21 out Marketing Direto tem receita de quase R$ 22 bilhões

A Associação Brasileira de Marketing Direto (ABEMD) lança a quinta edição do estudo Indicadores ABEMD, com patrocínio dos Correios e apoio tecnológico da Frontier. O levantamento apurou uma receita gerada pelo mercado de R$ 21,7 bilhões em 2009 (apenas considerando a prestação de serviços do setor), o equivalente a 0,69% do PIB brasileiro, o que significa um crescimento de 11,3% sobre o ano anterior. A taxa de crescimento médio anual é de 12,5% na década.

O estudo também aponta que no primeiro semestre de 2010, o mercado de Marketing Direto cresceu 21,1% sobre o mesmo período de 2009.

“O crescimento do Marketing Direto continua em patamar elevado, demonstrando a relevância cada vez maior de todos os seus subsegmentos, com participação muito importante da área digital, que está presente nas diversas etapas da atividade”, acentua Efraim Kapulski, presidente da ABEMD.

Outro aspecto a ser notado nesta edição, é o avanço das receitas geradas pelos segmentos de Database e CRM (17,4%), Internet e E-commerce (15,6%), Fornecedores de Listas (12,5%) e Agências (11,1%).

“O setor de Internet e E-Commerce é o que teve maior participação, concentrando 24,9% das receitas investidas em Marketing Direto. Em seguida vem Call Center, com 22,5%”, diz Antonio Cordeiro, presidente da Simonsen, empresa responsável pelo estudo de dimensionamento do mercado.

Além da coleta e análise de diversos tipos de dados, foram consultadas 214 empresas, sendo que 43% delas teve em 2009 faturamento superior a R$ 100 milhões.

O estudo Indicadores ABEMD passou por três anos de gestação; dois anos de preparação e um de efetiva operação entre estudos, análises e entrevistas. Esta quinta edição consolida os esforços dos anos anteriores. O estudo será publicado de forma completa no Anuário ABEMD 2010 que circulará na segunda quinzena de novembro.

“O objetivo é desenvolver uma base de dados estratégica atualizada e corrente sobre o setor, abrangendo todos os segmentos que o compõem, para dotar as empresas de informações relevantes para a tomada de decisões”, explica Cordeiro.

“Os números levantados estão sintonizados com a definição do que é Marketing Direto: uma associação de instrumentos e ações que reúne uma ou mais mídias, onde se obtém resultados mensurando as respostas dos clientes e as transformando em uma base de dados para estabelecer um diálogo, que é a essência da atividade”, diz Kapulski. 

Abordagem e metodologia
O estudo foi operacionalizado de acordo com uma abordagem e metodologia definidos após várias reuniões entre ABEMD e Simonsen Associados. Foram consultados os principais executivos de cada empresa.

1. Seleção de segmentos componentes do setor de Marketing Direto;
2. Long-list de empresas representativas de cada segmento;
3. Discussões com experts e formadores de opinião dentro de cada segmento;
4. Short-list de empresas a contatar;
5. Indicadores e informações primárias e secundárias.

 

Fonte:Adnews

Fale com Especialistas.