11 jan Obstáculos e oportunidades para as redes sociais corporativas em 2013

 

Grandes mudanças, como a integração de ferramentas sociais com os negócios, levam tempo. Lembre-se que em movimentos demorados chamados de revolução, os persistentes são os mais propensos a se saírem bem no final

A revolução das redes sociais corporativas já está ‘chegando’ há algum tempo, e eu não espero que ela, de fato, chegue em 2013. Falar em “revolução” implica em grandes mudanças, o que leva tempo. A Revolução Americana levou oito anos. Mesmo revoluções que valem a pena são difíceis.

Alan Lepofsky, da Constellation Research, prevê que 2013 será um ano para falar menos e fazer mais, conforme a necessidade de explicar os conceitos básicos dos negócios sociais desabrocha, e mais empresas colocam em uso ferramentas sociais para trabalhar de forma mais prática a resolução de problemas. “Para fabricantes, 2013 será menos sobre a criação de novos recursos que brilham e mais em ajudar seus clientes (e prospects) a extrair valor real de suas plataformas”, afirma.

Lepofsky vê as tarefas de gerenciamento social tomando corpo de forma efetiva, assim como mais e melhores integrações entre as ferramentas sociais e as aplicações corporativas de negócios. Mais empresas enxergarão a utilidade da criação de aplicativos personalizados que usam as metáforas entre nuvem e social para unir processos de negócios que abrangem vários sistemas. Eu não vou tentar resumir o seu conjunto completo de previsões, mas estou feliz de endossá-las em sua maioria.

Só não estou tão confiante de que veremos mudanças drásticas em 2013. A taxa de adoção pode acelerar, mas será gradual, aos trancos e barrancos, tendo que superar as resistências em cada estágio.Considere a questão da integração entre aplicações sociais e os sistemas das linhas de negócios. É um padrão aceito amplamente por seus benefícios claros e práticos? De jeito nenhum, pelo menos não agora.

Foram muitos os artigos publicados desde o começo de 2012 e ainda assim eu vejo os mesmos potenciais de limitar o sucesso das ferramentas sociais, e não posso afirmar que os obstáculos hoje são mais tranquilos hoje.

Além de questões técnicas, tais como a integração, os obstáculos incluem questões culturais, como a insegurança dos líderes em querer abraçar a transparência e o debate aberto dentro de suas organizações. Um obstáculo talvez tenha piorado. O número dois na minha lista de obstáculos, ainda em janeiro, foi a superação das conotações negativas de “Facebook dentro de sua empresa.” Devido a isso, alguns líderes empresariais olharam para as redes sociais internas como um convite para a frívola perda de tempo. Na época, eu disse que muitos líderes também gostariam de imitar o Facebook como um sucesso empresarial.

Quando minha colega Debra Donston-Miller escreveu sobre como a abertura de capital do Facebook afetou o social business, eu tinha certeza de que o efeito seria positivo para as empresas e iniciativas de negócios sociais. Isso foi antes das ações irem a venda e rapidamente perderem metade do seu valor, em parte por causa de técnicas e procedimentos sem sentido, mas também por causa das dúvidas sobre o modelo de negócios da empresa. Por uma questão de culpa por associação, a ideia de negócio social também viu uma queda de suas ações.

Se o Facebook não fez jus ao seu momento de campeã mundial, no entanto, a rede, por um tempo, continuou distante de montar um modelo de negócios que pudesse afastar os pessimistas e mostrarem que eles estavam errados. Hoje, porém, há sinais de que o Facebook, de fato, pode saber como fazer dinheiro via celulares – depois de tudo -, e a recente tendência ascendente no preço de suas ações tem colocado gente para correr em busca de uma parte da coisa.

Se há uma lição a tirar do Facebook, talvez seja essa: persistência e foco. O próximo ano vai ser o ano dos negócios sociais? Provavelmente não, mas quem se importa? A verdadeira questão é se esse modelo de negócios será o ideal para você? Será este o ano em que você vai mostrar que sabe como colocar o software social para trabalhar de uma forma que compensa para o seu negócio? Se seus concorrentes não descobrirem isso em 2013, melhor para você.

 

Fonte: itwebitweb

Fale com Especialistas.