Além de ficar por dentro das diferentes categorias de e-commerce, chega a hora de saber como criar o seu. Hoje em dia, diante de ferramentas cada vez mais intuitivas, não há grandes segredos a respeito de como criar uma loja virtual.

Criar uma loja virtual há tempos deixou de ser tarefa exclusiva apenas de quem entende de linguagem e programação. Atualmente, qualquer pessoa tem condições de colocar no ar e gerenciar o seu próprio projeto online.

Por isso, para quem quer investir em um e-commerce, já pode começar seguindo esses procedimentos.

Escolha a plataforma

Assim como um estabelecimento físico precisa de uma estrutura adequada para atender os clientes, o comércio digital também. É nesse contexto que você deve contar com uma plataforma. É nela que você vai disponibilizar os produtos, determinar as formas de pagamento e atrair os seus clientes.

Uma boa plataforma de e-commerce apresenta vários recursos. Deve ser intuitiva, de fácil personalização e ter vários templates à disposição, voltados para os mais variados tipos de segmento de vendas.

Tenha um bom serviço de hospedagem de site

O que traz bons resultados e altas vendas para uma loja física é o atendimento bem feito. Cliente satisfeito é garantia de sucesso. Isso é o básico da cartilha do empreendedorismo e também serve para o comércio eletrônico.

Sobretudo, quando a gente pensa em bom atendimento no e-commerce, temos que levar em consideração a Experiência do Usuário. Em outras palavras, é preciso proporcionar para o cliente uma navegação intuitiva, com um site responsivo e bem estruturado.

Sabendo disso, é necessário também que o e-commerce carregue rapidamente as páginas e é aí que o serviço de hospedagem de site vem salvar o dia.

Uma boa hospedagem de site garante que o e-commerce permaneça online, suporta o tráfego dos clientes sem deixar o site lento e ainda traz alguns recursos que viabilizam a segurança da loja online. 

Adote um bom sistema de cobrança e pagamento

Além de produtos de qualidade os consumidores querem facilidades na hora de pagar, ainda mais se levarmos em consideração que, em tempos de pandemia, alguns consumidores estão adquirindo o hábito de efetuar compras pela internet.

Por essa razão, eles querem procedimentos simples e seguros na hora de pagar pelo produto. Hoje em dia é possível contar com sistemas de pagamento já bastante conhecidos, como o PayPal, o PagSeguro e muitos outros.

Saiba como gerenciar o estoque e a logística do seu e-commerce

Entregar o produto sem defeitos e dentro dos prazos estipulados é um dos fatores que gera engajamento com os clientes e proporciona credibilidade.

Dependendo do segmento do e-commerce, é necessário utilizar locais apropriados para armazenar os produtos, evitando que sejam danificados.

Além disso, pense também no transporte para realizar as entregas. Entre em contato com as transportadoras, faça parcerias, veja quais são as possibilidades.

Contudo, é necessário levar em conta a adaptação desse transporte ao tipo de produto que está sendo despachado pela sua loja, bem como o grau de urgência das entregas.

A parceria com transportadoras deve ser realizada baseada no volume de despachos. Desse modo é possível assegurar fretes com valores mais acessíveis. Acredite, frete baixo é uma das melhores maneiras de colocar um sorriso no rosto do consumidor.

Outro detalhe importante que deve ser lembrado é a área de cobertura da transportadora. Ela deve ser adequada com a localização dos clientes.

Disponibilize um atendimento eficiente 

Para fazer o consumidor acessar novamente o seu e-commerce e se tornar um cliente assíduo, é preciso promover um atendimento de qualidade. Essa é a lógica de uma boa gestão tanto em uma lógica física quanto no comércio eletrônico.

Cliente insatisfeito vai correndo para os braços dos concorrentes. Mas como viabilizar atendimento bem feito em um e-commerce?

A solução é apostar em canais diversos para atrair e interagir com o público. Caso estes canais não estejam à disposição, ou não tenham a eficiência esperada, em pouco tempo irão “pipocar” reclamações no Reclama Aqui. 

O resultado será a credibilidade do seu e-commerce despencando. Além do mais, uma das maneiras de promover um bom atendimento é utilizar os Chatbots, os famosos atendentes virtuais.

Por meio deles é possível sanar as dúvidas mais comuns dos clientes, relacionadas a preços, produtos e afins. Com isso, você assegura atendimento permanente em seu comércio eletrônico.

Métricas – As suas grandes parceiras no gerenciamento do seu e-commerce

Se a criação de um comércio eletrônico é fácil, o gerenciamento dele necessita de planejamento e um eficiente monitoramento. 

Dessa forma, é fundamental monitorar quais os produtos mais pedidos, qual o perfil, a origem dos clientes, em suma, tudo que pode enriquecer as suas estratégias de Marketing. Nesse sentido, existem algumas métricas essenciais que veremos agora. 

Carrinhos abandonados

Essa é considerada uma das métricas mais importantes quando o assunto é gerenciamento de um e-commerce. O monitoramento de carrinhos abandonados permite você compreender e escolher com mais segurança as estratégias utilizadas.

Se o cliente colocou o produto no carrinho e depois o retirou sem efetuar a compra, houve alguma razão para isso. Em determinadas situações o motivo para a desistência pode ser o frete ou o prazo da entrega.

Diante disso, é necessário optar por métodos que procuram saber os motivos dos consumidores abandonarem o carrinho. Vale inclusive, elaborar estratégias, como, por exemplo: enviar um agrado, estabelecer descontos, frete grátis, brindes funcionais e outros benefícios.

Avaliação dos produtos

As avaliações de produtos são dados que você obtém por meio dos próprios usuários. Isso traz informações que vem diretamente de quem mais interessa.

Por causa disso elas devem ser consideradas como um indicador relevante de engajamento dos clientes, além de proporcionar uma avaliação relevante dos níveis de qualidade do seu produto.

Além do mais, é pertinente ter em mente que você deve prestar atenção em cada avaliação publicada no seu site, blog ou rede social. 

Elas representam dados fundamentais que ajudam na tomada de decisões e ainda mostram o que está funcionando e o que deve ser alterado.

Quem entra e sai do seu e-commerce

Existem clientes que são os fregueses assíduos, porém há aqueles usuários que aparecem de vez em quando ou, em muitos casos, não retornam. Nesse caso é fundamental rever alguns pontos das suas estratégias. 

Por isso, dê uma olhada no que está impedindo o público de voltar mais vezes. Lembre-se que isso pode ser causado por vários fatores. 

Algumas razões podem ser dificuldades para o cliente realizar pagamento, navegabilidade pouco (ou nada) intuitiva e carregamento lento das páginas.

Na era digital um e-commerce é uma excelente atenção

Ter uma loja virtual é um investimento válido, pois possibilita alternativas de vendas dos mais variados produtos e serviços. Um e-commerce, nesse contexto, é uma forma de se adaptar a esses tempos cada vez mais digitalizados.

Além do mais, diante de uma pandemia, a possibilidade de comprar sem sair de casa, com apenas alguns cliques, é uma solução viável. Portanto, vale a pena sim investir em um e-commerce.

loja online

loja online

Após adquirir uma plataforma de vendas online é preciso algum tipo de artifício para aumentar as vendas e a quantidade de clientes, pois não basta que a plataforma esteja robusta e completa abrangendo tudo o que é necessário.

Para que o empreendimento tenha êxito alcançando bons resultados a estratégia mais inteligente é investir no marketing digital.

Estratégias

O primeiro passo é fazer uma análise do cenário no qual está inserido estudando a forma de atuação dos concorrentes.

É importante observar o preço e a qualidade do material que outras empresas do mesmo ramo vendem para priorizar o custo-benefício, pois a satisfação aumenta a possibilidade de fidelização do cliente.

Promover promoções também é um chamariz para que a sua loja fique mais conhecida, assim como integrar sua loja virtual a marketplaces possibilitando o aumento do alcance.

 

Talvez um dos pontos mais importantes seja definir os meios pelo qual a sua plataforma de vendas online vai ser divulgada para aumentar o número de visitantes.

 

Ter em mente uma clientela específica também é uma boa estratégia de marketing digital para poder direcionar a campanha publicitária no público que tenha mais possibilidade comprar o produto oferecido.

Ter consciência de sua posição no mercado também é interessante, delimitando o que sua marca oferece, quais são seus diferenciais e quais são seus atributos, para que assim justifique o porquê comprar seus produtos.

O tráfego pago é o modo mais eficiente de conseguir acesso de forma mais rápida, pois dessa forma as pesquisas feitas do Google levam os clientes a outras mídias digitais como o Facebook ou o Instagram, entretanto o custo pode ser muito alto não trazendo recompensas que façam sentido.

Por isso é mais interessante traçar estratégias para que o tráfego orgânico aumente por meio de práticas como SEO ou produzir conteúdos em blogs, direcionando links para a plataforma.

Ter uma maneira de verificar o número de visitas e o número de vendas é bastante importante, uma vez que o número pode não ser convertido em vendas, e sendo assim alguma coisa está errada na estratégia utilizada.

Converter as visitas em vendas é artigo essencial para ter sucesso através de loja digital.

Pop-ups podem ser irritantes, mas é surpreendente como eles podem capturar leads para as plataformas de vendas online.

Pode-se perceber que no marketing digital uma coisa é consequência da outra, pois ao ter o público-alvo definido é possível oferecer materiais e informações que interessem visitantes de outras páginas fazendo com que esses navegantes entrem em sua página.

Outra situação é relacionar a base de leads aos clientes.

Realizar estratégias que procurem incentivar um cliente em dúvida a efetuar a compra como ferramentas como automatizar e-mails quando um carrinho virtual com os produtos selecionados for abandonado, perguntando o motivo da desistência, ofertando algum tipo de promoção ou indicar produtos parecidos que possam suprir as mesmas necessidades.

Medir os resultados do marketing realizado para aumentar o consumo na plataforma de vendas online para saber quais estratégias estão sendo efetivas e quais precisam ser aperfeiçoadas ou até mesmo descartadas.

Uma forma de fazer essa análise é pelo histórico que chequem quantos visitantes efetuaram a compra e se os e-mails enviados geram engajamento.

O SEO, ou otimização para mecanismo de busca ajuda a potencializar os acessos orgânicos em determinada plataforma e cada vez mais é impossível tratar sobre marketing digital, sem deixar de citar essa prática.

O SEO consegue alcançar resultados a médio ou longo prazo, o tempo mínimo esperado para que esse método gera efeito são três meses.

Apesar disso os resultados são muito bons e não é preciso pagar o tráfego pago.

As visitas provenientes de tráfego orgânico são mais suscetíveis a comprar um produto.

Blog e Loja Virtual

Possuir um blog de sua loja virtual com a finalidade de informar e produzir um número considerável de conteúdo é uma ferramenta relevante para angariar clientes e passar uma imagem de credibilidade.

Para entender se o conteúdo elaborado surte efeito é importante se atentar para o fato de que o Google trabalha por meio de algoritmos e ele vai usar isso para classificar suas páginas, então depende muito da qualidade do material criado para as páginas.

Outro ponto fundamental e extremamente definidor para o sucesso de sua loja é permitir acesso a qualquer dispositivo, o google também analisa isso no momento de classificar as páginas.

Por fim, existem questões importantes quanto às redes sociais: é necessário estar ativo e ter uma frequência de publicações, além de entender a melhor maneira de se comunicar por lá.

É importantíssimo prestar atenção na interação que seus posts resultam. 

Alguns procedimentos para impactar nas redes sociais são elementos digitais como Facebook Ads, Google Ad e Twitter Ads.

Esses são os principais e mais eficientes conceitos de marketing digital para plataforma de vendas online, espero que eu possa ter contribuído para o sucesso do empreendimento.

De acordo com a pesquisa realizada pela The Insiders 88% dos brasileiros que vão presentear nesse dia das mães farão suas comprar por meio de lojas online

Já virou rotina do brasileiro realizar suas compras desde itens de supermercado a produtos e serviços de forma on-line, e por isso, cada vez mais lojas e segmentos migraram suas lojas físicas para o mundo digital. Nesta semana, por exemplo, muitos comerciantes se preparam para a segunda principal data do varejo brasileiro, o Dia das Mães.

 

De acordo com pesquisa realizada pela The Insiders, 88% dos consumidores pretendem presentear suas mães por meio de canais digitais, já o levantamento da Mindminers indica que 42% das pessoas farão a entrega do presente pelo serviço das lojas online.

 

Com o objetivo de apoiar micro, pequenas e médias empresas, Marcelo Navarini, COO do Bling , sistema de gestão on-line que agiliza e descomplica a gestão de empresas, elenca as principais dicas para aproveitar a sazonalidade do período.

 

1. Esteja preparado para entrar na internet:

Apesar da facilidade de ter a empresa na internet, os empreendedores devem considerar os requisitos necessários para vendas online. Para quem já possui um negócio físico, deve se preocupar com a nova logística. Aqueles que estão começando o próprio negócio, precisam além disso, escolher produtos, fornecedores, entender quem são seus clientes entre outros processos.

 

2. Elabore um plano de negócios

Plano de negócios é um documento que organiza todas as diretrizes e setores de uma organização. Ele é fundamental para que o empreendedor atinja seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Nele devem constar informações sobre o nicho de atuação da loja, portfólio de produtos ou serviços, público-alvo, concorrentes, fornecedores, orçamento e outros fatores que ajudam a definir pontos fortes e fracos da empresa.

3. Tenha um site 100% funcional

Para chamar a atenção dos consumidores, é preciso fornecer experiências positivas para eles. Um site funcional, nesse sentido, passa a ser obrigatório. Ter o design unido à arquitetura e à organização de informações do site, por exemplo, irá proporcionar uma navegabilidade mais agradável aos usuários. Descrição de produtos e usabilidade em aplicativos móveis, também são elementos que podem contribuir para uma visita positiva à sua loja virtual.

 

4. Ofereça multicanais ao cliente

A loja virtual, é fundamental para o empreendedor digital, porém, não deve ser o único canal utilizado para posicionar uma marca digital. Na internet há uma série de possibilidades para aumentar as vendas online. Marketplaces, sites de comparação e lojas nas redes sociais, por exemplo, são apenas algumas das diversas fontes que ajudam a alavancar o faturamento de uma empresa.

 

5. Monte uma equipe preparada e bem treinada

Independentemente da quantidade de colaboradores de uma loja virtual, é importante que todos estejam trabalhando em prol da empresa. O atendimento ao consumidor e a qualidade e eficiência nas entregas, por exemplo, são duas atividades requisitadas o tempo todo e que podem definir o futuro de uma loja online.

 

6. Invista em marketing digital

O marketing digital tem se tornado mais popular nas pequenas e médias empresas. Cientes dos benefícios dessas estratégias, os empreendedores buscam implantá-las visando aumentar suas vendas na internet. Apesar de a comunicação online realmente ser importante no processo de crescimento de um negócio, é preciso seriedade e competência em suas estratégias. O investimento na profissionalização das ações de marketing, nesse sentido, é o melhor caminho para alcançar metas.

 

7. Invista em um sistema de gestão empresarial

Todas as dicas acima são fundamentais para a sustentabilidade do negócio online, porém sem a organização necessária a empresa não decola. Ou seja, sem gestão financeira e integração logística e outras ferramentas que um sistema de gestão oferece, vender bem pode não ser o suficiente. Por isso, sistemas que facilitam a gestão empresarial são soluções essenciais para qualquer negócio. Hoje, empresas de todos os tamanhos buscam espaço nos principais marketplaces do Brasil e usam ferramentas de gestão, como o Bling, para gerar mais praticidade em seu negócio.

Ainda de acordo com a pesquisa da Mindminers, apenas 19% dos consumidores irão comprar na loja física e entregar o presente pessoalmente. Por isso, ter uma loja virtual que ofereça boas opções e principalmente uma boa gestão será um diferencial.

Apesar dos desafios, a internet é um local que oferece diversas oportunidades para desenvolver seu negócio, e para melhorar sua organização e desempenho online, essas dicas são fundamentais para um melhor desempenho e atuação nas vendas pela internet.

 

O digital não representa uma ameaça para os vendedores; a função deles precisa apenas ser redesenhada

Certa vez, fui em uma loja e o vendedor muito falante e simpático, antes que eu fosse embora, perguntou meu perfil no Instagram, dizendo que me seguiria. Achei aquilo fantástico. Ele havia criado um perfil nas redes sociais como vendedor para manter contato com os seus clientes. Talvez ele nem saiba, mas o nome disso é social selling, ou seja, o uso das redes sociais para aumentar a interação com os consumidores e melhorar a efetividade das vendas.

 

Hoje em dia, qual a maneira mais fácil de conhecermos uma pessoa se não seguindo o seu perfil nas redes sociais? Com esta conexão com o outro, conseguimos acompanhar os principais acontecimentos de sua vida em apenas alguns cliques. Quando um vendedor tem a iniciativa de se relacionar com os seus clientes por meio de um perfil, ele está construindo a sua própria central de relacionamento.

 

Se considerarmos que o tempo gasto pela população brasileira na internet, assim como nas redes sociais só vêm crescendo ao longo dos últimos 15 anos, estamos falando de um vendedor que tem visão de futuro. Afinal, o brasileiro passa em média mais de 9 horas por dia na internet (de acordo com a Statista) e cerca de 3h33min em redes sociais (segundo o July Global Statshot Report 2020).

Vendedor prejudicado pelo digital?

Porém, a atitude nem sempre foi essa e ainda há muito o que evoluir. Assim que surgiram as vendas online, o primeiro sentimento causado no vendedor de loja foi o de ameaça e desconforto. Felizmente, aos poucos, muitos perceberam que poderiam ter o digital como aliado. Ao adotar esta postura, o vendedor que utilizei como exemplo, se algum dia sair daquela loja e for trabalhar em outro estabelecimento, ainda levará consigo diversos clientes, conseguirá oferecer novos produtos e manterá a sua rede de relacionamento.

 

Um comportamento do consumidor necessário de compreender é que esse canal de vendedores/influenciadores fomenta tanto a venda direta, como a indireta, levando clientes a compras na loja física. A tendência e influência das redes sociais em vendas já existiam e foi potencializada durante a pandemia. Em 2019, 47% dos consumidores brasileiros pesquisavam online para comprar offline, segundo uma pesquisa realizada pelo TNS Infratest e publicada pela Google Research.

Já durante a crise, causada pelo Coronavírus, usar as redes sociais para vender foi a principal medida das marcas assim que as lojas foram fechadas. Quem havia começado a percorrer a curva de aprendizado antes, adaptou-se mais rápido e saiu na frente, pois já tinha uma boa quantidade de seguidores e já havia experimentado diferentes tipos de abordagem, descartando aquelas que não tinham êxito. Esse aprendizado só é possível de adquirir com frequência e consistência nas publicações das redes sociais. Quem não havia pensado em começar a trabalhar no digital enfrentou desafios maiores, inclusive tendo que lidar com uma concorrência de empresas adaptadas em um novo cenário.

 

Quando o social selling está inserido em uma marca ele ganha novos contornos. Não adianta ter um perfil e iniciar as postagens sem planejamento, ou disparar mensagens sem nenhum relacionamento com o seu cliente, suas dores e desejos, somente mostrando produtos e esperando que as pessoas engajem, sem entretenimento e engajamento.

Conteúdo que atrai

O ano passado tive a oportunidade de conversar com Jr. Biro, Fundador da Post2B, e quero compartilhar com vocês algo muito importante pontuado por ele. Como a sua marca pode comprovar se a estratégia está dando certo calculando a taxa de engajamento, ou seja, o quanto os seus seguidores se envolvem com o seu perfil na rede.

 

Para isso é preciso fazer uma conta: divida as interações (reações + compartilhamentos + comentários + cliques) pelo alcance, que é o número de pessoas que visualizaram a sua publicação; multiplique, então, o resultado por 100 para achar o percentual. No entanto, você pode fazer adaptações. Divida a interação pela quantidade de seguidores, por exemplo, e você chegará ao engajamento daquele grupo que o segue. E aí, você percebe que engajamento de 10% é um milagre, que engajamento bom gira em torno de 1% a 3%; ou que a conversão de 2% (digamos que 2% dos seus seguidores clicaram naquele link e compraram por meio dele) é um ótimo resultado. A partir desses resultados você consegue criar um dashboard que o ajudará a desenvolver táticas em busca de melhores resultados.

Retornando a um ponto de clara tendência de mercado, a sugestão que dou é que a sua marca experimente ações de social selling, pois canais de mídia vem se transformando cada vez mais em canais de vendas. Para isso, busque uma criação de conteúdo de qualidade e alie-se ao vendedor dando insumos para que ele crie e compartilhe conteúdos diferenciados.

 

O conteúdo que atrai a atenção do consumidor é aquele que gera valor e para obter a atenção da audiência, você tem que fazer algo diferenciado. Além disso, é fundamental possuir frequência e disciplina, ou será esquecido diante da quantidade de conteúdos que os concorrentes e praticamente todos os negócios produzem. Logo, o responsável pelo seu marketing deverá ser um parceiro do vendedor que está lá na ponta, tanto compartilhando, como recebendo feedbacks do público.

 

As possibilidades de um bom planejamento e boas estratégias para ter presença no digital são inúmeras. Essa presença é parte essencial no processo de construção de uma marca. É a oportunidade de você se relacionar e gerar conteúdo – resolvendo dores e problemas do cliente. Lembre-se que vender é o seu objetivo final, e não o início de um relacionamento com o cliente.

 

error: Alerta: O conteúdo está protegido !!